in

CarlosFPRocha.com

Sua fonte de informações

Reflexões e Citações

  • Reflexão sobre o funcionamento das receitas de uma operadora de cartões de crédito

    Uma operadora de cartões de crédito possui algumas receitas, então vejamos as quatro principais: Anuidade ou mensalidade : taxa cobrada dos detentores de seus cartões, similar à taxa cobrada pelos clubes, de seus sócios; Taxa de desconto : os lojistas pagam um percentual do valor da transação, como comissão para a operadora, por facilitar a operação. Como este valor é descontado do montante da transação realizada, comporta-se da mesma forma que uma taxa de desconto. O percentual varia de acordo com a operadora e com o ramo de atividade da empresa. O repasse é feito em trinta dias a contar da data da operação, por isso operações com cartão de crédito são tratadas como vendas a prazo, pelos comerciantes; Rendimento financeiro : Quando ocorre de o cliente do cartão pagar sua fatura antes do prazo definido para o repasse ao lojista, a administradora pode obter retornos financeiros em aplicações, porém o prazo médio de pagamento dos clientes de cartões de crédito é de 26 dias, ou seja, em média sobram quatro dias. Caso a emissora do cartão, não seja a administradora dele, esta terá de repassar os valores para a administradora com dois dias de antecedência à data de pagamento ao lojista, ficando desta forma com apenas dois dias para investir. Se formos considerar que o IOF sobre aplicações incidente em dois dias é de 93% e que depois de deduzi-lo ainda terá de recolher o IRRF de 22,5% sobre o rendimento da aplicação, chegamos à conclusão que na maioria dos casos, o rendimento líquido será de apenas 5,43% (100% – 93% = 7% – 22,5% = 5,43%) da taxa paga pela aplicação, ou seja, só será interessante, caso o volume de dinheiro seja muito alto. Desta forma, havendo aplicação financeiro, o maior beneficiário será o governo; Juros sobre o crédito rotativo : Quando um dos clientes do cartão, deixa de pagar a sua fatura no prazo, ou efetua um pagamento inferior ao total dela, há incidência de juros sobre o saldo devedor, porém a administradora precisa pagar ao lojista no mesmo prazo. Desta forma, quando a administradora pertence a um banco, ela possui a possibilidade de emitir um título de dívida (Ex.: CDB) para captar recursos a taxas muito baixas e financiar o pagamento do lojista a esta taxa, ficando então com a diferença entre a taxa cobrada de seu cliente e a paga pelo título. Por outro lado, quando falamos apenas de um emissor de cartão, que não seja a administradora dele (Ex.: Nubank, Digio, etc) nem um banco de investimentos ou múltiplo, ele não terá esta opção de captar recursos a taxas baixas, tendo que buscá-los à taxas de mercado, reduzindo drasticamente o seu spread. Agora, o que acontece se alterarmos esta relação, por exemplo, fazendo com que o pagamento ao lojista seja realizado em dois dias, mas mantendo o recebimento do cliente em 26 dias (médio)? A operadora passa a ter de financiar os pagamentos de todos os seus clientes, não apenas daqueles que não quitam a fatura na data de seu vencimento.
  • PGBL ou VGBL: Qual devo escolher?

    Esta é uma pergunta muito comum, mas sua resposta não é das mais simples, pois depende de alguns fatores. Então para chegarmos na resposta, começaremos entendendo um pouco mais dos dois modelos, para apenas depois, chegar à nossa decisão. VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres) é um seguro de vida, com opção de resgate em parcelas mensais, ou parcela única, após um período de carência. Tendo em vista esta característica, os pagamentos realizados pelos segurados a estes planos, são tratados como prêmios de seguro e, portanto, não dedutíveis do imposto sobre a renda. Por outro lado, quando chegar o momento de receber os benefícios, o segurado será tributado pelo imposto sobre a renda apenas sobre os rendimentos, não havendo qualquer incidência de imposto sobre o somatório das parcelas pagas por ele. PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) é um plano de previdência complementar, com opção de resgate em parcelas mensais, ou parcela única, após um período de carência. Tendo em vista esta característica, os pagamentos realizados pelos participantes destes planos são tratados como contribuições para a previdência complementar e, portanto, dedutíveis do imposto sobre a renda até o limite de 12% da receita bruta anual do contribuinte. Quando chega o momento de receber os benefícios, os participantes serão tributados no total dos valores recebidos, ou seja, serão tributados tanto sobre os rendimentos, quanto sobre a devolução dos valores pagos por eles. Isto não chega a ser de todo ruim, pois apesar de pagar imposto sobre a devolução dos valores pagos, estes serviram de dedução na época em que foram pagos. Outro ponto importante a ser considerado é que a dedução de 12% não é por plano, mas sim total para as contribuições complementares, isso significa que se o investidor possuir mais de um plano de previdência complementar, pode não conseguir deduzir os 12% de todos eles. Também vale destacar que estas deduções só são possíveis para os contribuintes que fazem a declaração de imposto de renda pelo modelo completo, não havendo qualquer benefício fiscal para quem declara pelo modelo simplificado. Maravilha, agora que sabemos como cada um deles funciona, vamos decidir qual o melhor para cada perfil de investidor. De acordo com a análise realizada acima, nos foi possível identificar que a diferença reside mesmo na forma de tributação dos planos, portanto os planos VGBL são os mais recomendados para aquelas pessoas que já atingiram ao limite de dedução de 12% da renda bruta anual, ou que realizam a declaração de imposto de renda pelo modelo simplificado, sendo o PGBL mais indicado para os demais investidores. Quais outros fatores devem ser considerados na decisão? ITENS A OBSERVAR O QUE SABER E OBSERVAR PARA MAIS INFORMAÇÕES, CONSULTE: REGULAMENTO Leia atentamente o Regulamento do Plano, lembrando que a assinatura da proposta de inscrição implica na automática adesão do proponente aos termos do regulamento do plano , e no caso de planos coletivos, no cumprimento das condições previstas no contrato. O REGULAMENTO é o instrumento jurídico que disciplina os direitos e obrigações das partes contratantes. O regulamento atualizado do plano será colocado à disposição do proponente, previamente à contratação, sendo obrigatoriamente remetido ao participante no ato da inscrição, como parte integrante da proposta de inscrição. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 63, 64, 65, 66 e 68 da Circular SUSEP nº 338/2007. PROPOSTA DE INSCRIÇÃO Documento em que o proponente, pessoa física, expressa a intenção de contratar uma cobertura (ou coberturas) ou aderir à contratação sob a forma coletiva, nela manifestando pleno conhecimento do regulamento. Na proposta de inscrição deve constar, entre outras informações: denominação e CNPJ da entidade; nº do processo SUSEP de aprovação do plano; denominação, CNPJ e taxa de administração do(s) FIE(s) vinculados ao plano, percentual ou valor de carregamento e ou tabela adotada para sua incidência, forma e critério para sua cobrança; data prevista para concessão do benefício e modalidade de renda contratada; períodos de carência; nome e nº do registro do corretor, quando for o caso; etc. O próprio Regulamento do Plano PGBL , o art. 59 da Circular SUSEP nº 338/2007 e o inciso XXXII do art. 5º da Resolução CNSP nº 139/2005 . FASE DE PAGAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES (PERÍODO DE DIFERIMENTO DO PLANO) CARREGAMENTO O carregamento é a importância destinada a atender às despesas administrativas e de comercialização do plano, sendo os percentuais máximos conforme norma vigente, os seguintes: - Para planos com Contribuição Variável pode-se cobrar no máximo 10% da contribuição; - Para os planos em Benefício Definido pode-se cobrar no máximo 30% da contribuição. O carregamento poderá ser cobrado na data de pagamento da respectiva contribuição, exclusivamente sobre o valor pago, e/ou no momento do resgate ou da portabilidade, nestes casos, sobre a parcela do valor do resgate ou sobre a parcela dos recursos portados correspondente ao valor nominal das contribuições pagas. Desta forma, cabe ao consumidor pequisar atentamente o menor percentual de carregamento e critério de incidência mais adequado, lembrando que o CARREGAMENTO não retorna ao participante sob a forma de benefício ou sob outra forma qualquer. Os planos PGBL são estruturados na modalidade CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL, portanto o carregamento máximo é de 10%. O próprio Regulamento do Plano PGBL , os arts. 11 e 12 da Circular SUSEP nº 338/2007 e os arts. 37, 38, 39 e 40 da Resolução CNSP nº 139/2005 . MODALIDADE DE APLICAÇÃO FUNDO DE INVESTIMENTO - FIE Os planos podem ser dos tipos: • Somente Títulos Públicos de Renda Fixa - investimentos em títulos do Tesouro Nacional e/ou Banco Central; • Renda Fixa Crédito Privado - investimentos em títulos do Tesouro Nacional e/ou Banco Central e outro de renda fixa; • Multimercado incluindo Renda Variável - investimentos em renda variável limitado a 49% do patrimônio do fundo. O participante deve atentar para a política de investimento do fundo, para o tipo de aplicação que mais se enquadra com seu perfil, observando os percentuais mínimos e máximos de aplicação em renda variável. Deve-se levar em conta que, na fase de pagamento das contribuições do Plano PGBL (período de diferimento ou de acumulação, antes de receber o benefício), não há garantia de rentabilidade, podendo até ser negativa. Deve-se comparar também a taxa de administração dos fundos. Sempre que solicitado, a Entidade fornecerá ou colocará à disposição do participante exemplar do regulamento atualizado do(s) respectivo(s) FIE(s), bem como dados institucionais e de desempenho do(s) FIE(s), nos quais estão aplicados os recursos pela EAPC no período de diferimento. O próprio Regulamento do Plano PGBL , o inciso I do art. 2º da Circular SUSEP nº 338/2007 e o inciso I do art. 7º da Resolução CNSP nº 139/2005 . PRAZO DE CARÊNCIA Período em que não se aceitam os pedidos de resgate ou portabilidade. Deve-se atentar que a norma prevê o estabelecimento em contrato de Resgate Total com no mínimo 60 dias e no máximo 24 meses a partir da contratação e de Resgate Parcial com intervalos entre 60 dias e 6 meses. Já para portabilidade o período de carência é de 60 dias a partir da contratação. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 19 e 27 da Circular SUSEP nº 338/2007 . RESGATE Cumprido o prazo de carência, ao ser solicitado o resgate, seu cálculo será realizado no 2º dia útil posterior à data determinada pelo participante. Já o pagamento deve ser efetivado até o 5º dia útil a partir do pedido do participante . Por fim, só poderá ser cobrado carregamento postecipado, se previsto no regulamento do plano, quando do pagamento do resgate. À época da efetivação do resgate ou da portabilidade, a EAPC deverá informar ao participante, por escrito, quanto do valor resgatado ou portado refere-se ao valor nominal das contribuições pagas e o respectivo valor do carregamento. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 22 e 24 da Circular SUSEP nº 338/2007 . PORTABILIDADE Cumprido o prazo de carência, ao ser solicitada a portabilidade, seu cálculo será realizado no 2º dia útil posterior à data determinada pelo participante. Já a transferência dos recursos pela cedente deve ser efetivada até o 4º dia útil ou 5º dia útil para planos aprovados antes de 30/01/2007. Esses recursos devem ser recepcionados pela cessionária na Provisão Matemática de Benefícios a Receber até o 2º dia útil da disponibilidade. Por fim, a cedente só poderá cobrar tarifa bancária e o carregamento postecipado, se previstos no plano. O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 27 a 36 da Circular SUSEP nº 338/2007 . CARTA AO PARTICIPANTE COM ANTECEDÊNCIA DE 90 DIAS DA DATA DA CONCESSÃO DO BENEFÍCIO Com antecedência mínima de 90 (noventa) dias em relação à data prevista para concessão do benefício, a EAPC comunicará, por escrito, ao participante, mediante carta com aviso de recebimento, algumas informações para a tomada de decisão, sendo as principais elencadas a seguir: número do processo no qual o plano foi aprovado pela SUSEP; taxas de juros e tábuas biométricas, a serem utilizadas para cálculo do benefício sob a forma de renda e o respectivo fator de cálculo; índice e critério contratados para atualização de valores durante o período de pagamento do benefício de renda; o saldo acumulado na provisão matemática de benefícios a conceder; o valor do benefício estimado com base na provisão constituída ; a data contratada para pagamento do benefício; informação quanto à existência de reversão de resultados financeiros na fase de benefícios, quando prevista; percentual de reversão; etc. Esse comunicado tem o objetivo de prestar informações do plano para que antes da fase de concessão de benefício, os participantes tenham a chance de comparar os parâmetros técnicos do seu plano com o de outros produtros existentes no mercado, e decidir por portar seus recursos caso encontre melhores condições em outro plano . Nesse período, o participante poderá também alterar a modalidade de renda inicialmente contratada ou ainda decidir pelo resgate dos recursos acumulados. Deve-se comparar as condições dos planos, atentando-se principalmente para a taxa de juros oferecida e percentual de reversão dos resultados financeiros que serão aplicados na fase de concessão do benefício . Caso encontre melhores condições, o participante poderá efetivar a portabilidade dos recursos para o plano mais conveniente antes da fase de concessão do benefício do plano inicialmente contratado. Destaca-se que na fase em que o participante assistido se encontrar em gozo de benefício, INEXISTE a opção pelo resgate ou portabilidade. O próprio Regulamento do Plano PGBL e o art. 49 da Circular SUSEP nº 338/2007 . FASE DE RECEBIMENTO (CONCESSÃO) DO BENEFÍCIO MODALIDADE DE RENDA No PGBL o evento gerador do pagamento do benefício será sempre a sobrevivência do participante ao período de diferimento contratualmente previsto. Desde que previsto no regulamento do plano, o participante poderá contratar modalidades de renda, dentre as quais destacam-se: Renda mensal vitalícia Renda mensal temporária Renda mensal vitalícia com prazo mínimo garantido Renda mensal vitalícia reversível ao beneficiário indicado Renda Mensal vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores Renda Mensal por prazo certo Deve-se destacar que a escolha pela Renda mensal vitalícia, no caso do óbito do participante, após o início da percepção ao benefício de renda, não dá direito aos seus beneficiários de recebimento de qualquer valor. O próprio Regulamento do Plano PGBL e o art. 2º da Resolução CNSP nº 139/2005 . PARÂMETROS TÉCNICOS DOS PLANOS NA FASE DE CONCESSÃO DO BENEFÍCIO São observados os seguintes parâmetros na definição do plano na fase de concessão do benefício: • Índice de atualização - atualmente são os índices de preços estabelecidos na Circular SUSEP nº 255/2004 • Taxa de juros - garantia de remuneração estabelecida contratualmente, observado o máximo de 6% ao ano • Tábuas biométricas - tabelas que contém a taxa de mortalidade • Resultados Financeiros - valor da diferença entre o patrimônio do fundo - FIE e o saldo da PMB - Provisão Matemática de Benefícios O próprio Regulamento do Plano PGBL e os arts. 9º ao 18 da Resolução CNSP nº 139/2005 . ATUALIZAÇÃO DO BENEFÍCIO DE RENDA CONCEDIDO O benefício de renda será atualizado anualmente com base no índice de preço constante do regulamento do plano. O critério de atualização do benefício deverá constar da proposta de inscrição, do regulamento e, no caso de plano coletivo, do contrato. O próprio Regulamento do Plano PGBL , o art. 10 da Resolução CNSP nº 139/2005 e a Circular SUSEP nº 255/2004 . TAXA DE JUROS E TÁBUA BIOMETRICA Destaca-se que na fase de pagamento do benefício do Plano PGBL existe garantia de atualização monetária por índice de preço e taxa de juros, a qual pode variar de 0% a 6% ao ano. O índice de atualização anual do benefício e a taxa de juros adotados na fase de concessão do beneficios constam do regulamento do plano. Ao término do período de diferimento calcula-se o benefício de renda com base nos seguintes parâmetros: provisão matématica acumulada, tábua biométrica, idade do participante, e taxa de juros. Fixando o valor da provisão acumulada, a tábua e a idade do participante, calcula-se o maior valor de benefício quanto maior for a taxa de juros. Desta forma, o participante deve atentar para o plano que ofereça a maior taxa de juros, verificando os demais parâmetros. Quanto à tábua biométrica, deve-se observar que o limite máximo para a taxa de mortalidade é a da tábua AT-1983 Male. Quanto à tábua biométrica deve-se observar ainda, que há planos com as tábuas brasileiras que prevêem atualização das taxas de mortalidade a cada 5 anos. O próprio Regulamento do Plano PGBL , os arts. 9º e 11 da Resolução CNSP nº 139/2005 e a Circular SUSEP nº 404/2010 . RESULTADOS FINANCEIROS A reversão de resultados financeiros, caso contratada, dar-se-á a partir da data de concessão do benefício, pelo prazo e pela periodicidade estabelecidos no regulamento plano. O saldo da provisão técnica de excedentes financeiros (observados à época a periodicidade e o prazo de duração convencionados no regulamento do plano) será: pago diretamente ao assistido; ou revertido à provisão matemática de benefícios concedidos, de maneira a proporcionar aumento ao benefício pago sob a forma de renda. A periodicidade de reversão não pode ultrapassar 5 (cinco) anos civis consecutivos. Por fim, em relação aos resultados financeiros, deve-se observar se o plano prevê a reversão dos resultados financeiros, e qual o percentual de reversão e a respectiva periodicidade, sendo mais vantajoso o plano que possuir maior percentual de reversão, com menor periodicidade de repasse. O próprio Regulamento do Plano PGBL e o art. 6º e inciso II do 45 da Resolução SUSEP nº 139/2005 . TRIBUTAÇÃO No caso do PGBL, as contribuições pagas podem ser deduzidas da base de cálculo do IR até o limite de 12% da renda bruta, porém no resgate ou recebimento do benefício, o IR incidirá sobre todo o montante recebido pelo participante. O PGBL é um plano de previdência com cobertura por sobrevivência indicado aos consumidores que preencham a declaração de ajuste anual do imposto de renda para pessoas físicas (I.R.P.F.), devendo-se ter em mente que podem ser utilizados para redução da base de cálculo do IR, limitado a 12% da renda bruta anual. Dessa forma, quando do recebimento de resgate ou benefício pago sob a forma de renda ou pagamento único, a alíquota do IR incidirá sobre o montante total recebido incluindo aí as contribuições e rentabilidade. O próprio Regulamento do Plano PGBL , a Lei nº 11.053/2004 e a IN Conjunta SRF, SPC e SUSEP nº 524/2005 . RESUMINDO: Fonte: SUSEP – Superintendência de Seguros Privados
  • Imposto de Renda 2016: 15 dicas para evitar a malha fina

    A entrega da declaração do Imposto de Renda (ano base 2015) já iniciou, mas a maioria dos contribuintes ainda não enviou as suas declarações, então aqui vão algumas dicas para evitar dor de cabeça no momento de preenche-la. Em 2016, o prazo final para entrega da declaração será o dia 29 de abril. Para que você não caia na malha fina e evite dor de cabeça com a declaração, o mestre em finanças e professor da Estácio (Fargs), Carlos Paleo da Rocha, dá dicas valiosas de como fazer a sua declaração. De qualquer forma, os contribuintes podem se preparar para pagar mais Imposto de Renda este ano e há dois motivos para isso. Novamente, o Congresso propôs correção de 6,5%, o que não seria o suficiente ainda, até mesmo porque o próprio salário mínimo aumentou mais de 11% e todos os acordos coletivos seguiram percentuais próximos deste. De qualquer forma o governo só concedeu os 6,5% para as duas primeiras faixas, ficando com 5,5% para a terceira faixa, 5% para a quarta e 4,5% para a quinta. Isto significa, que novamente a mordida do leão será mais forte, ao que de certa já estamos nos acostumando, pois acontece todos os anos. Os profissionais da saúde (médicos, psicólogos, odontólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais) e advogados. que prestam serviços para pessoas físicas, deverão informar os seus rendimentos por CPF, discriminando o CPF da pessoa para quem prestaram o serviço e o CPF da pessoa que efetuou o pagamento, mês a mês, o que permitirá evitar a retenção em malha de milhares de declarantes. A tabela progressiva para o cálculo do imposto será a seguinte: Base de cálculo em R$ Alíquota (%) Parcela a deduzir do imposto em R$ Até 22.499,13 - - De 22.499,14 até 33.477,72 7,5 1.687,43 De 33.477,73 até 44.476,74 15,0 4.198,26 De 44.476,75 até 55.373,55 22,5 7.534,02 Acima de 55.373,56 27,5 10.302,70 Aqui seguem algumas para reduzir a chance de cair na malha fina: 1) Organize todos seus comprovantes, principalmente os referentes a gastos com educação e saúde, que podem precisar de comprovação; 2) Declare todos os rendimentos recebidos - sejam eles salários, proventos, aposentadoria, pró-labores, aluguéis e outros; 3) Declare o rendimento do cônjuge quando a declaração for em conjunto; 4) Declare o resultado da subtração entre os rendimentos tributáveis e os rendimentos isentos e não tributáveis. Ambos são informados no comprovante de rendimentos fornecidos pela fonte pagadora (empresa); 5) Digite a vírgula como separador de centavos, jamais o ponto - O programa gerador da declaração não considera o ponto como separador de centavos, fazendo com que o valor fique errado; 6) Declare prêmios de loterias e de planos de capitalização na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”; 7) Declare planos de previdência complementar na modalidade PGBL como dedutíveis, até o limite 12% do rendimento tributável declarado. A legislação não permite dedução de planos de previdência complementar na modalidade VGBL; 8) Não declare doações a entidades assistenciais - A legislação só permite doações efetuadas diretamente aos fundos controlados pelos Conselhos Municipais, Estaduais e Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e limitadas em até 6% do imposto devido; 9) Não declare o 13º salário como rendimento tributável. Ele é um “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”; 10) Declare os ganhos ou perdas de renda variável, quando operar em bolsa de valores; 11) Não declare despesas com planos de saúde de dependentes não relacionados na declaração do IR. O contribuinte, titular de plano de saúde, não pode deduzir os valores referentes ao cônjuge e aos filhos quando eles declaram em separado. Só são dedutíveis na declaração os valores pagos a planos de saúde de pessoas físicas consideradas dependentes pela legislação, incluídas na declaração do responsável. O mesmo vale para os demais pagamentos a profissionais da saúde. Por exemplo, se o contribuinte para as sessões de terapia de um sobrinho, não poderá deduzir este valor no seu IRPF, a não ser que o mesmo viva sob sua dependência econômica, conforme previsto na legislação. O simples fato de efetuar o pagamento não gera o direito à dedução; 12) Declare os ganhos ou perdas de capital quando são vendidos bens e direitos. 13) Doações em dinheiro não são tributáveis pelo Imposto de Renda, porém requerem o pagamento do imposto estadual chamado de Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD), que oscila em torno de 4% do valor recebido em doação de acordo com o estado. Quem paga o ITCD é o doador. 14) Caso tenha usado saldo de FGTS para amortizar o seu financiamento de imóvel, deverá acrescer no valor do bem a importância para, mais o saldo do fundo usado e adicionar o valor usado do fundo na ficha de Rendimentos Isentos e não tributáveis, na linha 3. 15) Pensões alimentícias são consideradas rendimentos tributáveis, sujeitas à tributação tanto pelo Carnê Leão (recolhimentos mensais), quanto na declaração de ajuste e caso tenham sido recebidas de forma acumulada (em função de ações judiciais), este montante deve ser declarado no mês do efetivo recebimento, sendo oferecido à tributação, pela tabela progressiva. Como haverá uma tributação maior sobre rendimentos acumulados (em função da mudança de faixa na tabela), deve ser pleiteado na ação, um acréscimo no valor a ser recebido, para que a tributação adicional seja compensada, não fazendo com que a pensão seja reduzida em função do pagamento de impostos.
  • O que fazer com o 13º salário? (2015)

