Browse by Tags

All Tags » Tomada de decisão » Finanças Pessoais (RSS)

PGBL ou VGBL: Qual devo escolher?

Esta é uma pergunta muito comum, mas sua resposta não é das mais simples, pois depende de alguns fatores. Então para chegarmos na resposta, começaremos entendendo um pouco mais dos dois modelos, para apenas depois, chegar à nossa decisão. VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres) é um seguro de vida, com opção de resgate em parcelas mensais, ou parcela única, após um período de carência. Tendo em vista esta característica, os pagamentos realizados pelos segurados a estes planos, são tratados como prêmios de seguro e, portanto, não dedutíveis do imposto sobre a renda. Por outro lado, quando chegar o momento de receber os benefícios, o segurado será tributado pelo imposto sobre a renda apenas sobre os rendimentos, não havendo qualquer incidência de imposto sobre o somatório das parcelas pagas por ele. PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) é um plano de previdência complementar, com opção de resgate em parcelas mensais, ou parcela única, após um período de carência. Tendo em vista esta característica, os pagamentos realizados pelos participantes destes planos são tratados como contribuições para a previdência complementar e, portanto, dedutíveis do imposto sobre a renda até o limite de 12% da receita bruta anual do contribuinte. Quando chega o momento de receber os benefícios, os participantes serão tributados no total dos valores recebidos, ou seja, serão tributados tanto sobre os rendimentos, quanto sobre a devolução dos valores pagos por eles. Isto não chega a ser de todo ruim, pois apesar de pagar imposto sobre a devolução dos valores pagos, estes serviram de dedução na época em que foram pagos. Outro ponto importante a ser considerado é que a dedução de 12% não é por plano, mas sim total para as contribuições complementares, isso significa que se o investidor possuir mais de um plano de previdência complementar, pode não conseguir deduzir os 12% de todos eles. Também vale destacar que estas deduções só são possíveis para os contribuintes que fazem a declaração de imposto de renda pelo modelo completo, não havendo qualquer benefício fiscal para quem declara pelo modelo simplificado. Maravilha, agora que sabemos como cada um deles funciona, vamos decidir qual o melhor para cada perfil de investidor. De acordo com a análise realizada acima, nos foi possível identificar que a diferença reside mesmo na forma de tributação dos planos, portanto os planos VGBL são os mais recomendados para aquelas pessoas que já atingiram ao limite de dedução de 12% da renda bruta anual, ou que realizam a declaração de imposto de renda pelo modelo simplificado, sendo o PGBL mais indicado para os demais investidores. Quais outros fatores devem ser considerados na decisão? ITENS A OBSERVAR O QUE SABER E OBSERVAR PARA MAIS INFORMAÇÕES, CONSULTE: REGULAMENTO Leia atentamente o Regulamento do Plano, lembrando que a assinatura da proposta de inscrição implica na automática adesão do proponente aos termos do regulamento do plano , e no caso de planos coletivos, no cumprimento das condições previstas no contrato. O REGULAMENTO é o instrumento jurídico que disciplina os direitos e obrigações das partes contratantes. O regulamento atualizado do plano será colocado à disposição do proponente, previamente à contratação, sendo obrigatoriamente remetido ao participante no ato da inscrição, como parte integrante da proposta de inscrição. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 63, 64, 65, 66 e 68 da Circular SUSEP nº 338/2007. PROPOSTA DE INSCRIÇÃO Documento em que o proponente, pessoa física, expressa a intenção de contratar uma cobertura (ou coberturas) ou aderir à contratação sob a forma coletiva, nela manifestando pleno conhecimento do regulamento. Na proposta de inscrição deve constar, entre outras informações: denominação e CNPJ da entidade; nº do processo SUSEP de aprovação do plano; denominação, CNPJ e taxa de administração do(s) FIE(s) vinculados ao plano, percentual ou valor de carregamento e ou tabela adotada para sua incidência, forma e critério para sua cobrança; data prevista para concessão do benefício e modalidade de