    No final do ano chega o tão esperado 13º salário e a principal pergunta é sempre, o que fazer com ele. Estas dicas simples devem ajuda-lo: O primeiro passo sempre será o pagamento de dívidas : avalie tudo o que deve (saldo negativo no banco, cartão de crédito, empréstimos, etc.), coloque estas dívidas em ordem decrescente da taxa de juros cobrada e realize o pagamento da maior quantidade possível delas. Desta forma se possuir o valor suficiente para a quitação das dívidas, terá ao menos quitada as mais caras; Caso tenho conseguido quitar as dívidas, ou não as tenha, agora é hora de pensar no futuro . Como diz o ditado: “Seguro morreu de velho”. Desta forma, pode ser um bom momento para pensar em sua aposentadoria. Nesta época do ano, os planos de previdência privada aceitam aportes complementares de valores, que podem servir tanto para aumentar o seu benefício futuro, quanto para complementar o que ficou faltando por dificuldades financeiras ao longo do ano; Se ainda tiver uma folga financeira, então será hora de focar nas compras de final de ano e férias . Se você conseguiu organizar as suas finanças, é hora de aproveitar um pouco. Então, pesquise preços (vá às lojas físicas e conheça os produtos, depois pesquise seus preços nas lojas online e nas ferramentas de busca de preços, como por exemplo o site Buscapé ( http://www.buscape.com.br ). Então compre no site ou volte à loja e negocie um desconto maior), relacione as despesas de final de ano (festas, presentes, antecipação de IPVA e IPTU) e planeje a sua viagem; A escolha entre um pacote de viagem e adquirir os itens avulsos vai depender do conhecimento que você possui do destino e do tempo que dispõe para isto. Na maioria dos casos sai mais barato adquirir tudo avulso, mas cada caso é um caso e vale a pena pesquisar. Lembre-se sempre que além das despesas com a viagem, precisará considerar alimentação, seguro viagem, aluguel de automóvel, combustível, pedágios, passeios, presentes, etc. Some todos estes itens quando for considerar o seu destino; Se a escolha for viajar para o exterior , considere não realizar compras no cartão de crédito, que possui um IOF de 6,38%. É mais vantajoso comprar a moeda estrangeira aqui, pagando apenas 0,38% de IOF. Informe-se no seu banco sobre a compra de moeda estrangeira, bem como os cartões pré-pagos ou os traveller checks. Em função do risco de andar com muito dinheiro "vivo", o ideal é diversificar entre estes meios de pagamento, chegando a um ponto de equilíbrio entre economia e segurança; Ainda no quesito viagem para o exterior, vale a pena informar-se sobre os limites de isenção nas compras em valor (US$ 300 para viagens por via terrestre e US$ 500 para viagens por via marítima ou aérea) e os limites em quantidade (Ex.: 20 unidades de produtos com preço abaixo de US$ 20, até 10 unidades de produtos idênticos, etc.). Confira as dicas em: http://www.receita.fazenda.gov.br/aduana/viajantes/dicaviajantes.htm ; Quando estamos em viagem sempre é interessante visitar atrações turísticas , mas fique atento que os preços são menores quando compramos os ingressos adiantado. Uma ótima dica é o site City Pass. Eles vendem ingressos para eventos em diversas cidades e por preços bem atraentes ( http://pt.citypass.com/ ); Pense também em espetáculos de teatro que são muito bons. Para estes indico o seguinte site ( http://www.broadway.com/ ); Também não deixe de analisar as promoções em http://www.tripadvisor.com.br/ e http://www.expedia.com.br/ , pois eles costumam ter promoções muito boas; Não torne a volta das férias um amargo regresso, lembre-se que no início de ano sempre temos um aumento de despesas (fatura do cartão das férias, IPVA e IPTU, caso não tenha antecipado, matrículas escolares, etc.), faça uma reserva para isso; Cuidado com a antecipação do 13º . Muitos bancos oferecem esta antecipação, que pode parecer boa, mas tenha cuidado que isto nada mais é do que um empréstimo e como tal terá incidência de juros. Isso só é interessante se você tiver dívidas com juros maiores do que os deste empréstimo, que pretenda quitar com ele; Um pouco mais difícil para alguns, mas também é uma ótima alternativa realizar investimentos com este valor, sim, poupar, nem que seja o que tenha sobrado do 13º. Desta forma a sobra de hoje poderá suprir uma falta de amanhã, ou colaborar com férias ainda melhores no próximo período. Em resumo, a chave para o sucesso é sempre o planejamento prévio , portanto, planeje sempre !
  • Prepare-se com antecedência para preencher a Declaração do Imposto de Renda de 2015

    A entrega da declaração do Imposto de Renda (ano base 2014) só inicia em março, mas o contribuinte já pode começar a se preparar e evitar dor de cabeça no momento de preencher o documento. Em 2015, o prazo para entrega da declaração será do dia 6 de março até 30 de abril. De qualquer forma, os contribuintes podem se preparar para pagar mais Imposto de Renda este ano e há dois motivos para isso. O Congresso aprovou a correção de 6,5%, o que não seria o suficiente ainda, mas amenizaria a situação dos contribuintes, porém a Presidente Dilma vetou o reajuste alegando que traria perda aos cofres do fisco e depois concedeu 4,5%. Apenas para ilustrar, a defasagem pela correção da tabela abaixo da inflação, durante os últimos 19 anos já atingiu 64,3%, ou seja, podemos afirmar que houve um aumento considerável da tributação em função desta defasagem. O segundo motivo é a manutenção de valores baixos como limites para as despesas dedutíveis da base de cálculo do IR, principalmente aquelas referentes a educação e dependentes, que atualmente estão em R$ 3.375,83 e R$ 2.156,52, respectivamente. O que naturalmente é incompatível com a vida no mundo real. Qual efeito isso causa? O contribuinte paga ainda mais imposto. Uma novidade para 2015 é que este ano será possível fazer a declaração online, via e-Cac, desde que o contribuinte possua certificado digital. Contudo, ficam excluídos dos contribuintes que podem usar este sistema aqueles que tiverem auferido os seguintes tipos de rendimentos: 1.1tributáveis: a) recebidos do exterior; b) com exigibilidade suspensa; c) sujeitos ao ajuste anual, cuja soma foi superior a R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais); 1.2 sujeitos à tributação exclusiva /definitiva: a) ganhos de capital na alienação de bens e /ou direitos; b) ganhos de capital na alienação de bens, direitos e aplicações financeiras adquiridas em moeda estrangeira; c) ganhos de capital na alienação de moeda estrangeira em espécie; d) ganhos líquidos em renda variável (bolsa de valores, mercadorias, de futuros e assemelhados e fundos de investimento imobiliário); e) rendimentos recebidos acumuladamente; f) rendimentos cuja soma foi superior a R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais); 1.3. rendimentos isentos e não tributáveis: a) lucro na alienação de bens e/ou direitos de pequeno valor ou do único imóvel, lucro na venda de imóvel residencial para aquisição de outro imóvel residencial, e redução do ganho de capital. Os limites para esse ano, comparados com os do ano passado, são os seguintes: Obrigatoriedade 2015 Ano anterior 2015 Rendimentos Tributáveis R$ 25.661,70 R$ 26.816,55 Rendimentos Isentos R$ 40.000,00 R$ 40.000,00 Atividade Rural R$ 128.308,50 R$ 134.082,75 Bens em 31 de dezembro R$ 300.000,00 R$ 300.000,00 Desconto Simplificado 20% - limitado a R$ 15.197,02 R$15.880,89 Deduções Dependentes R$ 2.063,64 R$ 2.156,52 Instrução R$ 3.230,46 R$ 3.375,83 Contribuição Oficial Contribuição à Previdência Complementar 12% rend. trib. 12% rend. trib. Despesas Médicas Dedução Empregada doméstica: R$ 1.078,08 R$ 1.152,88 Doações- ECA - Incentivo a Cultura – a Atividade Audiovisual - ao Desporto e ao Estatuto do Idoso. 6% 6% Os profissionais que prestam serviços para pessoas físicas, a partir deste ano deverão informar os seus rendimentos por CPF, o que permitirá evitar a retenção em malha de milhares de declarantes que preenchem a declaração de forma correta e pelo fato de terem efetuado pagamentos de valores significativos a pessoas físicas podem precisar apresentar documentos comprobatórios à Receita Federal . Claro que estas informações serão inseridos no programa Carnê Leão de 2015 e só serão importadas para o imposto de renda de 2016. Outra novidade em 2015 é o a plicativo para que o contribuinte possa informar dados de pagamentos e recebimentos durante todo o ano. Durante o período de entrega essas informações poderão ser importadas na DIRPF. A tabela progressiva para o cálculo do imposto será a seguinte: Base de cálculo em R$ Alíquota (%) Parcela a deduzir do imposto em R$ Até 21.453,24 - - De 21.453,25 até 32.151,48 7,5 1.608,99 De 32.151,49 até 42.869,16 15,0 4.020,35 De 42.869,17 até 53.565,72 22,5 7.235,54 Acima de 53.565,72 27,5 9.913,83 Aqui seguem algumas para reduzir a chance de cair na malha fina: Organize todos seus comprovantes, principalmente os referentes a gastos com educação e saúde, que podem precisar de comprovação; Declare todos os rendimentos recebidos - sejam eles salários, proventos, aposentadoria, pró-labores, aluguéis e outros; Declare o rendimento do cônjuge quando a declaração for em conjunto; Declare o resultado da subtração entre os rendimentos tributáveis e os rendimentos isentos e não tributáveis. Ambos são informados no comprovante de rendimentos fornecidos pela fonte pagadora (empresa); Digite a vírgula como separador de centavos, jamais o ponto - O programa gerador da declaração não considera o ponto como separador de centavos, fazendo com que o valor fique errado; Declare prêmios de loterias e de planos de capitalização na ficha "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva"; Declare planos de previdência complementar na modalidade PGBL como dedutíveis, até o limite 12% do rendimento tributável declarado. A legislação não permite dedução de planos de previdência complementar na modalidade VGBL; Não declare doações a entidades assistenciais - A legislação só permite doações efetuadas diretamente aos fundos controlados pelos Conselhos Municipais, Estaduais e Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e limitadas em até 6% do imposto devido; Não declare o 13º salário como rendimento tributável. Ele é um "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva"; Declare os ganhos ou perdas de renda variável, quando operar em bolsa de valores; Não declare despesas com planos de saúde de dependentes não relacionados na declaração do IR. O contribuinte, titular de plano de saúde, não pode deduzir os valores referentes ao cônjuge e aos filhos quando eles declarem em separado. Só são dedutíveis na declaração os valores pagos a planos de saúde de pessoas físicas consideradas dependentes pela legislação, incluídas na declaração do responsável; Declare os ganhos ou perdas de capital quando são vendidos bens e direitos. Espero que isto ajude você! Se gostou, indique!
  • Dicas para 2015

    Em 2015 temos um cenário ainda mais complicado para quem possui endividamento, do que em 2014, quando voltamos a registrar crescimento da inadimplência. Provavelmente a principal causa disso seja que para cobrir os rombos das contas públicas o governo está tomando medidas para aumentar a arrecadação, mas que acabam por transferir esta conta para os cidadãos. O crédito está mais caro, o que possui um efeito extremamente danoso para as pessoas que possuem endividamento, pois se não conseguirem saldar suas dívidas e precisarem contrair novas, uma parcela maior de seu dinheiro irá para pagar os juros. Da mesma forma isso faz com que muitas empresas reduzam seus investimentos, desta forma adiando expansões e portanto contratações. Ao mesmo tempo tivemos um aumento de impostos, então se de um lado as empresas ficam com menos capital para investir, do outro, uma parte maior de suas vendas vai para o pagamento de impostos, reduzindo seu resultado. A opção normal seria aumentar os preços, mas com o dinheiro mais caro para os consumidores isso geraria retração das vendas, então as empresas acabam "enxugando", o que muitas vezes é sinônimo de demissões. Com as demissões as vendas tendem a cair ainda mais e aí entramos em um círculo vicioso, que conduz a uma retração da economia, como já foi inclusive admitido pela equipe do governo. Repare que mesmo com a redução do IPI a venda de automóveis já caiu 31% em Janeiro. Se esta retração mantém-se por três meses, vira recessão, o que segundo o governo não ocorrerá. De qualquer forma a tendência é enfrentarmos uma falta de capital e uma retração nas vendas ao mesmo tempo, ainda que por um curto período. Então as medidas foram erradas? Não, foram corretas, mas alguns remédios são indigestos mesmos. Não adianta reclamar do remédio, a revolta deve ser com o que nos fez ter de usá-lo. Isso significa que 2015 será um ano ruim? Não, necessariamente. Lembre-se: Sempre quando uns choram, outros podem vender lenços! O que fazer então? 1) Expandir: Como assim? As empresas que estiverem com suas contas em dia, terão uma oportunidade ímpar para adquirir concorrentes e desta forma aumentar suas participações no mercado. Da mesma forma, as pessoas físicas que estiverem em dia, poderão barganhar melhor e obter ótimos descontos em suas compras; 2) Enxugar: Reduza despesas para fazer seus gastos caberem no orçamento. Na pessoa física isso pode significar um corte no lazer, redução de despesas como água e luz (que ainda possuem risco de racionamento, se nada mudar) e telefone. Se não desejar cortar, ao menos mude a periodicidade ou o padrão; 3) Renegociar: A falta de dinheiro tende a atingir todos, uns em maior escala e outros em menor, desta forma pode ser uma boa oportunidade para renegociar dívidas, obtendo bons descontos; 4) Sem rolagem: Não adianta nada rolar as despesas de um mês para o seguinte, pois apenas estará adiando o problema. Simplesmente, passar a comprar a prazo, o que vinha comprando a vista vai apenas adiar o problema. Não adianta pagar o supermercado no cartão de crédito, pois a fatura virá no mês seguinte e depois que se entrar nessa sistemática é muito difícil de sair, para precisaria pagar dois meses juntos, para sair dela; 5) Fugir: Fuja dos empréstimos o mais que puder, pois com juros altos eles são uma opção muito ruim, apesar de fáceis. Nada de rolar cartão crédito, nem cheque especial, pois isso pode virar bola de neve; 6) Ampliar: Este sem dúvida é um ótimo momento para ampliar a renda (difícil será encontrar vagas para isso), mas qualquer rendimento extra é sempre bem-vindo na volta das férias, portanto não custa procurar.
  • Preparação para o mercado. Você realmente foi preparado?

    Praticamente todos os cursos superiores dizem preparar os seus egressos para o mercado de trabalho, mas ainda hoje, poucos deles preparam os profissionais para empreenderem. A maioria os torna muito bons nas competências técnicas de suas respectivas áreas de atuação, mas no mundo em que vivemos atualmente, isso não basta. Ser bom tecnicamente pode ser o suficiente para desempenhar a profissão escolhida pelo profissional, mas o cotidiano vai lhe requerer outros conhecimentos, como gestão de pessoas, gestão financeira e gestão tributária, sendo que a esmagadora maioria dos egressos de cursos superiores não tem este conhecimento e acaba por adquiri-lo da forma mais traumática, que é o método da tentativa, erro. Muitos buscam especializações para adquirirem estes conhecimentos e outros contratam profissionais que os possuem, para lhes auxiliarem, o que parece ser um caminho lógico, mas ainda assim, não é sem riscos. Infelizmente, nem todos os cursos são bons, assim como nem todos os profissionais atuando no mercado o são e há o risco de fazer escolhas ruins e terminar por realizar uma má gestão. Quando desejamos escolher um curso superior ou um programa de pós-graduação stricto senso (mestrado e doutorado), podemos usar como referência de qualidade, a nota dele no IGC, do INEP, atribuída anualmente, que pode ser localizada em http://portal.inep.gov.br/educacao-superior/indicadores/indice-geral-de-cursos-igc . O IGC varia de 1 até 5 e um desempenho ruim pode levar inclusive ao descredenciamento da instituição de ensino. Imaginem o valor para o mercado, de um diploma emitido por uma instituição descredenciada... O pior é que muitos alunos não levam a sério a prova do ENADE, muitas vezes respondendo às perguntas de forma errada, com a intenção de errar. Eles acham que estarão promovendo uma "vingança" contra a instituição de ensino, em função de fatos que os deixaram insatisfeitos, mas na verdade, estão prejudicando a eles mesmos, pois quanto menor o conceito da IES (Instituição de Ensino Superior), menor o "valor" do diploma deles! Adicionalmente, se a preocupação for apenas com a qualidade de um programa de pós-graduação stricto senso (mestrado e doutorado) podemos utilizar os conceitos atribuídos pela CAPES, que recomenda apenas os cursos que tenham obtido nota igual ou superior a "3", disponíveis em http://www.capes.gov.br/avaliacao/dados-do-snpg/cursos-recomendados-reconhecidos . As notas da CAPES variam de 1 até 7! O interessante aqui é o fato de existirem 5.691 cursos de pós-graduação no Brasil, mas apenas 3.806 (66,88%) serem recomendados pela CAPES, ou seja, 33,12% deles não conseguiram nota para a recomendação. Mas e quanto aos cursos de latu senso (especialização)? Bem, estes não possuem nenhum tipo de avaliação e aí há espaço para os cursos ruins se colocarem, fazendo seus alunos desperdiçarem dinheiro e tempo em algo que não lhes será útil para nada, além do relacionamento com novas pessoas da área. Aqui vale destacar as louváveis iniciativas de alguns conselhos de classe que analisam cursos de suas competências técnicos e os reconhecem, ou não, conforme seus critérios, como são os casos do CFO e do CFP. Porém nenhuma entidade, até o momento, avaliou os cursos de gestão de consultórios, escritórios, etc. Conseguimos claramente identificar profissões onde o ato de empreender é muito comum e portanto tendem a sofrer mais com esta deficiência, como é o caso das áreas da saúde que costumam montar seus consultórios pessoais (médicos, enfermeiros e odontólogos), além dos psicólogos que montam seus consultórios, educadores físicos que atuam como "personal trainners" e advogados que montam escritórios. Apesar de serem profissionais de áreas distintas, todos correm o risco de não terem obtido em suas formações as competências necessárias para o empreendedorismo. Desta forma, anualmente, temos novos profissionais ingressando no mercado e iniciando suas atividades sem a noção de como devem proceder para o recolhimento de seus impostos, como funciona a contratação de quem irá secretariá-los, nem como gerir seus negócios. Ainda que sejam excelentes profissionais nos quesitos técnicos, pecam na gestão e acabam por ser exemplos de muito conhecimento e pouco sucesso financeiro. Tipo de pessoa muito comum hoje em dia, mas realmente não precisaria ser assim, bastaria que contassem com a orientação de bons profissionais. Aí recaímos em outro problema. Como localizar os bons? Pois é, esta tarefa não é das mais fáceis, principalmente para quem está ingressando no mercado... Lógico que não são apenas os entrantes que enfrentam problemas, ainda há os antigos, que em função da orientação de maus profissionais, realizam procedimentos errados ao longo de anos e quando descobrem o erro, acabam por ver uma parte razoável de seus ganhos ir embora em função deles... Em artigos futuros pretendo abordar este assunto da gestão do negócio próprio em maior profundidade, até o próximo!
  • O que fazer com o 13º salário? (2014)

    No final do ano chega o tão esperado 13º salário e a principal pergunta é sempre, o que fazer com ele. Estas dicas simples devem ajuda-lo: O primeiro passo sempre será o pagamento de dívidas : avalie tudo o que deve (saldo negativo no banco, cartão de crédito, empréstimos, etc.), coloque estas dívidas em ordem decrescente da taxa de juros cobrada e realize o pagamento da maior quantidade possível delas. Desta forma se possuir o valor suficiente para a quitação das dívidas, terá ao menos quitada as mais caras; Caso tenho conseguido quitar as dívidas, ou não as tenha, agora é hora de focar nas compras de final de ano e férias . Se você conseguiu organizar as suas finanças, é hora de aproveitar um pouco. Então, pesquise preços (vá às lojas físicas e conheça os produtos, depois pesquise seus preços nas lojas online e nas ferramentas de busca de preços, como por exemplo o site Buscapé ( http://www.buscape.com.br ). Então compre no site ou volte à loja e negocie um desconto maior), relacione as despesas de final de ano (festas, presentes, antecipação de IPVA e IPTU) e planeje a sua viagem; A escolha entre um pacote de viagem e adquirir os itens avulsos vai depender do conhecimento que você possui do destino e do tempo que dispõe para isto. Na maioria dos casos sai mais barato adquirir tudo avulso, mas cada caso é um caso e vale a pena pesquisar. Lembre-se sempre que além das despesas com a viagem, precisará considerar alimentação, seguro viagem, aluguel de automóvel, combustível, pedágios, passeios, presentes, etc. Some todos estes itens quando for considerar o seu destino; Se a escolha for viajar para o exterior , considere não realizar compras no cartão de crédito, que possui um IOF de 6,38%. É mais vantajoso comprar a moeda estrangeira aqui, pagando apenas 0,38% de IOF. Informe-se no seu banco sobre a compra de moeda estrangeira, bem como os cartões pré-pagos ou os traveller checks. Em função do risco de andar com muito dinheiro "vivo", o ideal é diversificar entre estes meios de pagamento, chegando a um ponto de equilíbrio entre economia e segurança; Ainda no quesito viagem para o exterior, vale a pena informar-se sobre os limites de isenção nas compras em valor (US$ 300 para viagens por via terrestre e US$ 500 para viagens por via marítima ou aérea) e os limites em quantidade (Ex.: 20 unidades de produtos com preço abaixo de US$ 20, até 10 unidades de produtos idênticos, etc.). Confira as dicas em: http://www.receita.fazenda.gov.br/aduana/viajantes/dicaviajantes.htm ; Quando estamos em viagem sempre é interessante visitar atrações turísticas , mas fique atento que os preços são menores quando compramos os ingressos adiantado. Uma ótima dica é o site City Pass. Eles vendem ingressos para eventos em diversas cidades e por preços bem atraentes ( http://pt.citypass.com/ ); Pense também em espetáculos de teatro que são muito bons. Para estes indico o seguinte site ( http://www.broadway.com/ ); Também não deixe de analisar as promoções em http://www.tripadvisor.com.br/ e http://www.expedia.com.br/ , pois eles costumam ter promoções muito boas; Não torne a volta das férias um amargo regresso, lembre-se que no início de ano sempre temos um aumento de despesas (fatura do cartão das férias, IPVA e IPTU, caso não tenha antecipado, matrículas escolares, etc.), faça uma reserva para isso; Cuidado com a antecipação do 13º . Muitos bancos oferecem esta antecipação, que pode parecer boa, mas tenha cuidado que isto nada mais é do que um empréstimo e como tal terá incidência de juros. Isso só é interessante se você tiver dívidas com juros maiores do que os deste empréstimo, que pretenda quitar com ele; Um pouco mais difícil para alguns, mas também é uma ótima alternativa realizar investimentos com este valor, sim, poupar, nem que seja o que tenha sobrado do 13º. Desta forma a sobra de hoje poderá suprir uma falta de amanhã, ou colaborar com férias ainda melhores no próximo período. Em resumo, a chave para o sucesso é sempre o planejamento prévio , portanto, planeje !
  • O que fazer com o 13º salário?

    Saiu hoje no Click RBS, na página do Diário Gaúcho, um artigo meu sobre o que fazer com o 13º salário. Reproduzo ele aqui abaixo para quem tiver interesse. Site do Jornal: http://wp.clicrbs.com.br/trabalhador/?topo=52,1,1,,186,e186
  • Afinal de contas, o que é uma Felipeta?

    Originalmente, o nome filipeta referia-se a notas promissórias ou letras de câmbio sem liquidez, ou seja, sem valor econômico algum e distribuídas indiscriminadamente nas ruas da cidade do Rio de Janeiro. Seu nome tem origem num capitão do Exército de nome Filipe, envolvido no escândalo da emissão de títulos financeiros falsos na década de 50. Atualmente é um termo usado no Brasil para designar pequenos folhetos publicitários, também chamados de flyers, que têm a função de anunciar e promover eventos, serviços ou instruções numa ampla gama de aplicações. Os flyers são impressos, geralmente, em ambos os lados e visam a atingir um público determinado, visto que são distribuídos com objetivo de incentivar o comparecimento de determinada camada da população ao evento, produto ou serviço anunciado. As filipetas ou flyers diferem dos panfletos ou folhetos principalmente pela sua gramatura especial.
  • Viagem virtual

    Você adoraria estar em outro lugar, mas no momento não pode viajar? Tudo bem, faça isso pelo computador, basta escolher a cidade e clicar no link para visualizar fotos dela e ler comentários. Cidades da Europa         Innsbruck < http://www.imagensviagens.com/innsbruck.htm >         Toulouse < http://www.imagensviagens.com/toulouse.htm >         Assis < http://www.imagensviagens.com/assissi.htm >         York < http://www.imagensviagens.com/york.htm >         Moscou < http://www.imagensviagens.com/moscou.htm >         Salzburgh   < http://www.imagensviagens.com/salzburgh.htm >         Helsinque < http://www.imagensviagens.com/helsinque.htm >         Munique < http://www.imagensviagens.com/munique.htm >         Cardiff < http://www.imagensviagens.com/cardiff.htm >         Reims < http://www.imagensviagens.com/reims.htm >         Bruxelas < http://www.imagensviagens.com/bruxelas.htm >         Oslo < http://www.imagensviagens.com/oslo.htm >         Brugge < http://www.imagensviagens.com/brugge.htm >         São Petersburgo < http://www.imagensviagens.com/saopetersburgo.htm >         Blackpool < http://www.imagensviagens.com/blackpool.htm >         Talin < http://www.imagensviagens.com/talin.htm >         Luxemburgo < http://www.imagensviagens.com/luxemburgo.htm >         Roma < http://www.imagensviagens.com/roma.htm >         Heidelberg < http://www.imagensviagens.com/heidelberg.htm >         Chamonix < http://www.imagensviagens.com/chamonix.htm >         Varsóvia < http://www.imagensviagens.com/varsovia.htm >         Florença < http://www.imagensviagens.com/firenze.htm >         Bath < http://www.imagensviagens.com/bath.htm >         Bratislava < http://www.imagensviagens.com/bratislava.htm >         Istambul < http://www.imagensviagens.com/istambul.htm >         Amsterdam < http://www.imagensviagens.com/amsterdam.htm >         Rouen < http://www.imagensviagens.com/rouen.htm >         Oxford < http://www.imagensviagens.com/oxford.htm >         Cambridge < http://www.imagensviagens.com/cambridge.htm >         Brighton < http://www.imagensviagens.com/brighton.htm >         Berlin < http://www.imagensviagens.com/berlin.htm >         Madri < http://www.imagensviagens.com/madrid.htm >         Viena < http://www.imagensviagens.com/viena.htm >         Köln < http://www.imagensviagens.com/koln.htm >         Portsmouth < http://www.imagensviagens.com/portsmouth.htm >         Estocolmo < http://www.imagensviagens.com/estocolmo.htm >         Manchester < http://www.imagensviagens.com/manchester.htm >         Londres < http://www.imagensviagens.com/londres.htm >         Paris < http://www.imagensviagens.com/paris.htm >         Atenas < http://www.imagensviagens.com/atenas.htm >         Praga < http://www.imagensviagens.com/praga.htm >         Budapeste < http://www.imagensviagens.com/budapeste.htm >         Veneza < http://www.imagensviagens.com/veneza.htm >         Winchester < http://www.imagensviagens.com/winchester.htm >         Chester < http://www.imagensviagens.com/chester.htm >         Liverpool < http://www.imagensviagens.com/liverpool.htm >         Liechtenstein < http://www.imagensviagens.com/liechtenstein.htm >         Düsseldorf < http://www.imagensviagens.com/dusseldorf.htm >         Inverness < http://www.imagensviagens.com/inverness.htm >         Saint Malo   < http://www.imagensviagens.com/stmalo.htm >         Frankfurt < http://www.imagensviagens.com/frankfurt.htm >         Edinburgh < http://www.imagensviagens.com/edinburgh.htm >         Glasgow < http://www.imagensviagens.com/glasgow.htm >         Copenhagen < http://www.imagensviagens.com/copenhagen.htm >         Zurich < http://www.imagensviagens.com/zurich.htm >         Lisboa < http://www.imagensviagens.com/lisboa.htm >         Grenoble < http://www.imagensviagens.com/grenoble.htm > Cidades das Américas         Saint Louis < http://www.viagensimagens.com/stlouis.htm >         Dallas < http://www.viagensimagens.com/dallas.htm >         Allbuquerque < http://www.viagensimagens.com/albuquerque.htm >         Montreal < http://www.viagensimagens.com/montreal.htm >         San Diego < http://www.viagensimagens.com/sandiego.htm >         Quebec < http://www.viagensimagens.com/quebec.htm >         Phoenix < http://www.viagensimagens.com/phoenix.htm >         Atlanta < http://www.viagensimagens.com/atlanta.htm >         San Francisco < http://www.viagensimagens.com/sanfran.htm >         Orlando < http://www.viagensimagens.com/orlando.htm >         New Orleans < http://www.viagensimagens.com/neworleans.htm >         Miami < http://www.viagensimagens.com/miami.htm >         Bariloche < http://www.viagensimagens.com/bariloche.htm >         Toronto < http://www.viagensimagens.com/toronto.htm >         Houston < http://www.viagensimagens.com/houston.htm >         Chicago < http://www.viagensimagens.com/chicago.htm >         Las Vegas < http://www.viagensimagens.com/lasvegas.htm >         Los Angeles < http://www.viagensimagens.com/lax.htm >         Washington DC < http://www.viagensimagens.com/washington.htm >         Buenos Aires < http://www.viagensimagens.com/buenosaires.htm >         Vancouver < http://www.viagensimagens.com/vancouver.htm >         Portland < http://www.viagensimagens.com/portland.htm >         Seattle < http://www.viagensimagens.com/seattle.htm >         Victoria < http://www.viagensimagens.com/victoria_ca.htm >         Salt Lake City < http://www.viagensimagens.com/saltlake.htm >         New York City < http://www.viagensimagens.com/new_york_city.htm >         Kansas City < http://www.viagensimagens.com/kansascity.htm >         Ottawa < http://www.viagensimagens.com/ottawa.htm > Castelos e Palácios         Akershus < http://www.viagensimagens.com/cast_akershus.htm >         Amboise < http://www.viagensimagens.com/cast_amboise.htm >         Angers < http://www.viagensimagens.com/cast_angers.htm >         Arundel < http://www.viagensimagens.com/cast_arundel.htm >         Azay le Rideau < http://www.viagensimagens.com/cast_azaylerideau.htm >         Bamburgh < http://www.viagensimagens.com/cast_bamburgh.htm >         Beaumaris < http://www.viagensimagens.com/cast_beaumaris.htm >         Blackness < http://www.viagensimagens.com/cast_blackness.htm >         Blenheim < http://www.viagensimagens.com/cast_blenheim.htm >         Blois < http://www.viagensimagens.com/cast_blois.htm >         Bodiam < http://www.viagensimagens.com/cast_bodiam.htm >         Budavari < http://www.viagensimagens.com/cast_budavari.htm >         Caernarfon < http://www.viagensimagens.com/cast_caernarfon.htm >         Caerphilly < http://www.viagensimagens.com/cast_caerphilly.htm >         Cardiff < http://www.viagensimagens.com/cast_cardiff.htm >         Carlisle < http://www.viagensimagens.com/cast_carlisle.htm >         Chambord < http://www.viagensimagens.com/cast_chambord.htm >         Charlottenburg < http://www.viagensimagens.com/cast_charlettenburgh.htm >         Chantilly < http://www.viagensimagens.com/cast_chantilly.htm >         Chenonceau < http://www.viagensimagens.com/cast_chenonceau.htm >         Chepstow < http://www.viagensimagens.com/cast_chepstow.htm >         Cliffords < http://www.viagensimagens.com/cast_clifffords.htm >         Conciergerie < http://www.viagensimagens.com/cast_conciergerie.htm >         Conwy < http://www.viagensimagens.com/cast_conwy.htm >         Criccieth < http://www.viagensimagens.com/cast_criccieth.htm >         Doune < http://www.viagensimagens.com/cast_doune.htm >         Dover < http://www.viagensimagens.com/cast_dover.htm >         Edinburgh < http://www.viagensimagens.com/cast_edinburgh.htm >         Ewloe < http://www.viagensimagens.com/cast_ewloe.htm >         Fontainebleau< http://www.viagensimagens.com/cast_fontainebleu.htm >         Frederiksborg< http://www.viagensimagens.com/cast_frederiksborg.htm >         Glamis < http://www.viagensimagens.com/cast_glamis.htm >         Hampt Court < http://www.viagensimagens.com/cast_hamptoncourt.htm >         Harlech < http://www.viagensimagens.com/cast_harlech.htm >         Hatfield < http://www.viagensimagens.com/cast_hatfieldhouse.htm >         Heidelberg < http://www.viagensimagens.com/cast_heidelberg.htm >         Hever < http://www.viagensimagens.com/cast_hever.htm >         Hohenschwagau < http://www.viagensimagens.com/cast_hohenschwangau.htm >         Langeais < http://www.viagensimagens.com/cast_langeais.htm >         Leeds < http://www.viagensimagens.com/cast_leeds.htm >         Linlithgow < http://www.viagensimagens.com/cast_linlithgow.htm >         London Tower < http://www.viagensimagens.com/cast_londontower.htm >         Neuschwanstein < http://www.viagensimagens.com/cast_neuschwanstein.htm >         Newcastle < http://www.viagensimagens.com/cast_newcastle.htm >         Norwich < http://www.viagensimagens.com/cast_norwich.htm >         Nottingham < http://www.viagensimagens.com/cast_nottingham.htm >         Nymphenburg < http://www.viagensimagens.com/cast_nymphenburg.htm >         Pena < http://www.viagensimagens.com/cast_pena.htm >         Penshurst < http://www.viagensimagens.com/cast_penshurst.htm >         Pierrefonds < http://www.viagensimagens.com/cast_pierrefonds.htm >         Prazsky < http://www.viagensimagens.com/cast_praga.htm >         São Jorge < http://www.viagensimagens.com/cast_saojorge.htm >         Schonbrunn < http://www.viagensimagens.com/cast_schonbrunn.htm >         Scone < http://www.viagensimagens.com/cast_scone.htm >         Southsea < http://www.viagensimagens.com/cast_southsea.htm >         Stirling < http://www.viagensimagens.com/cast_stirling.htm >         Tonbridge < http://www.viagensimagens.com/cast_tonbridge.htm >         Urquhart < http://www.viagensimagens.com/cast_urquhart.htm >         Versalhes < http://www.viagensimagens.com/cast_versalhes.htm >         Villandry < http://www.viagensimagens.com/cast_villandry.htm >         Vincennes < http://www.viagensimagens.com/cast_vincennes.htm >         Warwick < http://www.viagensimagens.com/cast_warwick.htm >         Wilanow < http://www.viagensimagens.com/cast_wilanow.htm >         Windsor < http://www.viagensimagens.com/cast_windsor.htm >      Lugares especiais         Monument Valley < http://www.imagensviagens.com/esp_monument.htm >         Ilhas  Gregas < http://www.imagensviagens.com/esp_ilhasgregas.htm >         Niagara  Falls < http://www.imagensviagens.com/esp_niagarafalls.htm >         Carcassone < http://www.imagensviagens.com/esp_carcasso.htm >
    Filed under:
  • O objetivo das empresas não é o lucro

    Este é um assunto muito interessante de debatermos, pois quando faço a pergunta sobre qual é o objetivo das empresas a grupos de pessoas, mais de 90% respondem que é obter lucro. Ocorre que esta não é a resposta certa, pois o objetivo das empresas não é o lucro, obviamente ele faz parte, mas não exclusivamente o objetivo delas. Para entender melhor isso precisamos definir alguns pontos. O que é uma empresa? Conceituando Segundo Peter Druker , é, basicamente, “ uma estrutura relacional humana e não deve ser confundida com seus ativos, sejam quais forem ”. Foi definido que as empresas devem possuir personalidade jurídica, de onde surgem as pessoas jurídicas. Mas o que são pessoas jurídicas? De acordo com os artigos 40 a 69, do Código Civil Brasileiro (Lei 10.406/2002), podemos identificar que pessoa jurídica é “ a figura jurídica idealizada capaz de direitos e deveres na ordem civil. Pode ser formada por pessoas naturais ou por bens. As pessoas jurídicas são de direito público, interno ou externo e de direito privado.” Ainda segundo o Saber Jurídico ( www.saberjuridico.com.br ) a pessoa jurídica é “ aquela que sendo incorpórea, é compreendida por uma entidade coletiva ou artificial, legalmente organizada, com fins políticos, sociais, econômicos e outros, a que se destine, com existência autônoma, independente dos membros que a integram. É sujeita ativa ou passivamente, a direitos e obrigações. As pessoas jurídicas classificam-se de acordo com a sua natureza, constituição e finalidades, em pessoas jurídicas de Direito Público (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) e pessoas jurídicas de Direito Privado (sociedades civis, sociedades comerciais, fundações, etc). ” Bem, desta simples definições já podemos inferir que nem todas as pessoas jurídicas visam ao lucro. Imaginem se um hospital público fosse visar ao lucro, como ficaria a saúde das pessoas mais pobres, que já não considerada boa… Ok, então daqui em diante passaremos a tratar de empresa como sendo as pessoas jurídicas de direito privado, apenas. Claro que ainda há outra distinção a fazer, pois existem as empresas com fins lucrativos e sem fins lucrativos. Então, qual a diferença entre elas? A diferença é sútil ao contrário do que muitas pessoas pensam. O fato de uma empresa ser sem fins lucrativos, não significa que ela não gere lucro, apenas significa que os lucros gerados por ela não podem ser distribuídos na forma de dividendos para as seus sócios/acionistas, devendo ser integralmente reinvestidos no negócio. Já as empresas com fins lucrativos são as que distribuem os seus lucros aos sócios/acionistas. Aqui separarei as sem fins lucrativos , chamando-as de entidades e as com fins lucrativos serão as nossas empresas . Desta forma então, definiremos como empresa, para fins desta discussão a pessoa jurídica com fins lucrativos e com o objetivo de exercer alguma atividade particular, produzindo e oferecendo bens e/ou serviços, com o objetivo de atender a alguma necessidade humana. Composição De acordo com a definição do tópico anterior, podemos identificar a composição de uma empresa como sendo o conjunto de sócios/acionista que detém a propriedade de suas cotas/ações com direito a voto . Desta forma e em função de sua composição, podemos inferir que este conjunto de pessoas, que colocou suas economias na empresa possuía algum objetivo com isso e portanto, por serem eles quem detém o direito a voto na empresa, esta naturalmente buscará alcançar os objetivos deles. Aqui então já podemos passar ao próximo tópico. Por que alguém investe em uma empresa? Imagine que você tenha dinheiro sobrando em casa e esteja decidindo o que fazer com ele. Você colocá-lo na caderneta de poupança, num fundo de renda fixa, fundo de renda variável, investir na bolsa de valores, ou montar uma empresa nova. Qual seria a sua decisão? Dependerá de quem lhe der o melhor retorno. Repare que não estou falando de lucro, mas de retorno e já deixarei clara a diferença. Retorno Como retorno definimos o valor que um investimento qualquer nos paga, Digamos que coloque o seu dinheiro na caderneta de poupança. Você obterá um retorno de 6,17% no ano, ou seja, se você tivesse $ 100.000, obteria um retorno de $ 6.170. Note que há uma diferença grande entre retorno e lucro, pois para retorno não levamos em consideração quanto nos custou para realizar o investimento . Por exemplo, suponha que investirmos $ 100.000 em um ativo e tivermos um custo de $ 2.000 nesta operação. Após determinado período retiramos o montante total de $ 101.200. Podemos afirmar que o nosso retorno foi de $ 1.200, ainda que o resultado da operação tenha sido um prejuízo de $ 800, uma vez que gastamos $ 2.000 para receber $ 1.200. Lucro Se colocar o seu dinheiro em um RDB pré-fixado com taxa de 8% ao ano, obterá um retorno de $ 8.000, deduzido o Imposto de Renda de 15% dele, ficará com um lucro de $ 6.800. É pouca coisa superior ao da caderneta de poupança, mas é superior. Repare que definimos lucro como sendo o excedente produzido por um investimento após a dedução de seus custos . Desta forma, caso você invista os seus $ 100.000 em uma empresa e ao final do ano esta empresa apresente um lucro (Receitas – Despesas – Custos) de 4,5%, ou seja, de $ 4.500, poderemos chamar isso de lucro? Claro que sim, investimos $ 100.000, geramos receitas, pagamos custos e despesas e após todos estes ainda nos sobrou um excedente de $ 4.500. Em outras palavras, no ano passado tinhamos $ 100.000, agora temos $ 104.500, graças ao nosso lucro. Você estaria satisfeito com este lucro de $ 4.500? Naturalmente que não, pois teria ganho $ 6.170 investindo na caderneta de poupança, ou $ 6.800 no título de renda fixa. O que podemos constatar aqui? Que você teve lucro, pois gerou um excedente de $ 4.500, mas no final das contas, deixou de ganhar dinheiro (é bem verdade que não perdeu, mas deixou de ganhar), por ter realizado o pior dos três investimentos. Sabendo que isto aconteceria, você investiria nesta empresa? Naturalmente que não. Caso já sócio da empresa e esta situação fosse comum nela, você permaneceria de sócio dela? Também não. Tendo poder nas decisões da empresa, você tentaria fazer algo para garantir que não deixaria de ganhar dinheiro? Claro que sim. Na condição de sócio você teria condições de influenciar nas decisões da empresa? Sim Considerando que a empresa não atua com estratégia em desacordo com a de seus sócios, até mesmo porque são estes que definem a estratégia dela, podemos afirmar que as empresas buscam os objetivos de seus sócios? Claro que sim. Então podemos afirmar que o objetivo das empresas é o objetivo de seus sócios? Novamente, sim. Também podemos afirmar, com base nas afirmações e cálculos anteriores, que o objetivo dos sócios não é apenas o lucro? Sim denovo, pois o sócio não ficaria satisfeito em ganhar $ 4.500, quando poderia ter um ganho $ 6.800. Ora, se o objetivo das empresas é o objetivo de seus sócios e o objetivo deles não é o lucro, podemos inferir que o objetivo das empresas não é o lucro ! Mas afinal de contas então, qual o objetivo das empresas? Maximização de Riquezas Segundo Lawrence J. Gitman “ O objetivo da empresa e portanto, de todos os seus administradores e empregaods, consiste em maximizar a riqueza dos proprietários em cujo nome é operada. ” Qual lógica temos por trás disso? Simples, no exemplo de investimentos anterior em qual você investiria os seus $ 100.000? Investimento Retorno Resultado Situação Caderneta de Poupança $ 6.170 Lucro de $ 6.170 Deixou de ganhar $ 630 RDB pré-fixado $ 8.000 Lucro de $ 6.800 Ganho máximo Ativo $ 1.200 Prejuízo de $ 800 Perdeu $ 800, além de deixar de ganhar $ 6.800. Nesta simples tabela podemos identificar a diferença dos conceitos: Obtivemos retorno positivo em todos eles, portanto se nosso objetivo fosse obter retorno, não haveria diferença entre eles na hora de investir; Obtivemos lucro nos dois primeros, neste caso sendo o lucro o nosso objetivo aprovaríamos qualquer um deles; O maior ganho foi obtido apenas no segundo, neste caso ele seria o único investimento aprovado caso nosso objetivo fosse a maximização de riquezas. Lucro é um conceito simples, onde $ 0,01 pode ser lucro, já maximização de riquezas é um conceito mais amplo! Enquanto na avaliação de lucro consideramos apenas o resultado de um determinado período, na maximização de riquezas costumamos trabalhar com horizontes mais longos, aceitando inclusive incorrer em prejuízos momentâneos para a geração de resultados futuros mais vantajosos. Portanto consideramos como componentes da maximização de riquezas os seguintes fatores: potencial de lucro; tecnologia absorvida; preço de mercado da empresa; imagem da empresa e de seus produtos; qualidade dos produtos/serviços produzidos pela empresa; participação no mercado; estratégias financeiras; equipe (pessoal). Prova disso é que existem exemplos de empresas que mesmo em momentos que sofram prejuízos, tem seu valor de mercado aumentado, desta forma maximizando a riqueza de seus proprietários, pois não podemos esquecer que a riqueza dos proprietários não é medida apenas pela distribuição de lucros que recebem, mas também pelo valor de suas cotas/ações da empresa. Em que consiste a maximização de riquezas, então? A maximização de riquezas consiste em obtermos o máximo lucro possível a um dado nível de risco. Analisando a tabela anterior não poderíamos simplesmente afirmar que na realidade o objetivo da empresa é a maximização de lucro? Não e eu explico adiante. Maximização de Lucro Ainda que muitos acreditem ser este o objetivo das empresas, ele não o é. Se o fosse, segundo Laurence J. Gitman “o administrador financeiro somente praticaria atos que  tendessem a fazer uma grande contribuição para os lucros totais da empresa. Dentre cada conjunto de alternativaas considerado, o administrador financeiro escolheria o que devesse resultar em maior resultado monetário. ” Mas então, porque esta não é uma forma boa de definir o objetivo? Como o próprio Gitman menciona, ele possui três problemas muito grandes: o lucro é medido sem que levemos em consideração o momento de ocorrência de seus retornos, como se não houvesse variação do valor do dinheiro no tempo. Atente que no Demonstrativo de Resultado do Exercícios (oriundo da Contabilidade da empresa), constam valores de retornos do ano fiscal inteiro, sendo tratados de forma igual, independentemente de um recebimento haver ocorrido em Janeiro e o outro em Dezembro; não são considerados para a determinação do lucro os fluxos de caixa disponíveis para os sócios/acionistas, ou seja, ainda que indiquemos a existência de lucro, não há garantia de que haverá o valor monetário dele disponível; não há consideração alguma do risco envolvido no negócio. Ainda que no item1., possamos contra argumentar que os juros obtidos com o investimento dos recursos recebidos no início do ano também estarão constando do demonstrativo, ele despreza completamente o custo de oportunidade. Risco A maximização do lucro ainda ignora, conforme o item 3. acima, o risco, que segundo Laurence J. Gitman é “ a possibilidade de divergência entre os resultados reais e os esperados. ” Pessoalmente prefiro definir risco de uma forma mais genérica, como sendo “ a probabilidade de nossas expectativas serem frustradas, sejam elas quais forem. ” Na área financeiro estuda-se que sempre há um equilíbrio entre risco e retorno, ou seja, quanto maior o risco envolvido na operação, maior será o retorno obtido nela. Desta forma podemos inferir que jamais faremos investimentos mais arriscados, sem que nos seja oferecida uma remuneração maior, para compensar o risco. Ainda podemos concluir, que sendo a maximização do lucro o objetivo da empresa, seriam realizados investimentos cada vez mais arriscados, para que fosse sempre obtido o lucro máximo e nem sempre esta é a vontade dos sócios/acionistas. Como a maximização de lucros não leva em conta esta questão de risco, podemos afirmar que ela não atenda aos objetivos dos prorpietários da empresa e portanto, não deva ser utilizada, ou como afirma Laurence J. Gitman “ Por não atender aos objetivos dos proprietários da empresa, a maximização do lucro não deve ser o objetivo principal do administrador financeiro. ” Como funciona isso então? Como a sensibilidade ao risco é particular de cada pessoa, caberá aos proprietários da empresa definirem o nível de risco que aceitam correr e aos administradores dela, identificar quais investimentos atendem a estas condições e dentre estes os que oferecem o maior retorno, para que apenas eles sejam os eleitos, desta forma maximizando a riqueza de seus proprietários. Seleção dos investimentos A seleção dos investimentos passa pela identificação de todos disponíveis no mercado, para a posterior seleção dos que melhor atenderem aos interesses da empresa, ou em outras palavras, aos interesses dos proprietários da empresa. Como fazemos isso? Suponhamos que hajam apenas três investimentos disponíveis no mercado (exemplo simplório, mas suficiente para passar a lógica) e que os seus riscos e retornos estejam previstos no gráfico abaixo: Neste caso simples identificamos haver dois investimentos com menor risco: 2 e 3 dois investimentos com maior retorno: 1 e 3 Qual você escolheria? Aquele que fosse maximizar a sua riqueza, ou seja, o de máximo retorno a um dado nível de risco: 3 Os outros não gerariam lucro? Sim, mas a melhor opção é o 3, por ser o que gerá o maior retorno, possuindo o menor risco. Aqui chegamos na teoria da fronteira eficiente idealizada por Harry Markowitz em 1952, segundo a qual devemos escolher apenas os investimentos que estejam nesta fronteira, pois serão os únicos a maximizar nossa riqueza. Ainda que o modelo de Markowitz tenha sido desenvolvido para investimentos em ações, ele aplica-se perfeitamente no nosso exemplo. Conclusão Analisadas as características da composição das empresas e dos retornos de investimentos, fica muito claro que o objetivo das empresas não limita-se ao foco no lucro, mas sim, no foco em muitas outras variáveis, sendo portanto o mais correto afirmar que o objetivo das empresas é a maximização da riqueza de seus proprietários !
  • Pessoa boa ou pessoa ruim...