renda contratada; períodos de carência; nome e nº do registro do corretor, quando for o caso; etc. O próprio Regulamento do Plano PGBL , o art. 59 da Circular SUSEP nº 338/2007 e o inciso XXXII do art. 5º da Resolução CNSP nº 139/2005 . FASE DE PAGAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES (PERÍODO DE DIFERIMENTO DO PLANO) CARREGAMENTO O carregamento é a importância destinada a atender às despesas administrativas e de comercialização do plano, sendo os percentuais máximos conforme norma vigente, os seguintes: - Para planos com Contribuição Variável pode-se cobrar no máximo 10% da contribuição; - Para os planos em Benefício Definido pode-se cobrar no máximo 30% da contribuição. O carregamento poderá ser cobrado na data de pagamento da respectiva contribuição, exclusivamente sobre o valor pago, e/ou no momento do resgate ou da portabilidade, nestes casos, sobre a parcela do valor do resgate ou sobre a parcela dos recursos portados correspondente ao valor nominal das contribuições pagas. Desta forma, cabe ao consumidor pequisar atentamente o menor percentual de carregamento e critério de incidência mais adequado, lembrando que o CARREGAMENTO não retorna ao participante sob a forma de benefício ou sob outra forma qualquer. Os planos PGBL são estruturados na modalidade CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL, portanto o carregamento máximo é de 10%. O próprio Regulamento do Plano PGBL , os arts. 11 e 12 da Circular SUSEP nº 338/2007 e os arts. 37, 38, 39 e 40 da Resolução CNSP nº 139/2005 . MODALIDADE DE APLICAÇÃO FUNDO DE INVESTIMENTO - FIE Os planos podem ser dos tipos: • Somente Títulos Públicos de Renda Fixa - investimentos em títulos do Tesouro Nacional e/ou Banco Central; • Renda Fixa Crédito Privado - investimentos em títulos do Tesouro Nacional e/ou Banco Central e outro de renda fixa; • Multimercado incluindo Renda Variável - investimentos em renda variável limitado a 49% do patrimônio do fundo. O participante deve atentar para a política de investimento do fundo, para o tipo de aplicação que mais se enquadra com seu perfil, observando os percentuais mínimos e máximos de aplicação em renda variável. Deve-se levar em conta que, na fase de pagamento das contribuições do Plano PGBL (período de diferimento ou de acumulação, antes de receber o benefício), não há garantia de rentabilidade, podendo até ser negativa. Deve-se comparar também a taxa de administração dos fundos. Sempre que solicitado, a Entidade fornecerá ou colocará à disposição do participante exemplar do regulamento atualizado do(s) respectivo(s) FIE(s), bem como dados institucionais e de desempenho do(s) FIE(s), nos quais estão aplicados os recursos pela EAPC no período de diferimento. O próprio Regulamento do Plano PGBL , o inciso I do art. 2º da Circular SUSEP nº 338/2007 e o inciso I do art. 7º da Resolução CNSP nº 139/2005 . PRAZO DE CARÊNCIA Período em que não se aceitam os pedidos de resgate ou portabilidade. Deve-se atentar que a norma prevê o estabelecimento em contrato de Resgate Total com no mínimo 60 dias e no máximo 24 meses a partir da contratação e de Resgate Parcial com intervalos entre 60 dias e 6 meses. Já para portabilidade o período de carência é de 60 dias a partir da contratação. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 19 e 27 da Circular SUSEP nº 338/2007 . RESGATE Cumprido o prazo de carência, ao ser solicitado o resgate, seu cálculo será realizado no 2º dia útil posterior à data determinada pelo participante. Já o pagamento deve ser efetivado até o 5º dia útil a partir do pedido do participante . Por fim, só poderá ser cobrado carregamento postecipado, se previsto no regulamento do plano, quando do pagamento do resgate. À época da efetivação do resgate ou da portabilidade, a EAPC deverá informar ao participante, por escrito, quanto do valor resgatado ou portado refere-se ao valor nominal das contribuições pagas e o respectivo valor do carregamento. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 22 e 24 da Circular SUSEP nº 338/2007 . PORTABILIDADE Cumprido o prazo de carência, ao ser solicitada a portabilidade, seu cálculo será realizado no 2º dia útil posterior à data determinada pelo participante. Já a transferência dos recursos pela cedente deve ser efetivada até o 4º dia útil ou 5º dia útil para planos aprovados antes de 30/01/2007. Esses recursos devem ser recepcionados pela cessionária na Provisão Matemática de Benefícios a Receber até o 2º dia útil da disponibilidade. Por fim, a cedente só poderá cobrar tarifa bancária e o carregamento postecipado, se previstos no plano. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 27 a 36 da Circular SUSEP nº 338/2007 . CARTA AO PARTICIPANTE COM ANTECEDÊNCIA DE 90 DIAS DA DATA DA CONCESSÃO DO BENEFÍCIO Com antecedência mínima de 90 (noventa) dias em relação à data prevista para concessão do benefício, a EAPC comunicará, por escrito, ao participante, mediante carta com aviso de recebimento, algumas informações para a tomada de decisão, sendo as principais elencadas a seguir: número do processo no qual o plano foi aprovado pela SUSEP; taxas de juros e tábuas biométricas, a serem utilizadas para cálculo do benefício sob a forma de renda e o respectivo fator de cálculo; índice e critério contratados para atualização de valores durante o período de pagamento do benefício de renda; o saldo acumulado na provisão matemática de benefícios a conceder; o valor do benefício estimado com base na provisão constituída ; a data contratada para pagamento do benefício; informação quanto à existência de reversão de resultados financeiros na fase de benefícios, quando prevista; percentual de reversão; etc. Esse comunicado tem o objetivo de prestar informações do plano para que antes da fase de concessão de benefício, os participantes tenham a chance de comparar os parâmetros técnicos do seu plano com o de outros produtros existentes no mercado, e decidir por portar seus recursos caso encontre melhores condições em outro plano . Nesse período, o participante poderá também alterar a modalidade de renda inicialmente contratada ou ainda decidir pelo resgate dos recursos acumulados. Deve-se comparar as condições dos planos, atentando-se principalmente para a taxa de juros oferecida e percentual de reversão dos resultados financeiros que serão aplicados na fase de concessão do benefício . Caso encontre melhores condições, o participante poderá efetivar a portabilidade dos recursos para o plano mais conveniente antes da fase de concessão do benefício do plano inicialmente contratado. Destaca-se que na fase em que o participante assistido se encontrar em gozo de benefício, INEXISTE a opção pelo resgate ou portabilidade. O próprio Regulamento do Plano PGBL e o art. 49 da Circular SUSEP nº 338/2007 . FASE DE RECEBIMENTO (CONCESSÃO) DO BENEFÍCIO MODALIDADE DE RENDA No PGBL o evento gerador do pagamento do benefício será sempre a sobrevivência do participante ao período de diferimento contratualmente previsto. Desde que previsto no regulamento do plano, o participante poderá contratar modalidades de renda, dentre as quais destacam-se: Renda mensal vitalícia Renda mensal temporária Renda mensal vitalícia com prazo mínimo garantido Renda mensal vitalícia reversível ao beneficiário indicado Renda Mensal vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores Renda Mensal por prazo certo Deve-se destacar que a escolha pela Renda mensal vitalícia, no caso do óbito do participante, após o início da percepção ao benefício de renda, não dá direito aos seus beneficiários de recebimento de qualquer valor. O próprio Regulamento do Plano PGBL e o art. 2º da Resolução CNSP nº 139/2005 . PARÂMETROS TÉCNICOS DOS PLANOS NA FASE DE CONCESSÃO DO BENEFÍCIO São observados os seguintes parâmetros na definição do plano na fase de concessão do benefício: • Índice de atualização - atualmente são os índices de preços estabelecidos na Circular SUSEP nº 255/2004 • Taxa de juros - garantia de remuneração estabelecida contratualmente, observado o máximo de 6% ao ano • Tábuas biométricas - tabelas que contém a taxa de mortalidade • Resultados Financeiros - valor da diferença entre o patrimônio do fundo - FIE e o saldo da PMB - Provisão Matemática de Benefícios O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 9º ao 18 da Resolução CNSP nº 139/2005 . ATUALIZAÇÃO DO BENEFÍCIO DE RENDA CONCEDIDO O benefício de renda será atualizado anualmente com base no índice de