    Há uma lenda antiga entre os índios Cherokee e eles a contam uns para os outros, a fim de que a lenda nunca morra. Eles costumam ensinar aos jovens índios que: - Há dois lobos dentro de você, em constante luta. Um é ruim, ele representa a raiva, a inveja, a cobiça, o ressentimento, a inferioridade, as mentiras e o ego. - O outro lobo é bom, ele representa alegria, paz, amor, esperança, humildade, ternura, empatia e verdade. Após refletir um pouco, os jovens índios sempre perguntam: - Mas qual dos dois lobos vencerá a luta? E é na resposta que vem o maior ensinamento: - Aquele que você alimentar mais... Se só pensamos em coisas ruins, acabamos sendo influenciados por elas e nos tornamos ruins. O mesmo ocorre se só pensarmos em coisas boas.
  • Sua empresa é maluca? Talvez devesse ser...

    Esta his(es)tória de difícil comprovação, está circulando pela internet, mas mesmo que não seja verdadeira, seu conteúdo serve para uma boa reflexão...
  • O que realmente é importante para você?

    Um grupo de ex-alunos, todos muito bem estabelecidos profissionalmente, se reuniu para visitar um antigo professor da universidade. Em pouco tempo a conversa girava em torno de queixas de estresse no trabalho e na vida como um todo. Ao oferecer café aos seus convidados, o professor foi à cozinha e retornou com um grande bule e uma variedade de xícaras. Porcelana, plástico, vidro, cristal; algumas simples, outras caras, outras requintadas; dizendo a todos para se servirem. Quando todos os estudantes estavam de xícara em punho, o professor disse: “Se vocês repararem pegaram todas as xícaras bonitas e caras, e deixaram as simples e baratas para trás. Uma vez que não é nada anormal que vocês queiram o melhor para si, isto é a fonte dos seus problemas e estresse. Vocês podem ter certeza de que a xícara em si não adiciona qualidade nenhuma ao café. Na maioria das vezes, são apenas mais caras e, algumas vezes, até ocultam o que estamos bebendo. O que todos vocês realmente queriam era o café, não as xícaras, mas escolheram, conscientemente, as melhores xícaras... e então ficaram de olho nas xícaras uns dos outros. Agora pensem nisso: A Vida é o café, e os empregos, dinheiro e posição social são as xícaras. Elas são apenas ferramentas para sustentar e conter a vida e o tipo de xícara que temos não define, nem altera, a qualidade de vida que vivemos. “Às vezes, ao nos concentrarmos apenas na xícara, deixamos de saborear o café que Deus nos deu”. Autor Desconhecido
  • A influência do meio no comportamento

    Analisem bem esta foto e me digam se o meio não influencia no corportamento... Não venham me dizer que foi o adestrador que ensinou ao cachorro como se posicionar, nem um policial. Quantas vezes ele deve ter presenciado este procedimento para aprender???
    Filed under:
  • Moral e Imoral

    "Eu sei que é moral o que nos faz sentir bem depois, e imoral o que nos faz sentir mal depois." Ernest Hemingway
  • Confrontos

    "Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." Charles Chaplin
  • Haja o que houver...

    Este texto foi traduzido automaticamente, portanto podem haver erros de português, por favor, relevem eles... Haja o que houver... Na Romênia, um homem dizia sempre a seu filho: Haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado! Aconteceu, nesta época, um terremoto de intensidade muito grande, que quase arrasou as construções lá existentes. Estava nesta hora este homem em uma estrada. Ao ver o ocorrido, correu para casa e verificou que sua esposa estava bem, mas seu filho estava na escola. Foi imediatamente para lá. E a encontrou totalmente destruída. Não restou, uma única parede de pé... Tomado de uma enorme tristeza. Ficou ali ouvindo, a voz feliz de seu filho e sua promessa (não cumprida): "Haja o que houver, eu estarei sempre a seu lado". Seu coração estava apertado e sua vista apenas enxergava a destruição. A Voz de seu filho e sua promessa não cumprida, o dilaceravam. Mentalmente percorreu inúmeras vezes o trajeto que fazia diariamente segurando sua mãozinha. O portão (que não mais existia); o corredor... Olhava as paredes, aquele rostinho confiante. Passava pela sala do 3º ano, virava o corredor e o olhava ao entrar. Até que resolveu fazer em cima dos escombros, o mesmo trajeto. Portão... Corredor... Virou a direita e parou em frente ao que deveria ser a porta da sala. Nada! Apenas uma pilha de material destruído. Nem ao menos um pedaço de alguma coisa que lembrasse a classe. Olhava tudo, desolado. E continuava a ouvir sua promessa: "Haja o que houver, eu sempre estarei com você". E ele não estava... Começou a cavar com as mãos. Nisto chegaram outros pais que, embora bem intencionados e, também, desolados, tentavam afastá-lo de lá dizendo: - Vá para casa. Não adianta, não sobrou ninguém. Vá para casa. Ao que ele retrucava: - Você vai me ajudar? Mas ninguém o ajudava. E pouco a pouco, todos se afastavam. Chegaram os policiais que, também, tentaram retirá-lo dali pois viam que não havia chance de ter sobrado ninguém com vida... Havia outros locais com mais esperança de sobreviventes. Mas este homem não esquecia sua promessa ao filho, a única coisa que dizia para as pessoas que tentavam retirá-lo de lá era: - Você vai me ajudar? Mas eles também o abandonavam. Chegaram os bombeiros, e foi a mesma coisa... "Saia daí, não está vendo que não pode ter sobrado ninguém vivo? Você ainda vai por em risco a vida de pessoas que queiram te ajudar, pois continuam havendo explosões e incêndios". Ele retrucava : -Você vai me ajudar? "Você está cego pela dor não enxerga mais nada. Ou então é a raiva da Desgraça"... -Você vai me ajudar? Um a um, todos se afastavam. Ele trabalhou quase sem descanso, apenas com pequenos intervalos, mas não se afastava dali. 5, 10, 12, 22, 24, 30 horas. Já exausto, dizia a si mesmo que precisava saber se seu filho estava vivo ou morto. Até que ao afastar uma enorme pedra, sempre chamando pelo filho, ouviu: - Pai... estou aqui! Feliz fazia mais força para abrir um vão maior e perguntou: - Você está bem? - Estou. Mas com sede, fome e muito medo. - Tem mais alguém com você? - Sim, dos 36 da classe 14 estão comigo. Estamos presos em um vão entre dois pilares. - Estamos todos bem. Apenas conseguia se ouvir seus gritos de alegria. - Pai, eu falei a eles: Vocês podem ficar sossegados, pois meu pai irá nos achar. - Eles não acreditavam, mas eu dizia a toda hora... "Haja o que houver, meu pai, estará sempre a meu lado". - Vamos, abaixe-se e tente sair por este buraco. - Não! Deixe eles saírem primeiro. Eu sei que haja o que houver... - Você estará me esperando! (Esta história é verídica) É bom sabermos também que haja o que houver DEUS sempre está ao nosso lado. Pense nisso da próxima vez que você desanimar, por algum motivo... Autor Desconhecido
    Filed under:
  • Ninguém é Insubstituível?

    Recebi por e-mail, mas mantenho a fonte original. (por Celia Spangher) Na sala de reuniões de uma multinacional, o CEO* nervoso fala com sua equipe de gestores. Agita as mãos mostra gráficos e olhando nos olhos de cada um ameaça: 'ninguém é insubstituível' . A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio. Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém ousa falar nada. De repente um braço se levanta e o CEO se prepara para triturar o atrevido: - Alguma pergunta? - Tenho sim. E o Beethoven? - Como? - o CEO encara o gestor confuso. - O senhor disse que ninguém é insubstituível. Então me diga quem substitui o Beethoven? Silêncio. Ouvi essa estória esses dias contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso. Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que quando sai um é só encontrar outro para por no lugar. Quem substitui Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Dorival Caymmi? Garrincha? Michael Phelps? Santos Dumont? Monteiro Lobato?Faria Lima ? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Todos esses talentos marcaram a História fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem - ou seja - fizeram seu talento brilhar. E portanto são sim insubstituíveis. Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa. Está na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando energia em reparar 'seus gaps'. Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo, se Picasso era instável, Caymmi preguiçoso, Kennedy egocêntrico, Elvis paranóico. O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos. Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro. Fazer brilhar o talento de cada um em prol do êxito de seu projeto. Se você ainda está focado em 'melhorar as fraquezas' de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder que barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter notas baixas na escola, Beethoven por ser surdo e Gisele Bundchen por ter nariz grande. E na sua gestão o mundo teria perdido todos esses talentos.. (*) Chief Executive Officer (Diretor Executivo)
  • Dia do Professor

    Dia do professor Cada vez mais temos a certeza que o mundo só se transforma a partir da educação. Assim, o professor sempre foi sinônimo de virtude e um modelo de exemplo para a sociedade. A partir dos tempos modernos, ele precisou se tornar um técnico, capaz de mudar os comportamentos e atitudes dos alunos. Mesmo com as novas máquinas e inteligências artificiais que transmitem dados e informações, muitas vezes melhor que o professor, só ele consegue transmitir valores. Sua influência através da palavra e do exemplo é inquestionável. Mas nunca foi fácil ser professor, atualmente tornou-se uma profissão inglória. Por isso homenagear o professor é uma justa maneira de valorizar a profissão da qual dependem, obrigatoriamente, todas as outras. A festa do Dia do Professor ocorre, no Brasil, em 15 de outubro porque nessa data, no ano de 1827, D. Pedro I propôs a criação das escolas primárias no país. O documento tornou-se oficial em 15 de outubro de 1933, e a data comemorativa só em 1963 com o decreto 52.682. Desde então houve muitas modificações no sistema educacional brasileiro, geradas pelas graves crises da nossa economia, pelos regimes políticos que se sucederam, com os arrochos salariais, em todas as categorias profissionais e, em conseqüência disso, o nível da escolaridade do ensino caiu. E caiu muito, porque atingiu principalmente a carreira do professor - formador do pensamento da sociedade. O magistério possui características particulares, geradoras de estresse e de alterações do comportamento dos que nele trabalham. Pensando nisso, a UNESCO lançou, em 1994, o Dia Mundial do Professor, que já é comemorado em mais de cem países no dia 05 de outubro, mas o Brasil manteve sua festa tradicional, que acontece dez dias depois.
    Filed under:
  • As Aparências Enganam 2

    Num orfanato, igual a tantos outros que enxameiam por toda parte, havia uma pobre órfã, de oito anos de idade. Era uma criança lamentavelmente sem encantos, de maneiras desagradáveis, evitada pelas outras, e francamente malquista pelos professores. Por essa razão, a pobrezinha vivia no maior isolamento. Ninguém para brincar, ninguém para conversar... Sem carinho, sem afeto, sem esperança... Sua única companheira era a solidão. O diretor do orfanato aguardava ansioso uma desculpa legítima para livrar-se dela. E um dia apresentou-se, aparentemente, uma boa desculpa. A companheira de quarto da menina informou que ela estava mantendo correspondência com alguém de fora do orfanato, o que era terminantemente proibido. - Agora mesmo, disse a informante, ela escondeu um papel numa árvore. O diretor e seu assistente mal puderam esconder a satisfação que a denúncia lhes causara. Vamos tirar isso a limpo agora mesmo, disse o superior. E, somando-se ao assistente, pediu para que a testemunha do delito os acompanhasse a fim de lhes mostrar a prova do crime. Dirigiram-se os três, a passos rápidos, em direção à árvore na qual estava colocada a mensagem. De fato, lá estava um papel delicadamente colocado entre os ramos. O diretor desdobrou, ansioso, o bilhete, esperando encontrar ali a prova de que necessitava para livrar-se daquela criança tão desagradável aos seus olhos. Todavia, para seu desapontamento e remorso, no pedaço de papel um tanto amassado, pôde ler a seguinte mensagem: "A qualquer pessoa que encontrar este papel: eu gosto de você." Os três investigadores ficaram tão decepcionados quanto surpresos com o que leram. Decepcionados porque perderam a oportunidade de livrar-se da menina indesejável, e surpresos porque perceberam que ela era menos má do que eles próprios. ...................................... Quantos de nós costumamos julgar as pessoas pelas aparências, embora saibamos que estas são enganadoras. E o pior é que, se as aparências não nos agradam, marcamos a pessoa e nos prevenimos contra ela e suas atitudes. Uma antiga e sábia oração dos índios Siuox, roga a Deus o auxílio para nunca julgar o próximo antes de ter andado sete dias com as suas sandálias. Isto quer dizer que, antes de criticar, julgar e condenar uma pessoa, devemos nos colocar no seu lugar e entender os seus sentimentos mais profundos. Aqueles que talvez ela queira esconder de si mesma, para proteger-se dos sofrimentos que a sua lembrança lhe causaria. Fonte: revista Seleções do Reader's Digest, maio de 1945.
  • Transitoriedade da vida

    "A vida não passa de um instante, mas basta este instante para empreendermos coisas eternas." Ernest Bersot
  • Envelhecimento

    Prometo viver a vida como se fosse durar para sempre. Ninguém envelhece apenas com o passar dos anos. As pessoas envelhecem por abandonar a seus ideais. Os anos podem enrrugar a pele, mas abandonar os ideais enrruga a alma. Douglas MacArthur Original: "I promise to keep on living as though I expected to live forever. Nobody grows old by merely living a number of years. People grow old by deserting their ideals. Years may wrinkle the skin, but to give up wrinkles the soul."
  • Apreensão de livros e documentos em escritórios de contabilidade