preço constante do regulamento do plano. O critério de atualização do benefício deverá constar da proposta de inscrição, do regulamento e, no caso de plano coletivo, do contrato. O próprio Regulamento do Plano PGBL , o art. 10 da Resolução CNSP nº 139/2005 e a Circular SUSEP nº 255/2004 . TAXA DE JUROS E TÁBUA BIOMETRICA Destaca-se que na fase de pagamento do benefício do Plano PGBL existe garantia de atualização monetária por índice de preço e taxa de juros, a qual pode variar de 0% a 6% ao ano. O índice de atualização anual do benefício e a taxa de juros adotados na fase de concessão do beneficios constam do regulamento do plano. Ao término do período de diferimento calcula-se o benefício de renda com base nos seguintes parâmetros: provisão matématica acumulada, tábua biométrica, idade do participante, e taxa de juros. Fixando o valor da provisão acumulada, a tábua e a idade do participante, calcula-se o maior valor de benefício quanto maior for a taxa de juros. Desta forma, o participante deve atentar para o plano que ofereça a maior taxa de juros, verificando os demais parâmetros. Quanto à tábua biométrica, deve-se observar que o limite máximo para a taxa de mortalidade é a da tábua AT-1983 Male. Quanto à tábua biométrica deve-se observar ainda, que há planos com as tábuas brasileiras que prevêem atualização das taxas de mortalidade a cada 5 anos. O próprio Regulamento do Plano PGBL , os arts. 9º e 11 da Resolução CNSP nº 139/2005 e a Circular SUSEP nº 404/2010 . RESULTADOS FINANCEIROS A reversão de resultados financeiros, caso contratada, dar-se-á a partir da data de concessão do benefício, pelo prazo e pela periodicidade estabelecidos no regulamento plano. O saldo da provisão técnica de excedentes financeiros (observados à época a periodicidade e o prazo de duração convencionados no regulamento do plano) será: pago diretamente ao assistido; ou revertido à provisão matemática de benefícios concedidos, de maneira a proporcionar aumento ao benefício pago sob a forma de renda. A periodicidade de reversão não pode ultrapassar 5 (cinco) anos civis consecutivos. Por fim, em relação aos resultados financeiros, deve-se observar se o plano prevê a reversão dos resultados financeiros, e qual o percentual de reversão e a respectiva periodicidade, sendo mais vantajoso o plano que possuir maior percentual de reversão, com menor periodicidade de repasse. O próprio Regulamento do Plano PGBL e o art. 6º e inciso II do 45 da Resolução SUSEP nº 139/2005 . TRIBUTAÇÃO No caso do PGBL, as contribuições pagas podem ser deduzidas da base de cálculo do IR até o limite de 12% da renda bruta, porém no resgate ou recebimento do benefício, o IR incidirá sobre todo o montante recebido pelo participante. O PGBL é um plano de previdência com cobertura por sobrevivência indicado aos consumidores que preencham a declaração de ajuste anual do imposto de renda para pessoas físicas (I.R.P.F.), devendo-se ter em mente que podem ser utilizados para redução da base de cálculo do IR, limitado a 12% da renda bruta anual. Dessa forma, quando do recebimento de resgate ou benefício pago sob a forma de renda ou pagamento único, a alíquota do IR incidirá sobre o montante total recebido incluindo aí as contribuições e rentabilidade. O próprio Regulamento do Plano PGBL , a Lei nº 11.053/2004 e a IN Conjunta SRF, SPC e SUSEP nº 524/2005 . RESUMINDO: Fonte: SUSEP – Superintendência de Seguros Privados

Malditas correntes...

Em primeiro lugar quero frizar minha opinião: Corrente é Crime e Furada! O post é BEM longe, mas de leitura instrutiva. Hoje recebi este e-mail de um amigo: existe uma logica................. bom eu fiz a minha parte...se não ter certo ..perdi 30,00........ Bem-vindo(a) ao Correio de 5 Reais® O milagre da multiplicação em geração de riqueza® Caro(a) amigo(a), Ø Este é o Correio de 5 Reais® : Você envia 5 reais por carta a 6 pessoas cujos nomes e endereços aparecem em uma lista; Ø Depois você muda a lista: inclui seu nome e endereço e a envia com este programa por email a no mínimo 300 pessoas, que seguirão estas mesmas instruções por 6 fases sucessivas; Ø Seu trabalho se encerra aqui. Tudo o que resta a fazer é esperar por uma avalanche de cartas valendo dezena $ de milhare $ de reai $ chegar na sua caixa de correio. Que tal R$999.180 ? E isso só para começar! Seus lucro $$$ podem chegar a R$61.021.200 , ou até mais! Seus lucro $$$ não têm limite Você fará acontecer! Este programa é tão inacreditavelmente simples! Na verdade ele é auto-explicativo: Depois de você enviar as cartas e transmitir os emails, não haverá mais nada, nada mesmo, a fazer. Você só precisa dar o ponta-pé inicial - Uma vez iniciado, o Correio de 5 Reais® gerará lucros para você automaticamente! Tudo o que resta a fazer é literalmente esperar o dinheiro chegar na sua caixa de correio! Envie R$5 e lucre $$$ A porta para sua liberdade financeira está bem em frente dos seus olhos! Esta é a máquina de fazer dinheiro pela qual você e eu temos esperado por todas as nossas vidas! Você fará acontecer! Caro(a) amigo(a), mudar sua situação financeira exige ação imediata. O dinheiro não vai simplesmente cair no seu colo se você não agir! Portanto, não adie mais. Aja agora! VOCÊ FAZ SEUS PRÓPRIOS LUCRO $$$ Suponhamos que você envie 300 emails e que cada um de seus respondentes também envie a mesma quantidade e que todos vocês obtenham retorno de 3% . Nesse caso, o valor total acumulado que cada um de vocês receberá será de R$999.180! Veja o exemplo abaixo: -Fase 1 - Você envia 300 emails; 9 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$45 ; -Fase 2 - 9 pessoas enviam 300 emails cada; 81 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$405 ; -Fase 3 - 81 pessoas enviam 300 emails cada; 729 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$3.645 ; -Fase 4 - 729 pessoas enviam 300 emails cada; 2.187 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$10.935 ; -Fase 5 - 2.187 pessoas enviam 300 emails cada; 19.683 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$98.415 ; -Fase 6 (última fase) - 19.683 pessoas enviam 300 emails cada; 177.147 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$885.735 . Neste ponto, fase 6, seu nome é deletado da lista, mas você terá acumulado R$999.180! E R$999.180 só para começar! Seus lucro $$$ não têm limite Se, em vez de 300 emails , você e todos os demais enviarem 500 emails , cada um de vocês receberá o incrível total acumulado de R$61.021.200! Tudo depende de quantos emails cada pessoa enviar e do retorno que obtiver. Quanto mais emails você enviar, mais dinheiro receberá. Faça os cálculos você mesmo(a)! Tenho certeza absoluta de que esses números estão 100% corretos. Sempre funciona! E tudo isso pelo investimento total de R$30 mais a despesa de correio para enviar as 6 cartas. É o preço de um almoço! Onde mais neste planeta você consegue um negócio como este? Um negócio que pode e vai mudar sua vida para sempre! Sua total independência financeira! Pense bem! Quanto tempo você terá de trabalhar para ganhar R$100.000, R$300.000, R$1.000.000? Entrando neste Correio de 5 Reais® você só vai precisar de umas poucas horas de seu tempo livre e sua vida pode e vai mudar para sempre! Não deixe essa incrível chance passar! Você vai se arrepender depois! Portanto, caro(a) amigo(a), siga as simples instruções abaixo, não mude nada além da ordem dos nomes, conforme explicado, e faça deste programa a maior transformação das nossas vidas! Correio de 5 Reais®: O Programa "Aqui vinha a lista das pessoas, omito os nomes para não difamá-las" Envie 5 reais por carta a cada uma dos 6 participantes acima. Embrulhe o dinheiro em uma folha de papel na qual você escreverá a expressão "favor colocar meu nome na sua lista de correspondência". Depois disso, suba o nome de cada um dos beneficiários uma posição, da seguinte maneira: § Delete o nome da posição 1 (este participante já passou por todas as 6 fases do programa e deve agora sair da lista); § Suba o nome da posição 2 para a posição 1; § Suba o nome da posição 3 para a posição 2; § Suba o nome da posição 4 para a posição 3; § Suba o nome da posição 5 para a posição 4; § Suba o nome da posição 6 para a posição 5; § Coloque seu nome e endereço na posição 6. Ø Essa alteração na posição dos nomes e a inclusão do seu é a única mudança a ser feita. Seu nome deve ser colocado na posição 6. Caso você o coloque em outra posição, você não passará por todas as 6 fases do programa