    Decisão do Supremo Tribunal Federal O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os escritórios de contabilidade estão sujeitos à proteção constitucional de inviolabilidade domiciliar. Conforme decisão abaixo reproduzida, o STF deferiu habeas corpus reputando inadmissível a apreensão de livros contábeis e documentos fiscais em escritórios de contabilidade por agentes fazendários e policiais federais, sem mandato judicial. Segue decisão do STF (Informativo nº 514/08) HC N. 93.050-RJ* *RELATOR: MIN. CELSO DE MELLO* E M E N T A: FISCALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA - APREENSÃO DE LIVROS CONTÁBEIS E DOCUMENTOS FISCAIS REALIZADA, EM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE, POR AGENTES FAZENDÁRIOS E POLICIAIS FEDERAIS, SEM MANDADO JUDICIAL - INADMISSIBILIDADE - ESPAÇO PRIVADO, NÃO ABERTO AO PÚBLICO, SUJEITO À PROTEÇÃO CONSTITUCIONAL DA INVIOLABILIDADE DOMICILIAR (CF, ART. 5º, XI) - SUBSUNÇÃO AO CONCEITO NORMATIVO DE "CASA" - NECESSIDADE DE ORDEM JUDICIAL - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E FISCALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA - DEVER DE OBSERVÂNCIA, POR PARTE DE SEUS ÓRGÃOS E AGENTES, DOS LIMITES JURÍDICOS IMPOSTOS PELA CONSTITUIÇÃO E PELAS LEIS DA REPÚBLICA - IMPOSSIBILIDADE DE UTILIZAÇÃO, PELO MINISTÉRIO PÚBLICO, DE PROVA OBTIDA COM TRANSGRESSÃO À GARANTIA DA INVIOLABILIDADE DOMICILIAR - PROVA ILÍCITA - INIDONEIDADE JURÍDICA - "HABEAS CORPUS" DEFERIDO. ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - FISCALIZAÇÃO - PODERES - NECESSÁRIO RESPEITO AOS DIREITOS E GARANTIAS INDIVIDUAIS DOS CONTRIBUINTES E DE TERCEIROS. - Não são absolutos os poderes de que se acham investidos os órgãos e agentes da administração tributária, pois o Estado, em tema de tributação, inclusive em matéria de fiscalização tributária, está sujeito à observância de um complexo de direitos e prerrogativas que assistem, constitucionalmente, aos contribuintes e aos cidadãos em geral. Na realidade, os poderes do Estado encontram, nos direitos e garantias individuais, limites intransponíveis, cujo desrespeito pode caracterizar ilícito constitucional. - A administração tributária, por isso mesmo, embora podendo muito, não pode tudo. É que, ao Estado, é somente lícito atuar, "respeitados os direitos individuais e nos termos da lei" (CF, art. 145, § 1º), consideradas, sobretudo, e para esse específico efeito, as limitações jurídicas decorrentes do próprio sistema instituído pela Lei Fundamental, cuja eficácia - que prepondera sobre todos os órgãos e agentes fazendários - restringe-lhes o alcance do poder de que se acham investidos, especialmente quando exercido em face do contribuinte e dos cidadãos da República, que são titulares de garantias impregnadas de estatura constitucional e que, por tal razão, não podem ser transgredidas por aqueles que exercem a autoridade em nome do Estado. A GARANTIA DA INVIOLABILIDADE DOMICILIAR COMO LIMITAÇÃO CONSTITUCIONAL AO PODER DO ESTADO EM TEMA DE FISCALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA - CONCEITO DE "CASA" PARA EFEITO DE PROTEÇÃO CONSTITUCIONAL - AMPLITUDE DESSA NOÇÃO CONCEITUAL, QUE TAMBÉM COMPREENDE OS ESPAÇOS PRIVADOS NÃO ABERTOS AO PÚBLICO, ONDE ALGUÉM EXERCE ATIVIDADE PROFISSIONAL: NECESSIDADE, EM TAL HIPÓTESE, DE MANDADO JUDICIAL (CF, ART. 5º, XI). - Para os fins da proteção jurídica a que se refere o art. 5º, XI, da Constituição da República, o conceito normativo de "casa" revela-se abrangente e, por estender-se a qualquer compartimento privado não aberto ao público, onde alguém exerce profissão ou atividade (CP, art. 150, § 4º, III), compreende, observada essa específica limitação espacial (área interna não acessível ao público), os escritórios profissionais, inclusive os de contabilidade, "embora sem conexão com a casa de moradia propriamente dita" (NELSON HUNGRIA). Doutrina. Precedentes. - Sem que ocorra qualquer das situações excepcionais taxativamente previstas no texto constitucional (art. 5º, XI), nenhum agente público, ainda que vinculado à administração tributária do Estado, poderá, contra a vontade de quem de direito ("invito domino"), ingressar, durante o dia, sem mandado judicial, em espaço privado não aberto ao público, onde alguém exerce sua atividade profissional, sob pena de a prova resultante da diligência de busca e apreensão assim executada reputar-se inadmissível, porque impregnada de ilicitude material. Doutrina. Precedentes específicos, em tema de fiscalização tributária, a propósito de escritórios de contabilidade (STF). - O atributo da auto-executoriedade dos atos administrativos, que traduz expressão concretizadora do "privilège du preálable", não prevalece sobre a garantia constitucional da inviolabilidade domiciliar, ainda que se cuide de atividade exercida pelo Poder Público em sede de fiscalização tributária. Doutrina. Precedentes. ILICITUDE DA PROVA - INADMISSIBILIDADE DE SUA PRODUÇÃO EM JUÍZO (OU PERANTE QUALQUER INSTÂNCIA DE PODER) - INIDONEIDADE JURÍDICA DA PROVA RESULTANTE DE TRANSGRESSÃO ESTATAL AO REGIME CONSTITUCIONAL DOS DIREITOS E GARANTIAS INDIVIDUAIS. - A ação persecutória do Estado, qualquer que seja a instância de poder perante a qual se instaure, para revestir-se de legitimidade, não pode apoiar-se em elementos probatórios ilicitamente obtidos, sob pena de ofensa à garantia constitucional do "due process of law", que tem, no dogma da inadmissibilidade das provas ilícitas, uma de suas mais expressivas projeções concretizadoras no plano do nosso sistema de direito positivo. A "Exclusionary Rule" consagrada pela jurisprudência da Suprema Corte dos Estados Unidos da América como limitação ao poder do Estado de produzir prova em sede processual penal. - A Constituição da República, em norma revestida de conteúdo vedatório (CF, art. 5º, LVI), desautoriza, por incompatível com os postulados que regem uma sociedade fundada em bases democráticas (CF, art. 1º), qualquer prova cuja obtenção, pelo Poder Público, derive de transgressão a cláusulas de ordem constitucional, repelindo, por isso mesmo, quaisquer elementos probatórios que resultem de violação do direito material (ou, até mesmo, do direito processual), não prevalecendo, em conseqüência, no ordenamento normativo brasileiro, em matéria de atividade probatória, a fórmula autoritária do "male captum, bene retentum". Doutrina. Precedentes. - A circunstância de a administração estatal achar-se investida de poderes excepcionais que lhe permitem exercer a fiscalização em sede tributária não a exonera do dever de observar, para efeito do legítimo desempenho de tais prerrogativas, os limites impostos pela Constituição e pelas leis da República, sob pena de os órgãos governamentais incidirem em frontal desrespeito às garantias constitucionalmente asseguradas aos cidadãos em geral e aos contribuintes em particular. - Os procedimentos dos agentes da administração tributária que contrariem os postulados consagrados pela Constituição da República revelam-se inaceitáveis e não podem ser corroborados pelo Supremo Tribunal Federal, sob pena de inadmissível subversão dos postulados constitucionais que definem, de modo estrito, os limites - inultrapassáveis - que restringem os poderes do Estado em suas relações com os contribuintes e com terceiros. A QUESTÃO DA DOUTRINA DOS FRUTOS DA ÁRVORE ENVENENADA ("FRUITS OF THE POISONOUS TREE"): A QUESTÃO DA ILICITUDE POR DERIVAÇÃO. - Ninguém pode ser investigado, denunciado ou condenado com base, unicamente, em provas ilícitas, quer se trate de ilicitude originária, quer se cuide de ilicitude por derivação. Qualquer novo dado probatório, ainda que produzido, de modo válido, em momento subseqüente, não pode apoiar-se, não pode ter fundamento causal nem derivar de prova comprometida pela mácula da ilicitude originária. - A exclusão da prova originariamente ilícita - ou daquela afetada pelo vício da ilicitude por derivação - representa um dos meios mais expressivos destinados a conferir efetividade à garantia do "due process of law" e a tornar mais intensa, pelo banimento da prova ilicitamente obtida, a tutela constitucional que preserva os direitos e prerrogativas que assistem a qualquer acusado em sede processual penal. Doutrina. Precedentes. - A doutrina da ilicitude por derivação (teoria dos "frutos da árvore envenenada") repudia, por constitucionalmente inadmissíveis, os meios probatórios, que, não obstante produzidos, validamente, em momento ulterior, acham-se afetados, no entanto, pelo vício (gravíssimo) da ilicitude originária, que a eles se transmite, contaminando-os, por efeito de repercussão causal. Hipótese em que os novos dados probatórios somente foram conhecidos, pelo Poder Público, em razão de anterior transgressão praticada, originariamente, pelos agentes estatais, que desrespeitaram a garantia constitucional da inviolabilidade domiciliar. - Revelam-se inadmissíveis, desse modo, em decorrência da ilicitude por derivação, os elementos probatórios a que os órgãos estatais somente tiveram acesso em razão da prova originariamente ilícita, obtida como resultado da transgressão, por agentes públicos, de direitos e garantias constitucionais e legais, cuja eficácia condicionante, no plano do ordenamento positivo brasileiro, traduz significativa limitação de ordem jurídica ao poder do Estado em face dos cidadãos. - Se, no entanto, o órgão da persecução penal demonstrar que obteve, legitimamente, novos elementos de informação a partir de uma fonte autônoma de prova - que não guarde qualquer relação de dependência nem decorra da prova originariamente ilícita, com esta não mantendo vinculação causal -, tais dados probatórios revelar-se-ão plenamente admissíveis, porque não contaminados pela mácula da ilicitude originária. - A QUESTÃO DA FONTE AUTÔNOMA DE PROVA ("AN INDEPENDENT SOURCE") E A SUA DESVINCULAÇÃO CAUSAL DA PROVA ILICITAMENTE OBTIDA - DOUTRINA - PRECEDENTES DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (RHC 90.376/RJ, Rel. Min. CELSO DE MELLO, v.g.) - JURISPRUDÊNCIA COMPARADA (A EXPERIÊNCIA DA SUPREMA CORTE AMERICANA): CASOS "SILVERTHORNE LUMBER CO. V. UNITED STATES (1920); SEGURA V. UNITED STATES (1984); NIX V. WILLIAMS (1984); MURRAY V. UNITED STATES (1988)", v.g..
    Filed under:
  • As cinco bolas

    Imagine a vida como um jogo, no qual você faz malabarismo com cinco bolas que são lançadas no ar... Essas bolas são: o trabalho , a família , a saúde , os amigos e o espírito . O trabalho é a única bola de borracha. Se cair, bate no chão e *** para cima. Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas. Entendam isso e assim conseguirão o equilíbrio na vida. Como? Não diminua seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes: cada um de nós é um ser especial. Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só você tem condições de escolher o que é melhor para si próprio. Dê valor e respeite as coisas mais queridas de seu coração. Apegue-se a elas como à própria vida. Sem elas a vida carece de sentido. Não deixe que a vida escorra entre os dedos por viver no passado ou no futuro. Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de sua vida. Não desista enquanto ainda é capaz de um esforço a mais. Nada termina até o momento em que se deixa de tentar. Não tema admitir que não é perfeito. Não tema enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes. Não exclua o amor de sua vida, dizendo que não se pode encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dá-lo. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas. Não corra tanto pela vida a ponto de esquecer onde esteve e para onde vai. Não tenha medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente. Não use imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se pode recuperar uma palavra dita. A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem, que deve ser desfrutada a cada passo. Lembre-se: ontem é história. Amanhã é mistério e HOJE é uma dádiva. Por isso se chama "presente". Autor desconhecido.
  • O problema

    Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto. O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos para descobrir quem seria o novo sentinela. O Mestre, com muita tranquilidade, falou: - Assumirá o posto o monge que conseguir resolver primeiro o problema que eu vou apresentar. Então ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo. E disse apenas: - Aqui está o problema! Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro! O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e ...ZAPT!... destruiu tudo, com um só golpe. Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse: Você é o novo Guardião. Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é um problema, mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, deve ser suprimido. Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam espaço - um lugar indispensável para criar a vida. Os orientais dizem: - Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar o chá para, então, beber o vinho. Ou seja, para aprender o novo, é essencial desaprender o velho. Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários até chegar às pessoas do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em sua mente. Vai ficar mais fácil ser feliz.
  • Ociosidade

    "Não é ocioso apenas o que nada faz, mas é ocioso quem poderia empregar melhor o seu tempo." Sócrates
  • Show da língua portuguesa

    Recebi isto por e-mail de meu grande amigo Huldo Cony e resolvi compartilhar com vocês. Vale a pena refletir sobre isso... Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim: "Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres." Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes. 1) O sobrinho fez a seguinte pontuação: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres. 2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito: Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres. 3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres. 4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres. Moral da história: A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras. Nós é que fazemos sua pontuação. E isso faz toda a diferença...
    Filed under:
  • Sacudindo a terra

    Um dia, o cavalo de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria. Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer. Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que o cavalo já estava muito velho e não servia mais para nada, e também o poço já estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma. Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o cavalo de dentro do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o cavalo. Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço. O cavalo não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele, e chorou desesperadamente. Porém, para surpresa de todos, o cavalo quietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou. O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu com o que viu. A cada pá de terra que caía sobre suas costas o cavalo a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em pouco tempo, todos viram como o cavalo conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima da borda e sair dali trotando. A vida vai lhe jogar muita terra, todo o tipo de terra. Principalmente se você já estiver dentro de um poço. O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar um passo sobre ela. Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima. Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. Use a terra que te jogam para seguir adiante! Recorde as 5 regras para ser feliz: 1- Liberte o seu coração do ódio. 2 - Liberte a sua mente das preocupações. 3 - Simplifique a sua vida. 4- Dê mais e espere menos. 5- Ame mais e... aceite a terra que lhe jogam, pois ela pode ser a solução, não o problema. QUE AMANHÃ SEJA UM DIA AINDA MELHOR DO QUE FOI HOJE!
    Filed under:
  • A viagem

    A todos queridos leitores de meu blog... Vamos comparar a vida a uma viagem de trem ? Uma comparação extremamente interessante, quando bem interpretada. Interessante, porque nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas agradáveis com alguns embarques e de tristezas com os desembarques... Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que, acreditamos que farão conosco a viagem até o fim: nossos pais. Não é verdade. Infelizmente, em alguma estação, eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto. Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas interessantes que virão ser especiais para nós: nossos irmãos, amigos e amores. Muitas pessoas tomam esse trem a passeio. Outras fazem a viagem experimentando somente tristezas. E no trem há, também, outras que passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa. Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe. Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros acomodam-se em vagões diferentes do nosso. Isso nos obriga a fazer essa viagem separados deles. Mas isso não nos impede de, com grande dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles. O difícil é aceitarmos que não podemos sentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar. Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques. Sabemos que esse trem jamais volta. Façamos essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos, procurando em cada um o que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e provavelmente, precisaremos entender isso. Nós mesmos fraquejamos algumas vezes. E certamente, alguém nos entenderá. O grande mistério é que não sabemos em qual parada desceremos. E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim. Deixar meus filhos viajando sozinhos será muito triste. Separar-me dos amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido. Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram. E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que essa bagagem tenha crescido e se tornado valiosa. Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e desembarquem pessoas. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade... Quem entrará? Quem sairá? Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem, não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo ínfimo, deixaram desmoronar. Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós, têm a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de "todos os passageiros". Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo.
    Filed under:
  • Valorize sua especialidade

    Não se cobra pelo que se faz, mas pelo que se sabe! Um especialista foi chamado para solucionar um problema com um computador de grande porte e altamente complexo... Um computador que vale 12 milhões de reais. Sentado em frente ao monitor, pressionou algumas teclas, balançou a cabeça, murmurou algo para si mesmo e desligou o computador. Tirou uma chave de fenda de seu bolso e deu volta e meia em um minúsculo parafuso. Então ligou o computador e verificou que tudo estava funcionando perfeitamente. O presidente da empresa se mostrou surpreendido e ofereceu pagar a conta no mesmo instante. - Quanto lhe devo? -perguntou. - São mil reais, por favor. - Mil reais? Mil reais por alguns minutos de trabalho? Mil reais por apertar um parafuso? Eu sei que meu computador vale 12 milhões de reais, mas mil reais é um valor absurdo! Pagarei somente se receber uma nota fiscal com todos os detalhes que justifique tal valor. O especialista balançou a cabeça e saiu. Na manhã seguinte, o presidente recebeu a nota fiscal, leu com cuidado, balançou a cabeça e saiu para pagá-la no mesmo instante sem reclamar. A nota fiscal dizia: Serviços prestados: Apertar um parafuso R$ 1,00 Saber qual parafuso apertar R$ 999,00 Total R$ 1.000,00
    Filed under:
  • O tigre e o sábio

    Um certo TIGRE, de nobre estirpe, vivia na floresta e infernizava as aldeias próximas. Aterrorizava as pessoas e atacava os animais dos currais. Por isso, o Sábio da região foi chamado para conversar com o TIGRE. Foi mostrado, então, ao felino que suas atitudes estavam totalmente erradas. Afinal, sendo de linhagem nobre, ele não poderia agir assim. Convencido pelo Sábio, o TIGRE prometeu mudar totalmente seu comportamento; e assim o fez. Passado algum tempo, o Sábio encontra o TIGRE todo machucado e maltratado. Desejando saber o motivo de sua desdita, o TIGRE relata ao Sábio que somente passara a se comportar como este lhe havia recomendado. E, desde então, até mesmo as crianças passaram a lhe maltratar, atirando-lhe pedras e paus, causando-lhe toda a sorte de ferimentos. Após ouvir o relato do TIGRE, o Sábio lhe diz: "- Nobre Tigre, eu lhe disse que deveria ser bom e gentil, como um verdadeiro nobre; mas nunca lhe disse que deixasse de MOSTRAR SEUS DENTES, quando necessário." A metáfora acima é um convite à reflexão. Quem é pela PAZ porque é de "nobre estirpe" deve considerar o seguinte. Tal como o TIGRE, não pode ficar impedido de MOSTRAR OS DENTES quando ameaçado. "Si vis pacem, para bellum." (Se desejas a paz, prepara-te para a guerra!)
  • A bitola e a atualidade

    A bitola e a atualidade Aqui está o mais puro exemplo de como temos, muitas vezes, de nos adaptar a s atitudes tomadas no passado: A bitola das ferrovias (distância entre os dois trilhos) nos Estados Unidos é de 4 pés e 8,5 polegadas. Por que esse número foi utilizado? Porque era esta a bitola das ferrovias inglesas e, como as americanas, foram construídas pelos ingleses, esta foi a medida utilizada. Por que os ingleses usavam esta medida? Porque as empresas inglesas que construíam os vagões eram as mesmas que, antes das ferrovias, construíam as carroças e utilizavam as mesmos ferramentas. Por que das medidas (4 pése 8,5 polegadas) para as carroças? Porque a distância entre as rodas das carroças deveria servir para as estradas antigas da Europa, que tinham esta medida. E por que tinham esta medida? Porque essas estradas foram abertas pelo antigo império romano, quando de suas conquistas, e tinham as medidas baseadas nas antigas bigas romanas. E por que as medidas das bigas foram definidas assim? Porque foram feitas para acomodar dois traseiros de cavalos! Finalmente... O ônibus espacial americano utiliza dois tanques de combustível sólido SRB - (Solid Rocket Booster) que são fabricados pela Thiokol, em Utah. Os engenheiros que os projetaram queriam fazê-lo mais largo, porém tinham a limitação dos túneis das ferrovias por onde eles seriam transportados, os quais tinham suas medidas baseadas na bitola da linha. Conclusão: O exemplo mais avançado da engenharia mundial em design e tecnologia acaba sendo afetado pelo tamanho do traseiro do cavalo da Roma antiga. No mundo atual, inacreditavelmente, ainda existem países, governos, empresas e entidades diversas que também têm um monte de coisas definidas por bundões. A comparação com a atualidade é mera casualidade??
  • Língua Portuguesa

    Depois de tanto ouvir asneira pelo telefone resolvi postar isto aqui... AULAS DE PORTUGUÊS - UTILIDADE PÚBLICA URGENTE Todo mundo já ouviu estas bobagens "n" vezes; agora alguém se preocupou em juntá-las e esclarecê-las. Um verdadeiro serviço de utilidade pública. Evite dizer: Menas (sempre menos) Iorgute (iogurte) Mortandela (mortadela) Mendingo (mendigo) Trabisseiro (travesseiro) Trezentas gramas (é O grama e não A grama) Di menor, di maior (é simplesmente maior ou menor de idade) Cardaço (cadarço) Asterístico (asterisco) Beneficiente (beneficente - lembre-se de Beneficência Portuguesa) E lembre-se também: Mal x Bem Mau x Bom A casa é GEMINADA (do latim geminare = duplicar) e não GERMINADA nascer, brotar. (ótimo!) O peixe tem ESPINHA (espinha dorsal) e não ESPINHO. Plantas têm espinhos. Homens dizem OBRIGADO e mulheres OBRIGADA. O certo é HAJA VISTA (que se oferece à vista) e não HAJA VISTO. "FAZ dois anos que não o vejo" e não "FAZEM dois anos". "Houve" dez quedas e não "houveram" dez quedas. POR ISSO e não PORISSO. "HAVIA muitas pessoas no local" e não " HAVIAM" "PODE HAVER problemas" e não "PODEM HAVER...." PROBLEMA e não POBLEMA ou POBREMA (deixe isso para o Zé Dirceu) A PARTIR e não À PARTIR Para EU fazer, para EU comprar, para EU comer e não para MIM fazer, comprar ou comer (mim não conjuga verbo; apenas "eu, tu eles, nós, vós, eles") (essa é boa!!! e mesmo assim muitas pessoas continuam sem entender) As pronúncias: CD-ROM é igual a ROMA sem o A. Não é CD-RUM (nem CD-pinga, CD-vodka, etc). ROM quer dizer read only memory - memória apenas para leitura. HALL é RÓL não RAU, nem AU. SODEX-Ho é sodêxô (Francês) e não Sodéx-rô (Português) E agora, o horror divulgado pelo pessoal do TELEMARKETING: Não é eu vou ESTAR mandando, vou ESTAR passando, vou ESTAR verificando e sim eu vou MANDAR, vou PASSAR e vou VERIFICAR (muito mais simples, elegante e CORRETO). Por favor, arranquem os malditos SEJE e ESTEJE do seu vocabulário. Isso é Xuxismo, "Hebe"steira... O certo é CUSPIR BASCULANTE e não VASCULHANTE, aquela janela do banheiro ou da cozinha. Fora os que falam estou "soando" referindo-se ao calor... O certo é suando, com "u", pois quem "soa" é sino! Informações não são maiores nem menores. Se quiser complementar uma informação, use "mais informações" e não "maiores informações". Divulgue aos seus amigos e inimigos. Circula tanta bobagem pela internet, por que não circular coisa útil? "A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de qualquer falsidade como o óleo sobre a água." (Miguel Cervantes)
    Filed under:
  • Evolução (?) da Educação