e não receberá o dinheiro que deveria receber. Você começará na posição 6, depois subirá sucessivamente para as posições 5, 4, 3, 2 e 1, quando seu nome será deletado da lista, mas sua caixa de correio estará abarrotada de cartas de dinheiro. Ø Envie o máximo de emails que puder deste programa com sua nova lista. Quantos? Quanto mais emails você enviar, mais dinheiro receberá. E como conseguir as pessoas para entrar no Correio de 5 Reais® ? Você pode fazer isso de várias maneiras: Mostre o programa a familiares e amigos, envie-o a pessoas cujos emails você já tem, obtenha listas de emails pela internet, etc. As possibilidades são inúmeras. Ø Seu trabalho se encerra aqui. Não haverá mais nada para fazer. Nunca mais. Agora tudo o que você terá de fazer é literalmente esperar que chovam cartas de dinheiro na sua caixa de correio! Parabéns por entrar no Correio de 5 Reais® ! "A maior piada é o símbolo de marca registrada" Então encontrei este site na web que expressa de excelente forma o que penso: http://www.portaldigidesign.com.br/forum/index.php?act=ST&f=32&t=2857 Correntes Pirâmide: Prática Criminosa. Este esquema de ganhar dinheiro em que a pessoa "investe" R$6,00 ou R$7,00 iniciais, para o qual cada um inventa um nome, chama-se CORRENTE DA PIRÂMIDE, e é uma prática criminosa. ASPECTOS CRIMINAIS PRESENTES NESTE ESQUEMA: a) Estelionato, b) Propaganda enganosa (poucas pessoas atingem o prometido), c) Crime contra a economia popular, haja vista existam muitas pessoas sem o necessário preparo para analisar o esquema e tornam-se vítimas fáceis dos espertalhões, d) Incitação à formação de quadrilha de estelionatários, ao convidar outras pessoas para integrar a rede de pessoas. e) E a questão da Receita Federal onde não poderá ser declarada a prometida renda milionária, se for alcançada por alguém. Basta alguém, que entrou na Corrente, e que se sentiu prejudicado(a), ou que foi aliciado(a) à prática do crime, fazer uma representação contra o(a) aliciador(a) junto a Justiça, e o(a) aliciador(a) será preso(a) em flagrante. Pois as cartas, postal ou eletronicamente distribuídas, para conhecidos, desconhecidos, de forma indiscriminada, são provas objetivas, haja vista nelas estejam os nomes, contas bancárias listadas, e o IP do computador de onde cada aliciador(a) enviou as suas cartas por e-mail. Considere que você não é o primeiro da lista, pois você já recebeu a mensagem de outra pessoa e essa pessoa já a recebeu de outra pessoa que a recebeu de outra pessoa e assim por diante. Portanto, existem outros níveis nessa pirâmide. O quadro abaixo apresenta a quantidade de participantes com quinze níveis de propagação. Propagação de uma pirâmide. A primeira coluna da esquerda na vertical (N) são os níveis da pirâmide As coluna seguinte (P) são os novos participantes seguindo as indicações de cada participante A terceira coluna (T) é o total de participantes somando-se os participantes dos níveis anteriores. N P T 1 1 1 2 5 6 3 25 31 4 125 156 5 625 781 6 3.125 3.906 7 15.625 19.531 8 78.125 97.656 9 390.625 488.281 10 1.953.125 2.441.406 11 9.765.625 12.207.031 12 48.828.125 61.035.156 13 244.140.625 305.175.781 14 1.220.703.125 1.525.878.906 15 6.103.515.625 7.629.394.531 No décimo quinto nível serão 7.629.394.531 esperançosos participantes da pirâmide. Alguma coisa estranha? Em 30 de setembro de 2003, estimava-se que a Terra possuía 6.320.736.741 habitantes. Mas fiquemos no nível 10 que é pouco menos que a população do estado de Mato Grosso segundo o censo de 2000 (2.504.353 habitantes). Todos os 2.441.406 participantes têm a ilusão e a esperança de receber os valores prometidos. Nada mais justo, não é mesmo? Se cada um dos 2.441.406 participantes dessa pirâmide da alegria recebesse um certo valor, digamos, por baixo R$ 5.866,00, então o o capital envolvido seria a interessante quantia de R$ 14.321.287.596,00. Quanto? Isso: mais de catorze bilhões de reais!!! Só como termo de comparação: durante o período mais intenso de ataques ao Afeganistão, os EUA gastavam cerca de 33 milhões de dólares por dia. Nesse período, o dispêndio mensal com a guerra era de cerca um bilhão de dólares, ou seja, em câmbio atual, cerca de 2,2 bilhões de reais. Mais umas cifras para comparação: 30 bilhões de dólares é o que o FMI concedeu de empréstimo ao Brasil em agosto de 2002. O empréstimo veio em módicas parcelas, a primeira delas de U$3 bilhões ou R$ 6,6 bilhões. Você aprecia grandes números? Então multiplique 14.321.287.596,00 por doze e terá R$ 171.855.451.152,00 : é o valor envolvido em um ano de depósitos bancários nas contas de muitos felizardos como você. Só como exercício: veja como as coisas ficariam ao se considerar o nível 15: 7.629.394.531 participantes 7.629.394.531 x 5.866. Não faço as contas para você porque a minha calculadora não suporta tanto número e tanto dinheiro e colocou uns símbolos meio esquisitos no visor dela. Talvez ela não esteja habituada a ver tanto dinheiro assim. A culpa é minha, pois eu deveria fazê-la calcular números bem maiores do que os que passam por minha modesta conta bancária pra ela ir se habituando, aos poucos, com esses bilhões. Nunca perca a esperança nos resultados do trabalho sério e honesto. (Este texto foi extraído da internet de um site o qual não estou lembrado. Isso não importa muito, porque os números não se enganam, mostram uma realidade que não tem como negar. Basta fazer um simples cálculo.. muito simples mesmo... pra provar que numa pirâmide em que cada pessoa apresenta dez outras, o décimo nível deverá ter 1 bilhão de pessoas. E o décimo primeiro nível, 10 bilhões, mais do que a população total da Terra!!!! Outra coisa... se 10 pessoas colocam cada uma R$1,00 numa caixa, o montante deverá ser de R$10,00, não é mesmo??? Se uma pessoa receber R$3,00 não sobrarão apenas R$7,00 para dividir entre as outras nove???? Então está provado o golpe!!! Alguém tem que sair perdendo pra outro poder colocar o dinheiro fácil e ilegal no bolso... Sinto pena das muitas pessoas que se desiludem no 4º ou 5º depósito bancário vendo que não há retorno, acabam desistindo. Seu dinheiro com certeza foi parar no bolso de alguém, e não volta mais.) Eu não sou advogado de defesa e nem promotor pra acusar ninguém. Eu simplesmente coloco a minha opinião. Se alguém quiser mesmo assim entrar para essas correntes, tem toda a liberdade e o direito de decidir o que acha melhor pra si. Mais alguma coisa a respeito do assunto pode ser encontrada na internet em sites de empresas de grande credibilidade e idoneidade: Por exemplo este artigo no site do banco HSBC: http://www.hsbc.com.br/common/seguranca/artigo-seguranca-tipos-fraude-e-mail-parte2.shtml Sugiro que baixem ainda a cartilha de segurança na internet, com dicas essenciais para se proteger na rede: http://cartilha.cert.br/download/cartilha-04-fraudes.pdf Quanto ao artigo para mostrar que isso é crime, um deles está na Lei nº 1.521, de 26 de Dezembro de 1951 que trata de crimes contra a economia popular. O artigo IX é muito claro com relação a isso: QUOTE IX - obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos ("bola de neve", "cadeias", "pichardismo" e quaisquer outros equivalentes); A lei é clara: sistemas de renda "bola de neve", "cadeia", ou "pirâmide" como é comumente chamado, é crime contra a economia popular! Além do citado acima, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) no Artigo 37 estabelece: QUOTE "Art. 37. É proibida toda publicidade enganosa ou abusiva. § 1° É enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir ao erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços." Você não tem razão quando diz que ninguém é forçado a participar. O que acontece na verdade é que as pessoas são iludidas a participar devido à promessa de dinheiro fácil! Como diz a lei, as pessoas são induzidas ao erro . Quem quiser participar que participe! Mas na melhor das hipóteses vai perder dinheiro, na pior, poderá se ver ligado a procedimentos ilegais e criminosos. Consulte a Lei Federal 1.521/1951 na íntegra no link abaixo: http://www.procon.sp.gov.br/texto.asp?id=748 Consulte o Código de Defesa do Consumidor no link abaixo: http://www.mj.gov.br/dpdc/cdc.htm Você pode verificar as recomendações dos links que postei acima. Como o do site do HSBC: http://www.hsbc.com.br/common/seguranca/artigo-seguranca-tipos-fraude-e-mail-parte2.shtml e da Cartilha de Segurança na Internet: http://cartilha.cert.br/download/cartilha-04-fraudes.pdf