    Pessoal, acabo de me deparar com um documento MUITO interessante! Lembram que se falava dos antepassados (bisavós, tataravós, etc) de que possuíam apenas o ensino fundamental? Pois é, a parte interessante é o que eles aprendiam naquela época. Por total falta de informações da nossa pátria obtive este documento do USA, mas já é alarmante: Este é o exame final da oitava série em 1895 em Salina, KS, USA. Ele está arquivado na Smokey Valley Genealogical Society and Library em Salina, KS e foi reimpresso pelo Salina Journal. Não traduzi para evitar erros de tradução, afinal de contas estudei no século vinte e como podemos ver pela prova, o ensino não é mais o mesmo... 8th GRADE FINAL EXAM Grammar (Time, one hour) 1. Give nine rules for the use of Capital Letters. 2. Name the Parts of Speech and define those that have no Modifications. 3. Define Verse, Stanza and Paragraph. 4. What are the Principal Parts of a verb? Give Principal Parts of lie, lay and run 5. Define Case, Illustrate each Case. 6. What is Punctuation? Give rules for principal marks of Punctuation. 7. Write a composition of about 150 words and show therein that you understand the practical use of the rules of grammar. Arithmetic (Time, 1.25 hours) 1. Name and define the Fundamental Rules of Arithmetic. 2. A wagon box is 2 ft deep, 10 feet long, and 3 ft. wide. How many bushels of wheat will it hold? 3. If a load of wheat weighs 3942 lbs., what is it worth at 50cts/bushel, deducting 1050lbs. for tare? 4. District No. 33 has a valuation of $35,000. What is the necessary Levy to carry on a school seven months at $50 per month, and have $104 for incidentals? 5. Find cost of 6720 lbs. coal at $6.00 per ton 6. Find the interest of $512.60 for 8 months and 18 days at 7 percent. 7. What is the cost of 40 boards 12 inches wide and 16 ft. long at $20 per meter? 8 Find bank discount on $300 for! 90 days (no grace) at 10 percent. 9. What is the cost of a square farm at $15 per acre, the distance Around which is 640 rods? 10. Write a Bank Check, a Promissory Note, and a Receipt. U. S. History (Time, 45 minutes) 1. Give the epochs into which U. S. History is divided. 2. Give an account of the discovery of America by Columbus. 3. Relate the causes and results of the Revolutionary War. 4. Show the territorial growth of the United States. 5. Tell what you can of the history of Kansas. 6. Describe three of the most prominent battles of the Rebellion. 7. Who were the following: Morse, Whitney, Fulton, Bell, Lincoln, Penn, and Howe? 8. Name events connected with the following dates: 1607, 1620, 1800, 1849, 1865. Orthography (Time, one hour) 1. What is meant by the following: Alphabet, phonetic, orthography, etymology, syllabication? 2. What are elementary sounds? How classified? 3. What are the following, and give examples of each: Trigraph, sub vocals, diphthong, cognate letters, linguals? 4. Give four substitutes for caret 'u'. 5. Give two rules for spelling words with final 'e.' Name two Exceptions under each rule. 6. Give two uses of silent letters in spelling. Illustrate each. 7. Define the following prefixes and use in connection with a word: bi, dis, mis, pre, semi, post, non, inter, mono, sup 8. Mark diacritically and divide into syllables the following, and Name the sign that indicates the sound: card, ball, mercy, sir, odd, cell, rise, blood, fare, last. 9. Use the following correctly in sentences: cite, site, sight, fane, fain, feign, vane, vain, vein, raze, raise, rays. 10. Write 10 words frequently mispronounced and indicate pronunciation by use of diacritical marks and by syllabication. Geography (Time, one hour) 1. What is climate? Upon what does climate depend? 2. How do you account for the extremes of climate in Kansas? 3. Of what use are rivers? Of what use is the ocean? 4. Describe the mountains of North America. 5. Name and describe the following: Monrovia, Odessa, Denver, Manitoba, Hecla, Yukon, St. Helena, Juan Fernandez, Aspinwall &Orinoco. 6. Name and locate the principal trade centers of the U.S. 7. Name all the republics of Europe and give the capital of each. 8. Why is the Atlantic Coast colder than the Pacific in the same latitude? 9. Describe the process by which the water of the ocean returns to the sources of rivers. 10. Describe the movements of the earth. Give the inclination of the earth. -------------------------------------------------------------------- Atente para o fato de que o exame durava 5 horas. Isto não muda a nossa perspectiva sobre a educação dos nossos antepassados? O que aconteceu conosco? Isto não envergonha você? Parece que estão apenas aumentando o número de anos da educação, fazendo com que se leve mais tempo para aprender a mesma coisa. De quem é este interesse? Ah sim, claro, de quem se elege as custas de um povo burro...
    Filed under:
  • O centro das atenções

    Um homem estava sentado no vaso, de um banheiro de shopping center, fazendo suas necessidades quando ouve: "Oi, tudo bem??" Praticamente ninguém gosta de conversar neste momento, muito menos sem saber quem se encontra do outro lado, mas para não ser indelicado ele responde: "Estou ótimo!" E o outro pergunta: "O que é que está fazendo?" Mas que pergunta mais sem lógica. O homem acha até um pouco bizarro, mas responde: "Acho que o mesmo que você..." Justamente quando estava chegando ao ponto alto da situação ele ouve: "Posso ir aí??" Ok, isto já era demais, mas sem querer ser mal educado, ele responde: "Não! Neste momento estou muito ocupado..." Nisto o outro homem fala: "Olha... eu ligo mais tarde, porque tem um idiota sentado aqui ao lado e cada vez que eu falo com você, ele responde..." Moral da história: Analise bem o contexto, os fatos e o que é dito, ANTES de tomar partido por alguma posição e lembre-se que você até pode ser algumas vezes, mas jamais será SEMPRE o centro das atenções. A maioria dos coisas que ocorrem a sua volta não são feitas para atingi-lo de alguma forma, mas sim com propósitos completamente diferentes.
    Filed under:
  • Gente que não faz nada...

    Puxa, encontro tanto gente que não faz nada, neste mundo e sempre tem uma desculpa pronta para deixar de fazer o que devia, que ao receber este texto tive que publicá-lo. P.S.: Noite fui dormir as 04:30 e acordei as 06:00. Parece que não encontrei uma desculpa para deixar de concluir meus compromissos e encontrei um horário vago na agenda... DEDICAÇÃO (Roberto Shinyashiki) Dedicação é a capacidade de se entregar à realização de um objetivo. Não conheço ninguém que tenha progredido na carreira sem trabalhar pelo menos doze horas por dia nos primeiros anos. Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá de se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo. Se quiser um casamento gratificante, terá de investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo. O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para conseguir um resultado diferente da maioria, você tem de ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente, ela não é modelo de sucesso. Se você quiser atingir uma meta especial, terá de estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar, enquanto os outros tomam sol à beira da piscina. A realização de um sonho depende da dedicação. Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica. Mas toda mágica é ilusão. A ilusão não tira ninguém do lugar onde está. Ilusão é combustível de perdedores. "Quem quer fazer alguma coisa encontra um meio". "Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa".
  • Doutoras...

    Certo dia, uma mulher chamada Ana foi renovar a sua carteira de motorista. Quando lhe perguntaram qual era a sua profissão, ela hesitou. Não sabia bem como se classificar. O funcionário insistiu: "o que eu pergunto é se tem um trabalho." "Claro que tenho um trabalho", exclamou Ana. "Sou mãe." "Nós não consideramos isso um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente. Uma amiga sua, chamada Marta soube do ocorrido e ficou pensando a respeito por algum tempo. Num determinado dia, ela se encontrou numa situação idêntica. A pessoa que a atendeu era uma funcionária de carreira, segura, eficiente. O formulário parecia enorme, interminável. A primeira pergunta foi: "qual é a sua ocupação?" Marta pensou um pouco e sem saber bem como, respondeu: "Sou doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas." A funcionária fez uma pausa e Marta precisou repetir pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas. Depois de ter anotado tudo, a jovem ousou indagar; "Posso perguntar, o que é que a senhora faz exatamente?" Sem qualquer traço de agitação na voz, com muita calma, Marta explicou: "Desenvolvo um programa à longo prazo, dentro e fora de casa." Pensando na sua família, ela continuou: "sou responsável por uma equipe e já recebi quatro projetos. Trabalho em regime de dedicação exclusiva. O grau de exigência é de 14 horas por dia, às vezes até 24 horas." À medida que ia descrevendo suas responsabilidades, Marta notou o crescente tom de respeito na voz da funcionária, que preencheu todo o formulário com os dados fornecidos. Quando voltou para casa, Marta foi recebida por sua equipe: uma menina com 13 anos, outra com 7 e outra com 3. Subindo ao andar de cima da casa, ela pôde ouvir o seu mais novo projeto, um bebê de seis meses, testando uma nova tonalidade de voz. Feliz, Marta tomou o bebê nos braços e pensou na glória da maternidade, com suas multiplicadas responsabilidades. E horas intermináveis de dedicação... "Mãe, onde está meu sapato? Mãe, me ajuda a fazer a lição? Mãe, o bebê não pára de chorar. Mãe, você me busca na escola? Mãe, você vai assistir a minha dança? Mãe, você compra? Mãe..." Sentada na cama, Marta pensou: "se ela era doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas, o que seriam as avós?" E logo descobriu um título para elas: doutoras-sênior em desenvolvimento infantil e em relações humanas. As bisavós, doutoras executivas sênior. As tias, doutoras-assistentes. E todas as mulheres, mães, esposas, amigas e companheiras: doutoras na arte de fazer a vida melhor. Num mundo em que se dá tanta importância aos títulos, em que se exige sempre maior especialização, na área profissional, torne-se um(a) especialista na arte de amar! Pensamento: “Não se preocupe por não poder dar aos seus filhos o melhor de tudo... Dê a eles o seu melhor.” (Autor desconhecido)
    Filed under:
  • NÃO TE ESQUEÇAS DO PRINCIPAL

    NÃO TE ESQUEÇAS DO PRINCIPAL Conta a lenda que certa mulher pobre, com uma criança ao colo,passando diante de uma caverna, escutou uma voz misteriosa que dizia lá de dentro: - "Entra e apanha tudo o que desejares, mas não te esqueças do principal.. Lembra-te, porém, de uma coisa: Depois de saíres, a porta fechar-se-á para sempre!!! Portanto, aproveita a oportunidade, mas não te esqueças do principal..." A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no avental. A voz misteriosa falou novamente: - "Já só tens oito minutos..." Esgotados os oito minutos, a mulher, carregada de ouro e de pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta fechou-se... Lembrou-se, então, de que a criança ficara lá dentro... Mas a porta já estava fechada para sempre!!!! A riqueza durou pouco, e o desespero sempre.... Temos uns (oitenta?) anos para viver, neste Mundo, e há uma voz que nos adverte, de vez em quando: " Não te esqueças do Principal !" O principal são os valores espirituais, a família, os amigos, a vida! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais fascinam-nos tanto que o principal vai ficando sempre de lado... Assim, esgotamos o nosso tempo aqui, e deixamos de lado o essencial: " Os tesouros da Alma !" Quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerão as lamentações...
  • Pequenas Igrejas... Grandes Negócios...

    É incrível a quantidade de pequenas Igrejas que surgem por aqui, sendo que o mais interessante são as propostas delas. Pessoas sem nenhum histórico de religiosidade se juntam a eles e se tornam "pastores" da noite para o dia, aí o que interessa é o faturamento da igreja. Eles têm cotas de faturamento, como empresas e precisam comprová-las para os seus bispos, caso contrário "perdem" a paróquia para outro "pastor". Um profissional foi contratado para configurar um servidor de uma destas paróquias. Uma casa pequena, mas que fatura mais do que muita pequena empresa. A cada reunião ("missa") eles faturam em torno de R$ 12.000,00 e tem uma por hora. O pastor ganha R$ 10.000,00 por mês (mais do que alguns executivos) e o resto vai para o bispo. Este negócio gera mais dinheiro do que muita empresa cheia de funcionários... Em muitas delas o povo fica sendo enganado o tempo todo e as autoridades nada fazem, até mesmo porque como comprovar se uma religião é "quente" ou "fria"? A única coisa que podemos afirmar é que a cada dia surge uma nova religião e que elas estão dando MUITO dinheiro... Acontece o mesmo nas cidades de vocês??
    Filed under:
  • Livre Pensador

    Há algum tempo recebi um convite de um colega para servir de árbitro na revisão de uma prova. Tratava-se de avaliar uma questão de Física que recebera nota zero. O aluno contestava tal conceito, alegando que merecia nota máxima pela resposta, a não ser que houvesse uma "conspiração do sistema" contra ele. Professor e aluno concordaram em submeter o problema a um juiz imparcial, e eu fui o escolhido. Chegando à sala de meu colega, li a questão da prova, que dizia: "Mostre como pode-se determinar a altura de um edifício bem alto com o auxilio de um barômetro." A resposta do estudante foi a seguinte: "Leve o barômetro ao alto do edifício e amarre uma corda nele; baixe o barômetro até a calçada e em seguida levante, medindo o comprimento da corda; este comprimento será igual à altura do edifício." Sem dúvida era uma resposta interessante, e de alguma forma correta, pois satisfazia o enunciado. Por instantes vacilei quanto ao veredicto. Recompondo-me rapidamente, disse ao estudante que ele tinha forte razão para ter nota máxima, já que havia respondido a questão completa e corretamente. Entretanto, se ele tirasse nota máxima, estaria caracterizada uma aprovação em um curso de física, mas a resposta não confirmava isso. Sugeri então que fizesse uma outra tentativa para responder a questão. Não me surpreendi quando meu colega concordou, mas sim quando o estudante resolveu encarar aquilo que eu imaginei lhe seria um bom desafio. Segundo o acordo, ele teria seis minutos para responder à questão, isto após ter sido prevenido de que sua resposta deveria mostrar, necessariamente, algum conhecimento de física. Passados cinco minutos, ele não havia escrito nada, apenas olhava pensativamente para o forro da sala. Perguntei-lhe então se desejava desistir, pois eu tinha um compromisso logo em seguida, e não tinha tempo a perder. Mais surpreso ainda fiquei quando o estudante anunciou que não havia desistido. Na realidade tinha muitas respostas, e estava justamente escolhendo a melhor. Desculpei-me pela interrupção e solicitei que continuasse. No momento seguinte ele escreveu esta resposta: "Vá ao alto do edifico, incline-se numa ponta do telhado e solte o barômetro, medindo o tempo t de queda desde a largada até o toque com o solo. Depois, empregando a fórmula h = (1/2)gt^2 , calcule a altura do edifício." Perguntei então ao meu colega se ele estava satisfeito com a nova resposta, e se concordava com a minha disposição em conferir praticamente a nota máxima à prova. Concordou, embora sentisse nele uma expressão de descontentamento, talvez inconformismo. Ao sair da sala lembrei-me que o estudante havia dito ter outras respostas para o problema. Embora já sem tempo, não resisti à curiosidade e perguntei-lhe quais eram essas respostas. "Ah, sim!" - disse ele - "há muitas maneiras de se achar a altura de um edifício com a ajuda de um barômetro". Perante a minha curiosidade e a já perplexidade de meu colega, o estudante desfilou as seguintes explicações. "Por exemplo, num belo dia de sol pode-se medir a altura do barômetro e o comprimento de sua sombra projetada no solo, bem como a do edifício". Depois, usando-se uma simples regra de três, determina-se à altura do edifício. "Um outro método básico de medida, aliás bastante simples e direto, é subir as escadas do edifício fazendo marcas na parede, espaçadas da altura do barômetro. Contando o número de marcas ter-se-á a altura do edifício em unidades barométricas". Um método mais complexo seria amarrar o barômetro na ponta de uma corda e balançá-lo como um pêndulo, o que permite a determinação da aceleração da gravidade (g). Repetindo a operação ao nível da rua e no topo do edifício, tem-se dois g's, e a altura do edifício pode, a princípio, ser calculada com base nessa diferença. "Finalmente", - concluiu, - "se não for cobrada uma solução física para o problema, existem outras respostas. Por exemplo, pode-se ir até o edifício e bater à porta do síndico. Quando ele aparecer diz-se: "Caro Sr. síndico, trago aqui um ótimo barômetro; se o senhor me disser a altura deste edifício, eu lhe darei o barômetro de presente.". A esta altura, perguntei ao estudante se ele não sabia qual era a resposta 'esperada' para o problema. Ele admitiu que sabia, mas estava tão farto com as tentativas dos professores de controlar o seu raciocínio e cobrar respostas prontas com base em informações mecanicamente arroladas, que ele resolveu contestar aquilo que considerava, principalmente, uma farsa. "Não basta ensinar ao homem uma especialidade, porque se tornará assim uma máquina utilizável e não uma personalidade. É necessário que adquira um sentimento, um senso prático daquilo que vale a pena ser empreendido, daquilo que é belo, do que é moralmente correto" Albert Einstein O método de ensino ao qual você está vinculado contempla o livre pensamento????
    Filed under:
  • Importante e imprescindível

    Nirso O gerente de vendas recebeu o seguinte fax de um dos seus novos vendedores: "Seo Gomis o criente de Belzonte pidiu mais cuatrucenta pessa. Faz favor toma as providenssa, Abrasso, Nirso." Aproximadamente uma hora depois, recebeu outro: "Seo Gomis, os relatório di venda vai xega atrazado proque to fexando umas venda. Temo que manda treis miu pessa. Amanhã tô xegando. Abrasso, Nirso." No dia seguinte: "Seo Gomis, num xeguei pucausa de que vendi maiz deis miu em Beraba. To indo pra Brazilha. Abrasso, Nirso." No outro: "Seo Gomis, Brazilha fexo 20 miu. Vo pra Frolinoplis e de lá pra Sum Paulo no vinhão das cete hora. Abrasso, Nirso". E assim foi o mês inteiro. O gerente, muito preocupado com a imagem da empresa, levou ao presidente as mensagens que recebeu do vendedor. O presidente, um homem muito preocupado com o desenvolvimento da empresa e com a cultura dos funcionários, escutou atentamente o gerente e disse: - Deixa comigo, que eu tomarei as providências necessárias. E tomou. Redigiu de próprio punho um aviso e afixou no mural da empresa, juntamente com as mensagens de fax do vendedor: "A parti de oje nois tudo vamo fazê feito o Nirso. Si priocupá menos em iscrevê serto, mod vendê maiz. Acinado, O Prizidenti ." MORAL: Muitas coisas são importantes, mas nunca podemos descuidar do imprescindível, que são os resultados. O Nirso atingiu os resultados, por isso não perdeu o emprego por não saber falar.
    Filed under:
  • Planejamento Empresarial

    Planejamento Empresarial - Princípio, Meio e Fim No início, existia um Plano... E então vieram as Premissas... E as Premissas não tinham forma... E o Plano não tinha substância... E a escuridão cobriu a face dos Funcionários. Entao eles disseram entre si: "- É um balde de merda, e ele fede." E os Funcionários foram aos seus Supervisores e disseram: "- É um pote de excremento animal, e não podemos viver com o cheiro." E os Supervisores foram aos seus Gerentes dizendo: "- É uma caixa de adubo, e ele é muito forte, de forma que não podemos suportá-lo." E os Gerentes foram aos seus Diretores dizendo: "- É um recipiente de fertilizante, e não podemos resistir a sua força." E os Diretores comentaram entre si: "- Ele contém aquilo que ajuda as plantas a crescerem, e é muito forte." E os Diretores foram aos Vice-Presidentes dizendo a eles: "- Ele promove crescimento, e é muito poderoso." E os Vice-Presidentes foram ao Presidente dizendo a ele: "- Esse novo plano irá ativamente promover crescimento e vigor para a Empresa, com efeitos muito poderosos." O Presidente olhou para o plano, e disse que ele era muito bom... E o plano virou Política da Empresa. E é assim que a merda acontece.
    Filed under:
  • DOZE CONSELHOS PARA TER UM " INFARTO FELIZ "

    Recebi esta mensagem, por e-mail, do Hamilton Fontes e achei muito interessante de postar aqui, pois muitos de nós a seguem diariamente. DOZE CONSELHOS PARA TER UM " INFARTO FELIZ " por Ernesto Artur 1. Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias. 2. Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos. (limpando casa, dando banho nos cachorros, lavando roupa...) 3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde. (ou estudos) 4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem. 5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc. (CCQ, ***, ASSISTIR...) 6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes. (SE ALIMENTE JÁ NO TELEFONE) 7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro. (AO INVÉS DISSO COMA LANCHES GORDUROSOS, PASTÉIS, XIS, CACHORRO QUENTE, PIZZA...) 8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro. 9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo. 10. Se sentir que está perdendo o ritmo e o fôlego tome logo estimulantes e energéticos. Eles vão te deixar tinindo. 11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos. 12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração e meditação diante de Deus. Isto é para crédulos e tolos. Repita para si: Eu sou a minha própria religião. Então? Você faz parte desse time? Já preparou seu plano funerário e escolheu o modelo do caixão? Se não quiser fazer parte deste time, ainda está em tempo de rever suas atitudes. Seu coração agradece...
  • Tipos de pessoas

    "Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu." John Richardson Jr
  • As aparências enganam

    Que tipo de empresário você preferiria ser? Pitbull ou Salsicha? Em alguns setores a agressividade é importante e muitos responderiam Pitbull, mas você sabia que o Salsicha é mais agressivo? Cão salsicha é o mais feroz do mundo, diz pesquisa Qual é o cão mais feroz do mundo? Pensou nas raças Pitt Bull ou Rottweiler? Então errou. De acordo com uma pesquisa feita pela publicação científica Applied Animal Behavior Science , e divulgada pela BBC , o cão mais feroz do mundo é o Dachshund, mais conhecido como "cão salsicha". Segundo a pesquisa, um entre cinco "salsichas" já tentou atacar ou atacou estranhos, e um entre 12, já avançou nos próprios donos. O levantamento, feito com 6 mil donos de 30 raças de cães diferentes, constatou que as raças com mais tendência a atacar humanos são Dachshund e chihuahua. Já os cachorros menos agressivos são os das raças Golden Retriever, labradores, são bernardos, britanny Spaniel e Greyhound. As raças mais temidas, como os Pitt bulls e rottweillers, ficaram na média de agressividade canina contra estranhos. A má fama destas raças se dá ao fato de os ataques destes cães causam ferimentos mais graves, dizem os especialistas. E apesar de toda imponência das raças maiores, os pequenos cães costumam ser os mais agressivos. O que diferencia a pesquisa publicada pela Applied Animal Behavior Science das demais, é que ela não associa a agressividade canina necessariamente à mordida, informou a BBC . Confira as dez raças mais ferozes: 1. Dachshund 2. Chihuahua 3. Jack Russell Terrier 4. Akita 5. Pastor australiano 6. Pit Bull 7. Beagle 8. Springer Spaniel inglês 9. Border Collie 10. Pastor alemão
    Filed under:
  • O amor ou o mundo

    " Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor... Lembre-se: Se escolher o mundo ficará sem amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo." Albert Einstein
  • A palavra dita

    "Você pode se lamentar muitas vezes por ter pronunciado uma palavra indelicada, mas nunca por ter pronunciado uma palavra bondosa." Bert Estabrook
  • Reacionário

    Um amigo meu enviou este texto, o nome dele figura abaixo e achei tão bom que decidi postar aqui... Para evitar problema ao site e a ele, removi as citações de nomes e casos atuais. -------------------------------------------- Para os que me chamam de reacinário, leiam o texto abaixo antes de abrir o anexo (o anexo eu postei logo abaixo, pois aqui não teria anexo, ) , e reflitam! Sou Reacionário. Não gosto dos sem terra e de todos os outro sem. Dizem que isto e ser reacionário, mas não gosto de vê-los invadindo fazendas, indústrias, supermercados, Congresso Nacional, Assembléias Legislativas, Câmaras de Vereadores, Palácios do Executivo, parando ruas e estradas, ocupando linhas de trens, quebrando repartições públicas, tentando parar o lento progresso do Brasil. Sou Reacionário. Não gosto dos congressistas que aprovam a demarcação de áreas indígenas nas fronteiras de nosso país, maiores do que muitos países europeus, para meia dúzia de índios aculturados e (muito bem) preparados no exterior, para formar uma nação ou várias, desmembradas do Brasil. Sou Reacionário. Não gosto de índios insuflados por interesses obscuros parando explanação de engenheiros de estatais com facões, para parar o lento andar do progresso na construção de usinas hidrelétricas para geração de energia que tanto necessitamos (já tivemos apagões e teremos outros se não agilizarmos as novas construções). Sou Reacionário. Não gosto de bufões que gritam contra governos estrangeiros e vendem petróleo a eles. Não gosto de cocaleiros que estatizam empresas brasileiras sem o devido ressarcimento dos investimentos feitos em seus países. Não gosto de esquerdistas eleitos em seus países, que querem discutir contratos firmados há mais de 30 anos, em hidrelétricas construídas com dinheiro tomado emprestado pelo Brasil, e, que nós estamos pagando com juros altíssimos. Sou reacionário. Não gosto de governantes frouxos que não tomam atitudes enérgicas para impedir a espoliação de nossos investimentos externos, que compram aviões de empresas estrangeiras em detrimento das nacionais. Não gosto de governantes semi-analfabetos que acham que instrução e educação não são importantes para o povo. Não gosto de governantes que pouco trabalharam na vida, aposentados ... (fiz um pequeno corte aqui para evitar a identificação do político, que poderia causar problemas) ... e que morou em casas emprestadas por "compadres"... Sou Reacionário. Não acredito em cotas para negros e índios. Dizem que sou racista. Mas para mim racista é quem julga negros e índios incapazes de competir com os brancos em pé de igualdade. Eu acho que a cor da pele não pode servir de pretexto para discriminar, mas também não devia ser fonte para privilégios imerecidos, provocando cenas ridículas de brancos querendo se passar por negros... Sou Reacionário. Não gosto da farta distribuição de Bolsas tipo Família, Vale gás, vale isso, vale aquilo, que na realidade são moedas de troca nas eleições, para que certos partidos políticos com seu filiados (outro pequeno corte) , possam se perpetuar no poder. Sou Reacionário. Não gosto das bases de sustentação de governos eleitos de forma minoritária, com loteamento de cargos públicos e desvios de dinheiro público para partidos e seus filiados (outro pequeno corte) . Sou Reacionário. Hoje não se pode mais deixar os filhos trabalharem com idade inferior a 18 anos, mas pode deixá-los fazer sexo em casa com o(a) namorado(a), sair nas festinhas e "raves" e para beber e consumir drogas. Podem roubar e até mesmo matar, sem serem devidamente punidos pelas faltas (somente medidas sócio-educativas) cometidas, e, com 21 anos já estão de novo na rua para cometerem novos crimes. Sou Reacionário. Não sei se embrião tem vida ou não. Mas mesmo que tivesse não teria o menor remorso em sacrificar vários (que certamente serão incinerados, jogados no lixo ou vão continuar congelados enquanto alguém pagar para mantê-los assim) para salvar ou melhorar uma única vida de um jovem, de um preto, de um índio e, até mesmo, de um velho. Estou velho. Não quero ouvir mais notícias de pessoas morrendo de dengue. Tapo os ouvidos e fecho os olhos mas continuo a ouvir e ver. Não quero saber de crianças sendo arrastadas em carros por bandidos, crianças adotadas sendo maltratadas pelos pais adotivos, velhos jogados (ou amontoados) em asilos, ou de um menininha jogada pela janela em plena flor de idade. Meu coração não tem mais força para sentir emoções. Estou mais velho que o Oscar Niemeyer. Ele ainda acredita em comunismo, coisa que deixou de existir. Eu não acredito em nada. Estou cansado de quererem me culpar por não ser pobre, por ter casa, carros e outros bens, todos adquiridos com honestidade e muito trabalho (mais de 12 horas por dia, seis dias por semana), por ser amado por minha mulher e filhos. Nada mais me comove... Estou bem envelhecido. E acabo de cometer mais um erro! Ainda sou capaz de me comover e emocionar. O patriotismo de uma jovem de Joinville usando a letra do hino nacional para mostrar o seu amor pelo Brasil me comoveu. Me emocionei depois da leitura! Mesmo que ela seja a última brasileira patriota, valeu a pena viver para ler o seu texto. Por isso o estou enviando para vocês. Detesto correntes na Internet... mas agora que me tornei um velho emocionado eu vou romper com este hábito. Assistam o anexo (texto abaixo) , se, depois desta leitura ainda tiverem saco, porque vale a pena. Bom findi. Varcedi Pacheco o reacionário, indignado com as sacanagens e roubalheiras (outro pequeno corte) . Na cidade de Joinville houve um concurso de redação na rede municipal de ensino. O título recomendado pela professora foi: "dai pão a quem tem fome". Incrível, mas o primeiro lugar foi conquistado por uma menina de apenas 14 anos de idade.E ela se inspirou exatamente na letra de nosso Hino Nacional para redigir um lindo texto, que demonstra que os brasileiros verde amarelos precisam perceber o verdadeiro sentido de patriotismo. Vejam o texto dessa jovem, que vem a ser uma demonstração pura de amor à Pátria e uma lição a tantos brasileiros que já não sabem mais o que vem a ser este sentimento cívico. “Certa noite, ao entrar em minha sala de aula, vi num mapa-mundi, o nosso Brasil chorar: O que houve, meu Brasil brasileiro? _ perguntei-lhe! E ele, espreguiçando-se em seu berço esplêndido, esparramado e verdejante sobre a América do Sul, respondeu chorando, com suas lágrimas amazônicas: _ Estou sofrendo. Vejam o que estão fazendo comigo... Antes, os meus bosques tinham mais flores e meus seios mais amores. Meu povo era heróico e os seus brados retumbantes. O sol da liberdade era mais fúlgido e brilhava no céu a todo instante. Onde anda a liberdade, onde estão os braços fortes? Eu era a Pátria amada, idolatrada. Havia paz no futuro e glórias no passado. Nenhum filho meu fugia à luta. Eu era a terra adorada e dos filhos deste solo era a mãe gentil. E era gigante pela própria natureza, que hoje devastam e queimam, sem nenhum homem de coragem que às margens plácidas de algum riachinho, tenha a coragem de gritar mais alto para libertar-me desses novos tiranos que ousam roubar o verde louro de minha flâmula. E não suportando as chorosas queixas do Brasil, saí de casa e fui para o jardim. Era noite e pude ver a imagem do Cruzeiro que resplandece no lábaro que o nosso país ostenta estrelado. Pensei...conseguiremos salvar esse país sem braços fortes? Pensei mais...quem nos devolverá a grandeza que a Pátria nos traz? Voltei à sala mas encontrei o mapa silencioso e mudo, como uma criança dormindo em seu berço esplêndido.”
  • O poder de um exemplo

    História número um Easy Eddie Muitos anos atrás, Al Capone era o dono virtual de Chicago. Capone não era famoso por nenhum ato heróico. Ele era notório por empastar a cidade com tudo relativo a contrabando, bebida, prostituição e assassinatos. Capone tinha um advogado apelidado "Easy Eddie". Era o seu advogado por um excelente motivo. Eddie era muito bom! Na realidade, sua habilidade, manobrando no cipoal legal, manteve Al Capone fora da prisão por muito tempo. Para mostrar seu apreço, Capone lhe pagava muito bem. Não só o dinheiro era grande, como Eddie também tinha vantagens especiais. Por exemplo, ele e a família moravam em uma mansão protegida, com todas as conveniências possíveis. A propriedade era tão grande que ocupava um quarteirão inteiro em Chicago. Eddie vivia a vida da alta roda de Chicago, mostrando pouca preocupação com as atrocidades que ocorriam à sua volta. No entanto, Easy Eddie tinha um ponto fraco. Ele tinha um filho que amava afetuosamente. Eddie cuidava que seu jovem filho tivesse o melhor de tudo: roupas, carros e uma excelente educação. Nada era poupado. Preço não era objeção. E, apesar do seu envolvimento com o crime organizado, Eddie tentou lhe ensinar o que era certo e o que era errado. Eddie queria que seu filho se tornasse um homem melhor do que ele. Mesmo assim, com toda a sua riqueza e influência, havia duas coisas que ele não podia dar ao filho: ele não podia transmitir-lhe um bom nome ou um bom exemplo. Um dia, o Easy Eddie chegou a uma decisão difícil. Easy Eddie tentou corrigir as injustiças de que tinha participado. Ele decidiu que iria às autoridades e contaria a verdade sobre Al "Scarface" Capone, limpando o seu nome manchado e oferecendo ao filho alguma semelhança de integridade. Para fazer isto, ele teria que testemunhar contra a quadrilha, e sabia que o preço seria muito alto. Ainda assim, ele testemunhou. Em um ano, a vida de Easy Eddie terminou em um tiroteio em uma rua de Chicago. Mas aos olhos dele, ele tinha dado ao filho o maior presente que poderia oferecer, ao maior preço que poderia pagar. A polícia recolheu em seus bolsos um poema, recortado de uma revista. O poema: "O relógio de vida recebe corda apenas uma vez e nenhum homem tem o poder de decidir quando os ponteiros pararão, se mais cedo ou mais tarde. Agora é o único tempo que você possui. Viva, ame e trabalhe com vontade. Não ponha nenhuma esperança no tempo, pois o relógio pode parar a qualquer momento." História número dois Butch O'Hare A Segunda Guerra Mundial produziu muitos heróis. Um deles foi o Comandante Butch O'Hare. Ele era um piloto de caça, operando no porta-aviões Lexington, no Pacífico Sul. Um dia, o seu esquadrão foi enviado em uma missão. Quando já estavam voando, ele notou pelo medidor de combustível que alguém tinha esquecido de encher completamente os tanques. Ele não teria combustível suficiente para completar a missão e retornar ao navio. O líder do vôo o instruiu a voltar ao porta-aviões. Relutantemente, ele saiu da formação e iniciou a volta à frota. Quando estava voltando ao navio-mãe viu algo que fez seu sangue gelar: um esquadrão de aviões japoneses voava na direção da frota americana. Com os caças americanos afastados da frota, ela ficaria indefesa ao ataque. Ele não podia alcançar seu esquadrão nem avisar a frota da aproximação do perigo. Havia apenas uma coisa a fazer. Ele teria que desviá-los da frota de alguma maneira. Afastando todos os pensamentos sobre a sua segurança pessoal, ele mergulhou sobre a formação de aviões japoneses. Seus canhões de calibre 50, montados nas asas, disparavam enquanto ele atacava um surpreso avião inimigo e em seguida outro. Butch costurou dentro e fora da formação, agora rompida e incendiou tantos aviões quanto possível, até que sua munição finalmente acabou. Ainda assim, ele continuou a agressão. Mergulhava na direção dos aviões, tentando destruir e danificar tantos aviões inimigos quanto possível, tornando-os impróprios para voar. Finalmente, o exasperado esquadrão japonês partiu em outra direção. Profundamente aliviado Butch O'Hare e o seu avião danificado se dirigiram para o porta-aviões. Logo à sua chegada ele informou seus superiores sobre o acontecido. O filme da máquina fotográfica montada no avião contou a história com detalhes. Mostrou a extensão da ousadia de Butch em atacar o esquadrão japonês para proteger a frota. Na realidade, ele tinha destruído cinco aeronaves inimigas. Isto ocorreu no dia 20 de fevereiro de 1942, e por aquela ação Butch se tornou o primeiro Ás da Marinha na 2ª Guerra Mundial, e o primeiro Aviador Naval a receber a Medalha Congressional de Honra . No ano seguinte Butch morreu em combate aéreo com 29 anos de idade. Sua cidade natal não permitiria que a memória deste herói da 2ª Guerra desaparecesse, e hoje, o Aeroporto O'Hare, o principal de Chicago, tem esse nome em tributo à coragem deste grande homem. Assim, se por ventura você passar no O'Hare International, pense nele e vá ao Museu em homenagem a Butch, veja a sua estátua e a Medalha de Honra. Fica situado entre os Terminais 1 e 2. Foto do museu no aeroporto O que têm estas duas histórias de comum entre elas? Edward Henry "Butch" O'Hare, era o filho de Easy Eddie (Edgar Joseph O'Hare, que passou a usar Edward ao invés de Edgar antes de morrer). Que exemplos você está deixando para os seus filhos?
  • A xícara de café e a vida

    Um grupo de ex-alunos, todos muito bem estabelecidos profissionalmente,se reuniu para visitar um antigo professor da universidade. Em pouco tempo, a conversa girava em torno de queixas de estresse no trabalho e na vida como um todo. Ao oferecer café aos seus convidados, o professor foi à cozinha e retornou com um grande bule e uma variedade de xícaras - de porcelana, plástico,vidro, cristal; algumas simples, outras caras, outras requintadas; dizendo a todos para se servirem. Quando todos os estudantes estavam de xícara em punho, o professor disse: "Se vocês repararem, pegaram todas as xícaras bonitas e caras, e deixaram as simples e baratas para trás. Uma vez que não é nada anormal que vocês queiram o melhor para si, isto é a fonte dos seus problemas e estresse. Vocês podem ter certeza de que a xícara em si não adiciona qualidade nenhuma ao café. Na maioria das vezes, são apenas mais caras e, algumas vezes, até ocultam o que estamos bebendo. O que todos vocês realmente queriam era o café, não as xícaras, mas escolheram, conscientemente, as melhores xícaras... e então ficaram de olho nas xícaras uns dos outros. Agora pensem nisso: A Vida é o café, e os empregos, dinheiro e posição social são as xícaras. Elas são apenas ferramentas para sustentar e conter a Vida e o tipo de xícara que temos não define, nem altera, a qualidade de Vida que vivemos. As vezes, ao nos concentrarmos apenas na xícara, deixamos de saborear o café, que é o que realmente importa."
    Filed under:
  • Quando não se concordo com algo

    Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até o ultimo instante seu direito de dizê-la. Voltaire
  • A Evolução (?) do Ensino da Matemática no Brasil

    A Evolução do Ensino da Matemática no Brasil... Semana passada comprei um produto que custou R$ 1,58. Dei à balconista R$ 2,00 e peguei na carteira 8 centavos, para evitar receber ainda mais moedas miudas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.. Tentei explicar que ela tinha que me dar 50 centavos de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender. Por que estou contando isso? Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim: 1. Ensino de matemática em 1950: Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda ... Qual é o lucro? 2. Ensino de matemática em 1970: Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro? 3. Ensino de matemática em 1980: Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Qual é o lucro? 4. Ensino de matemática em 1990: Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro: ( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00 5. Ensino de matemática em 2000: Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00. Está certo? ( )SIM ( ) NÃO 6. Ensino de matemática em 2007: Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00. O custo é de R$80,00. Se você souber ler, coloque um X ao lado do R$20,00. ( ) R$ 20,00 ( ) R$40,00 ( ) R$60,00 ( ) R$100,00 Onde vamos parar????
    Filed under:
  • 07/03/2008 - Sem surpresas

    Em decisão unânime, o Comitê de Política Monetária do Banco Central decidiu nesta quarta-feira manter a taxa básica de juro em 11,25% ao ano.
  • Nossos clientes são muito importantes para nós...

    Então porque não gostamos de ouvir eles??
    Filed under:
  • Como se perde dinheiro com ações?

    Uma vez, num vilarejo, apareceu um homem anunciando aos aldeões que compraria macacos por $10 cada. Os aldeões, sabendo que havia muitos macacos na região, foram à floresta e iniciaram a caça aos macacos. O homem comprou centenas de macacos a $10 e então os aldeões diminuíram seu esforço na caça. Aí, o homem anunciou que agora pagaria $20 por cada macaco e os aldeões renovaram seus esforços e foram novamente à caça. Logo, os macacos foram escasseando cada vez mais e os aldeões foram desistindo da busca. Então, a oferta aumentou para $25 e a quantidade de macacos ficou tão pequena que já não havia mais interesse na caça. Aí, o homem anunciou que agora compraria cada macaco por $50! Entretanto, como iria à cidade grande, deixaria seu assistente cuidando da compra dos macacos. Na ausência do homem, seu assistente disse aos aldeões: - Olhem todos estes macacos na jaula que o homem comprou. Eu posso vender por $35 a vocês e quando o homem retornar da cidade, vocês podem vender-lhe por $50, cada. Os aldeões, espertos, pegaram todas as suas economias e compraram todos os macacos do assistente. Eles nunca mais viram o homem ou seu assistente, somente macacos por todos os lados. Agora você entendeu como funciona o mercado de ações. (Texto objetivo, didático e direto)
  • Mensagens internas

    DIRETORIA AOS FUNCIONÁRIOS INDUMENTÁRIA : Informamos que o funcionário deverá trabalhar vestido de acordo com o seu salário. Se o percebermos calçando um tênis Nike de R$ 350,00 e carregando uma bolsa Gucci de R$ 600,00, presumiremos que vai bem de finanças e, portanto, não precisa de aumento. Se ele se vestir de forma pobre, será um sinal de que precisa aprender a controlar melhor o seu dinheiro, para que possa comprar roupas melhores e portanto, não precisa de aumento. E se ele se vestir no meio termo, estará perfeito e, portanto, não precisa de aumento. AUSÊNCIA DEVIDO À ENFERMIDADE: Não vamos mais aceitar atestado médico como prova de enfermidade. Se o funcionário tem condições de ir até o consultório médico, pode vir trabalhar. CIRURGIA: As cirurgias são proibidas. Enquanto o funcionário trabalhar nesta empresa, precisará de todos os seus órgãos, portanto, não deve pensar em remover nada. Nós o contratamos inteiro. Remover algo constitui quebra de contrato. AUSÊNCIAS DEVIDO A MOTIVOS PESSOAIS: Cada funcionário receberá 104 dias para assuntos pessoais a cada ano. Chamam-se sábado e domingo. FÉRIAS: Todos os funcionários deverão entrar em férias nos mesmos dias de cada ano. Os dias de férias são: 01 de janeiro, 07 de setembro e 25 de dezembro. AUSÊNCIA DEVIDO AO FALECIMENTO DE ENTE QUERIDO: Esta não é uma justificativa para perder um dia de trabalho.Não há nada que se possa fazer pelos amigos, parentes ou colegas de trabalho falecidos. Todo esforço deverá ser empenhado para que não-funcionários cuidem dos detalhes. Nos casos raros, onde o envolvimento do funcionário é necessário, o enterro deverá ser marcado para o final da tarde. Teremos prazer em permitir que o funcionário trabalhe durante o horário do almoço e, daí, sair uma hora mais cedo, desde que o seu trabalho esteja em dia. AUSÊNCIA DEVIDO À SUA PRÓPRIA MORTE: Isto será aceito como desculpa. Entretanto, exigimos pelo menos 15 dias de aviso prévio, visto que cabe ao funcionário treinar o seu substituto. O USO DO WC: Os funcionários estão passando tempo demais no toalete. No futuro, seguiremos o sistema de ordem alfabética. Por exemplo, todos os funcionários cujos nomes começam com a letra "A" irão entre 8:00 e 8:20, aqueles com a letra "B" entre 8:20 e 8:40, etc. Se não puder ir na hora designada, será preciso esperar a sua vez, no dia seguinte. Em caso de emergência, os funcionários poderão trocar o seu horário com um colega. Os supervisores dos funcionários deverão aprovar essa troca, por escrito, mas há um limite estritamente máximo de 3 minutos no vaso. Acabando esses 3 minutos, um alarme irá tocar, o rolo de papel higiênico será recolhido, a porta do box abrirá e uma foto será tirada. Se for repetente, a foto será fixada no quadro de avisos da empresa sob o título "Infrator Crônico". A HORA DO ALMOÇO: Os magros têm 30 minutos para o almoço, porque precisam comer mais para parecerem saudáveis. As pessoas de tamanho normal têm 15 minutos para comer uma refeição balanceada que sustente o seu corpo mediano. Os gordos têm 5 minutos, porque é tudo que precisam para tomar um "Slim Fast" e um remédio de regime. Muito obrigado pela sua fidelidade à nossa empresa. Portanto, toda dúvida, comentário, preocupação, reclamação, frustração, irritação, agravo, insinuação, alegação, acusação, observação, consternação e "input" deverá ser dirigida para o RH com a carteira de trabalho em mãos. Atenciosamente Diretoria de Recursos Humanos
    Filed under:
  • Malditas correntes...

    Em primeiro lugar quero frizar minha opinião: Corrente é Crime e Furada! O post é BEM longe, mas de leitura instrutiva. Hoje recebi este e-mail de um amigo: existe uma logica................. bom eu fiz a minha parte...se não ter certo ..perdi 30,00........ Bem-vindo(a) ao Correio de 5 Reais® O milagre da multiplicação em geração de riqueza® Caro(a) amigo(a), Ø Este é o Correio de 5 Reais® : Você envia 5 reais por carta a 6 pessoas cujos nomes e endereços aparecem em uma lista; Ø Depois você muda a lista: inclui seu nome e endereço e a envia com este programa por email a no mínimo 300 pessoas, que seguirão estas mesmas instruções por 6 fases sucessivas; Ø Seu trabalho se encerra aqui. Tudo o que resta a fazer é esperar por uma avalanche de cartas valendo dezena $ de milhare $ de reai $ chegar na sua caixa de correio. Que tal R$999.180 ? E isso só para começar! Seus lucro $$$ podem chegar a R$61.021.200 , ou até mais! Seus lucro $$$ não têm limite Você fará acontecer! Este programa é tão inacreditavelmente simples! Na verdade ele é auto-explicativo: Depois de você enviar as cartas e transmitir os emails, não haverá mais nada, nada mesmo, a fazer. Você só precisa dar o ponta-pé inicial - Uma vez iniciado, o Correio de 5 Reais® gerará lucros para você automaticamente! Tudo o que resta a fazer é literalmente esperar o dinheiro chegar na sua caixa de correio! Envie R$5 e lucre $$$ A porta para sua liberdade financeira está bem em frente dos seus olhos! Esta é a máquina de fazer dinheiro pela qual você e eu temos esperado por todas as nossas vidas! Você fará acontecer! Caro(a) amigo(a), mudar sua situação financeira exige ação imediata. O dinheiro não vai simplesmente cair no seu colo se você não agir! Portanto, não adie mais. Aja agora! VOCÊ FAZ SEUS PRÓPRIOS LUCRO $$$ Suponhamos que você envie 300 emails e que cada um de seus respondentes também envie a mesma quantidade e que todos vocês obtenham retorno de 3% . Nesse caso, o valor total acumulado que cada um de vocês receberá será de R$999.180! Veja o exemplo abaixo: -Fase 1 - Você envia 300 emails; 9 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$45 ; -Fase 2 - 9 pessoas enviam 300 emails cada; 81 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$405 ; -Fase 3 - 81 pessoas enviam 300 emails cada; 729 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$3.645 ; -Fase 4 - 729 pessoas enviam 300 emails cada; 2.187 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$10.935 ; -Fase 5 - 2.187 pessoas enviam 300 emails cada; 19.683 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$98.415 ; -Fase 6 (última fase) - 19.683 pessoas enviam 300 emails cada; 177.147 pessoas respondem e lhe enviam R$5 cada = você recebe R$885.735 . Neste ponto, fase 6, seu nome é deletado da lista, mas você terá acumulado R$999.180! E R$999.180 só para começar! Seus lucro $$$ não têm limite Se, em vez de 300 emails , você e todos os demais enviarem 500 emails , cada um de vocês receberá o incrível total acumulado de R$61.021.200! Tudo depende de quantos emails cada pessoa enviar e do retorno que obtiver. Quanto mais emails você enviar, mais dinheiro receberá. Faça os cálculos você mesmo(a)! Tenho certeza absoluta de que esses números estão 100% corretos. Sempre funciona! E tudo isso pelo investimento total de R$30 mais a despesa de correio para enviar as 6 cartas. É o preço de um almoço! Onde mais neste planeta você consegue um negócio como este? Um negócio que pode e vai mudar sua vida para sempre! Sua total independência financeira! Pense bem! Quanto tempo você terá de trabalhar para ganhar R$100.000, R$300.000, R$1.000.000? Entrando neste Correio de 5 Reais® você só vai precisar de umas poucas horas de seu tempo livre e sua vida pode e vai mudar para sempre! Não deixe essa incrível chance passar! Você vai se arrepender depois! Portanto, caro(a) amigo(a), siga as simples instruções abaixo, não mude nada além da ordem dos nomes, conforme explicado, e faça deste programa a maior transformação das nossas vidas! Correio de 5 Reais®: O Programa "Aqui vinha a lista das pessoas, omito os nomes para não difamá-las" Envie 5 reais por carta a cada uma dos 6 participantes acima. Embrulhe o dinheiro em uma folha de papel na qual você escreverá a expressão "favor colocar meu nome na sua lista de correspondência". Depois disso, suba o nome de cada um dos beneficiários uma posição, da seguinte maneira: § Delete o nome da posição 1 (este participante já passou por todas as 6 fases do programa e deve agora sair da lista); § Suba o nome da posição 2 para a posição 1; § Suba o nome da posição 3 para a posição 2; § Suba o nome da posição 4 para a posição 3; § Suba o nome da posição 5 para a posição 4; § Suba o nome da posição 6 para a posição 5; § Coloque seu nome e endereço na posição 6. Ø Essa alteração na posição dos nomes e a inclusão do seu é a única mudança a ser feita. Seu nome deve ser colocado na posição 6. Caso você o coloque em outra posição, você não passará por todas as 6 fases do programa e não receberá o dinheiro que deveria receber. Você começará na posição 6, depois subirá sucessivamente para as posições 5, 4, 3, 2 e 1, quando seu nome será deletado da lista, mas sua caixa de correio estará abarrotada de cartas de dinheiro. Ø Envie o máximo de emails que puder deste programa com sua nova lista. Quantos? Quanto mais emails você enviar, mais dinheiro receberá. E como conseguir as pessoas para entrar no Correio de 5 Reais® ? Você pode fazer isso de várias maneiras: Mostre o programa a familiares e amigos, envie-o a pessoas cujos emails você já tem, obtenha listas de emails pela internet, etc. As possibilidades são inúmeras. Ø Seu trabalho se encerra aqui. Não haverá mais nada para fazer. Nunca mais. Agora tudo o que você terá de fazer é literalmente esperar que chovam cartas de dinheiro na sua caixa de correio! Parabéns por entrar no Correio de 5 Reais® ! "A maior piada é o símbolo de marca registrada" Então encontrei este site na web que expressa de excelente forma o que penso: http://www.portaldigidesign.com.br/forum/index.php?act=ST&f=32&t=2857 Correntes Pirâmide: Prática Criminosa. Este esquema de ganhar dinheiro em que a pessoa "investe" R$6,00 ou R$7,00 iniciais, para o qual cada um inventa um nome, chama-se CORRENTE DA PIRÂMIDE, e é uma prática criminosa. ASPECTOS CRIMINAIS PRESENTES NESTE ESQUEMA: a) Estelionato, b) Propaganda enganosa (poucas pessoas atingem o prometido), c) Crime contra a economia popular, haja vista existam muitas pessoas sem o necessário preparo para analisar o esquema e tornam-se vítimas fáceis dos espertalhões, d) Incitação à formação de quadrilha de estelionatários, ao convidar outras pessoas para integrar a rede de pessoas. e) E a questão da Receita Federal onde não poderá ser declarada a prometida renda milionária, se for alcançada por alguém. Basta alguém, que entrou na Corrente, e que se sentiu prejudicado(a), ou que foi aliciado(a) à prática do crime, fazer uma representação contra o(a) aliciador(a) junto a Justiça, e o(a) aliciador(a) será preso(a) em flagrante. Pois as cartas, postal ou eletronicamente distribuídas, para conhecidos, desconhecidos, de forma indiscriminada, são provas objetivas, haja vista nelas estejam os nomes, contas bancárias listadas, e o IP do computador de onde cada aliciador(a) enviou as suas cartas por e-mail. Considere que você não é o primeiro da lista, pois você já recebeu a mensagem de outra pessoa e essa pessoa já a recebeu de outra pessoa que a recebeu de outra pessoa e assim por diante. Portanto, existem outros níveis nessa pirâmide. O quadro abaixo apresenta a quantidade de participantes com quinze níveis de propagação. Propagação de uma pirâmide. A primeira coluna da esquerda na vertical (N) são os níveis da pirâmide As coluna seguinte (P) são os novos participantes seguindo as indicações de cada participante A terceira coluna (T) é o total de participantes somando-se os participantes dos níveis anteriores. N P T 1 1 1 2 5 6 3 25 31 4 125 156 5 625 781 6 3.125 3.906 7 15.625 19.531 8 78.125 97.656 9 390.625 488.281 10 1.953.125 2.441.406 11 9.765.625 12.207.031 12 48.828.125 61.035.156 13 244.140.625 305.175.781 14 1.220.703.125 1.525.878.906 15 6.103.515.625 7.629.394.531 No décimo quinto nível serão 7.629.394.531 esperançosos participantes da pirâmide. Alguma coisa estranha? Em 30 de setembro de 2003, estimava-se que a Terra possuía 6.320.736.741 habitantes. Mas fiquemos no nível 10 que é pouco menos que a população do estado de Mato Grosso segundo o censo de 2000 (2.504.353 habitantes). Todos os 2.441.406 participantes têm a ilusão e a esperança de receber os valores prometidos. Nada mais justo, não é mesmo? Se cada um dos 2.441.406 participantes dessa pirâmide da alegria recebesse um certo valor, digamos, por baixo R$ 5.866,00, então o o capital envolvido seria a interessante quantia de R$ 14.321.287.596,00. Quanto? Isso: mais de catorze bilhões de reais!!! Só como termo de comparação: durante o período mais intenso de ataques ao Afeganistão, os EUA gastavam cerca de 33 milhões de dólares por dia. Nesse período, o dispêndio mensal com a guerra era de cerca um bilhão de dólares, ou seja, em câmbio atual, cerca de 2,2 bilhões de reais. Mais umas cifras para comparação: 30 bilhões de dólares é o que o FMI concedeu de empréstimo ao Brasil em agosto de 2002. O empréstimo veio em módicas parcelas, a primeira delas de U$3 bilhões ou R$ 6,6 bilhões. Você aprecia grandes números? Então multiplique 14.321.287.596,00 por doze e terá R$ 171.855.451.152,00 : é o valor envolvido em um ano de depósitos bancários nas contas de muitos felizardos como você. Só como exercício: veja como as coisas ficariam ao se considerar o nível 15: 7.629.394.531 participantes 7.629.394.531 x 5.866. Não faço as contas para você porque a minha calculadora não suporta tanto número e tanto dinheiro e colocou uns símbolos meio esquisitos no visor dela. Talvez ela não esteja habituada a ver tanto dinheiro assim. A culpa é minha, pois eu deveria fazê-la calcular números bem maiores do que os que passam por minha modesta conta bancária pra ela ir se habituando, aos poucos, com esses bilhões. Nunca perca a esperança nos resultados do trabalho sério e honesto. (Este texto foi extraído da internet de um site o qual não estou lembrado. Isso não importa muito, porque os números não se enganam, mostram uma realidade que não tem como negar. Basta fazer um simples cálculo.. muito simples mesmo... pra provar que numa pirâmide em que cada pessoa apresenta dez outras, o décimo nível deverá ter 1 bilhão de pessoas. E o décimo primeiro nível, 10 bilhões, mais do que a população total da Terra!!!! Outra coisa... se 10 pessoas colocam cada uma R$1,00 numa caixa, o montante deverá ser de R$10,00, não é mesmo??? Se uma pessoa receber R$3,00 não sobrarão apenas R$7,00 para dividir entre as outras nove???? Então está provado o golpe!!! Alguém tem que sair perdendo pra outro poder colocar o dinheiro fácil e ilegal no bolso... Sinto pena das muitas pessoas que se desiludem no 4º ou 5º depósito bancário vendo que não há retorno, acabam desistindo. Seu dinheiro com certeza foi parar no bolso de alguém, e não volta mais.) Eu não sou advogado de defesa e nem promotor pra acusar ninguém. Eu simplesmente coloco a minha opinião. Se alguém quiser mesmo assim entrar para essas correntes, tem toda a liberdade e o direito de decidir o que acha melhor pra si. Mais alguma coisa a respeito do assunto pode ser encontrada na internet em sites de empresas de grande credibilidade e idoneidade: Por exemplo este artigo no site do banco HSBC: http://www.hsbc.com.br/common/seguranca/artigo-seguranca-tipos-fraude-e-mail-parte2.shtml Sugiro que baixem ainda a cartilha de segurança na internet, com dicas essenciais para se proteger na rede: http://cartilha.cert.br/download/cartilha-04-fraudes.pdf Quanto ao artigo para mostrar que isso é crime, um deles está na Lei nº 1.521, de 26 de Dezembro de 1951 que trata de crimes contra a economia popular. O artigo IX é muito claro com relação a isso: QUOTE IX - obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos ("bola de neve", "cadeias", "pichardismo" e quaisquer outros equivalentes); A lei é clara: sistemas de renda "bola de neve", "cadeia", ou "pirâmide" como é comumente chamado, é crime contra a economia popular! Além do citado acima, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) no Artigo 37 estabelece: QUOTE "Art. 37. É proibida toda publicidade enganosa ou abusiva. § 1° É enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir ao erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços." Você não tem razão quando diz que ninguém é forçado a participar. O que acontece na verdade é que as pessoas são iludidas a participar devido à promessa de dinheiro fácil! Como diz a lei, as pessoas são induzidas ao erro . Quem quiser participar que participe! Mas na melhor das hipóteses vai perder dinheiro, na pior, poderá se ver ligado a procedimentos ilegais e criminosos. Consulte a Lei Federal 1.521/1951 na íntegra no link abaixo: http://www.procon.sp.gov.br/texto.asp?id=748 Consulte o Código de Defesa do Consumidor no link abaixo: http://www.mj.gov.br/dpdc/cdc.htm Você pode verificar as recomendações dos links que postei acima. Como o do site do HSBC: http://www.hsbc.com.br/common/seguranca/artigo-seguranca-tipos-fraude-e-mail-parte2.shtml e da Cartilha de Segurança na Internet: http://cartilha.cert.br/download/cartilha-04-fraudes.pdf
  • Negócio...

    Um amigo meu traduziu este e me enviou, como gostei decidi socializar aqui, bom proveito! Segundo este site , uma mulher apelou e colocou um anúncio no Craigslist pedindo ajuda para um problema... diferente: "Eu sou uma garota linda (maravilhosamente linda) de 25 anos. Sou bem articulada e tenho classe. (...) estou querendo me casar com alguém que ganhe no mínimo meio milhão de dólares por ano. Tem algum homem que ganhe 500 mil ou mais neste site? Ou esposas de gente que ganhe isso? Vocês poderiam me mandar algumas dicas? Eu namorei um homem de negócios que ganha por volta de 200 a 250 mil. Mas eu não consigo passar disso. 250 mil não vão me fazer morar em Central Park West. Eu conheço uma mulher da minha aula de ioga que casou com um banqueiro e vive em Tribeca, e ela não é tão bonita quanto eu, nem é inteligente. Então, o que ela fez de certo que eu não fiz? Como eu chego no nível dela?" Sim, a garota estava pedindo dicas sobre como arrumar marido rico. Mas isso não é o mais legal, o melhor da história é que um cara, possivelmente um economista ou investidor, deu a ela uma resposta tão bem articulada e fundamentada que eu não resisti e tive que traduzir tudo pra postar aqui (os negritos são meus, pra mostrar as melhores partes): "Eu li seu anúncio com grande interesse e pensei com cuidado sobre seu dilema. Fiz a seguinte análise da situação. Primeiramente, não estou gastando seu tempo, pois me qualifico como um homem que atende seu orçamento; ou seja, eu ganho mais de 500 mil por ano. Isto posto, eu considero os fatos da seguinte forma: Sua oferta, quando vista da perspectiva de um homem como eu, é simplesmente um péssimo negócio. Eis o porquê: deixando as firulas de lado, o que você sugere é uma negociação simples. Você entra com sua beleza física e eu entro com o dinheiro. Ótimo, fácil. Mas tem um problema. Sua aparência vai se acabar e meu dinheiro vai continuar existindo, perpetuamente... de fato, é bem possível que meus rendimentos aumentem, mas é certeza absoluta o fato que você não vai ficar nem um pouco mais bonita! Assim, em termos econômicos, você é um ativo sofrendo depreciação e eu sou um ativo rendendo dividendos . Você não somente sofre depreciação como esta depreciação sempre aumenta! Explicando, você tem 25 anos hoje e deve continuar gostosa pelos próximos 5 anos, mas sempre um pouco menos a cada ano. Então o fim de sua aparência começa cedo. Aos 35 anos você já estará acabada! Então, usando o linguajar de Wall Street, nós a chamaríamos de "trading position" (posição para comercializar), e não de "buy and hold" (compre e retenha) - que é o que você deseja ... daí o problema... casamento. Não faz sentido, do ponto de vista de negócios, "comprar" você (que é o que você quer), portanto prefiro alugá-la . Se você estiver pensando que estou sendo cruel, eu tenho a dizer o seguinte: Se meu dinheiro vai se acabar, você também vai. Então, quando sua beleza se esvair eu tenho que ter uma opção de saída. É simples assim. Um negócio razoável, portanto, é um namoro, e não casamento. Paralelamente a isso, bem no início da minha carreira me ensinaram sobre mercados eficientes. Assim, eu me pergunto com uma garota "articulada, com classe e maravilhosamente linda" como você ainda não achou seu tio Sukita. Acho difícil acreditar que você é tão bonita quanto diz e os 500 mil dólares ainda não te encontraram, nem que fosse pra um "test drive". Por sinal, sempre há um jeito de você descobrir como ganhar dinheiro por conta própria, para que não precisemos ter essas conversas difíceis. Com tudo isso dito, devo dizer que você está tentando da maneira certa. É a clássica "capitalização via golpe do baú". Espero que tenha sido útil e, se quiser negociar um contrato de aluguel, fale comigo ." Original em: http://howardlindzon.com/?p=2725
  • A pontuação faz toda a diferença

    Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim: " Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres. " Mas, m orreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes. 1) O sobrinho fez a seguinte pontuação: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres. 2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito: Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres. 3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres. 4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres. Moral da estória: Assim é a vida. Pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras. Nós é que colocamos os pontos. E isso faz toda a diferença!
    Filed under:
  • Onde está o nosso limite empreendedor?

    Recebi este texto do Fernando Fernandez e resolvi compartilhar com vocês: Anos atrás, ouvi a história de uma mulher que salvou seu filho da morte enquanto ele brincava na garagem de casa. A própria mãe relatou a história de como foi surpreendida pelo grito do filho e já imaginando alguma tragédia – coisa que só o sexto sentido de mãe pode explicar – correu até a garagem em que estava guardado o barco da família e viu seu filho embaixo da embarcação de quase uma tonelada. Imediatamente, ela levantou o barco, retirou seu filho e, em seguida, desmaiou. Como explicar o acontecido? Parece história de ficção, dessas com heroína de capa e tudo, mas a história é real, e aconteceu há alguns anos nos Estados Unidos. Você pode torcer o nariz e dizer: “Isso é impossível, não dá para levantar tanto peso sozinha”. Talvez você não acredite que uma mulher franzina tenha levantado um barco tão pesado, porém, o fato é que nós desconhecemos qual é o nosso verdadeiro limite e qual é a nossa força. Talvez nunca venhamos a descobrir plenamente qual o “tamanho” desse potencial, a única coisa que temos certeza é de que usamos muito menos do que realmente poderíamos. Você também já deve ter visto em algum telejornal a história daquela criança que ficou vários dias sem comer e beber após ficar presa em conseqüência de um terremoto. O fato de você não conhecer algo não significa que não seja possível. Tanto a mãe que levantou o barco, quanto a criança, utilizaram, inconscientemente, seus poderes latentes. Imagine se a mãe ao ver seu filho sendo esmagado pelo barco, perguntasse: “Será que eu consigo?”, ou então, “Acho que vou chamar o resgate”. É certo que ela jamais conseguiria. A dúvida sobre nossas capacidades é nossa pior inimiga, pois faz você levar uma vida medíocre. Acredite que você tem dentro de si o poder realizar muito mais em sua vida, de fazer coisas fantásticas, de mudar o mundo se assim desejar. Se você ainda não conseguiu realizar tudo o que quer na sua vida, então falta a você o mesmo senso de urgência e certeza que aquela mãe teve ao salvar seu filho. Falta “apenas” a paixão necessária para fazer você tomar novas atitudes para superar seus medos e com isso ultrapassar seus limites. Não importa se você precisa superar grandes ou pequenos obstáculos, o mais importante é, que você tenha determinação e fé para fazer melhor a cada dia. E como dizia o escritor e filosofo de negócios norte-americano Jim Rohn: “As únicas limitações que temos, são as limitações auto-impostas”.
  • Nosso plano de saúde, que sempre nega quando precisamos...

    Esta vem direto do site do STJ: A recusa indevida da seguradora à cobertura médica é causa de danos morais porque agrava o estado psicológico e de angústia do segurado. O entendimento é da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao analisar o recurso de associado do plano oferecido pela Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi). O plano foi condenado ao pagamento de indenização no valor de R$ 20 mil. Em 2003, uma segurada teve problemas cardíacos e os médicos recomendaram uma cirurgia de urgência para implante de emergência de duas próteses chamadas de Stent Cypher, apontadas como as mais adequadas para o tratamento. A seguradora não autorizou a realização do procedimento sob a alegação de que tais próteses não teriam, ainda, efetividade comprovada. Foi aprovado o implante do modelo mais antigo, conhecido como Stent convencional. A segurada argumentou que tal restrição imposta pelo plano de saúde não se justificaria, porque a própria Anvisa já concedera o registro e autorizara a utilização do implante. E diante da recusa da Cassi, a segurada teve que arcar, com os custos da operação, que à época foi de R$ 23.846,40, retirando, para tanto, o dinheiro de uma aplicação financeira. Um ano após a cirurgia, a mulher foi submetida a nova intervenção para implantação de mais uma prótese Stent Cypher e, desta vez, o plano autorizou a cobertura do procedimento sem apresentar restrições. O segurado interpôs recurso para reaver o gasto com a primeira cirurgia e o juiz de primeiro grau negou o pedido por entender que o contrato de seguro não previa a cobertura para o tratamento recomendado pelos médicos. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) reformou, em parte, a sentença para reconhecer a necessidade de reparação dos danos materiais quanto à devolução do custo da operação, afastando o pedido de ressarcimento dos alegados lucros cessantes decorrentes da retirada do dinheiro de aplicação financeira, por ausência de provas a tal respeito e o pedido de danos morais. O segurado veio ao STJ, por meio de recurso especial, sob o argumento da existência de dano moral, que a Cassi deveria ser condenada a reparar, também, os lucros cessantes e a arcar com o valor dos honorários devidos. A relatora, ministra Nancy Andrighi, assinalou ser o plano de saúde obrigado a suportar os custos dos tratamentos que decorrem da patologia que se encarregou de cobrir. Para a ministra, decorre o dano moral exatamente da indevida recusa em fornecer o serviço de seguro esperado pelo consumidor em momento de extrema angústia e aflição psicológica, por já se encontrar, no momento em que pede a autorização à seguradora, em condição de dor, de abalo psicológico e com a saúde debilitada. A ministra argumentou que, embora, nos contratos, o mero descumprimento não seja causa para ocorrência de danos morais, tratando-se particularmente de contrato de seguro-saúde, sempre haverá a possibilidade de conseqüência danosa para o segurado, pois este, após a contratação, costuma procurar o serviço já em evidente situação desfavorável de saúde, tanto a física como a psicológica. A relatora concluiu que ficou demonstrada a injusta recusa da Cassi ao contrato, ressaltando que não há necessidade de se demonstrar a existência do dano moral, porque ele decorre dos próprios fatos que deram origem à ação. A Turma conheceu parcialmente do recurso especial da segurada e, nessa parte, deu-lhe provimento, por unanimidade, para condenar a Cassi ao pagamento do valor de R$ 20 mil a título de compensação pelos danos morais sofridos, com incidência de correção monetária a partir da data do julgamento (6/12/2007) e juros de mora desde o evento danoso.
  • Nota Fiscal Eletrônica: Quarta etapa em São Paulo

    04/01/2008 - Nota Fiscal Paulista entra na quarta etapa (Portal do Governo do Estado de São Paulo) O mês de janeiro marca o começo da quarta etapa do Nota Fiscal Paulista, programa de estímulo à cidadania fiscal do governo do estado que prevê a devolução de 30% do ICMS pago pelos consumidores nas compras. Depois de restaurantes, lanchonetes, livrarias, bancas e lojas de CDs, chegou a vez dos postos de combustíveis, concessionárias de veículos e lojas de auto-peças. Quem se alimentou fora de casa já deve ter notado a mudança. Na hora de pagar, o garçom pergunta se o consumidor deseja incluir seu CPF ou CNPJ na Nota Fiscal. Em caso positivo, dentro de um mês, o cliente terá de volta 30% do valor do ICMS (Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) arrecadado com a compra. Para receber o dinheiro basta se cadastrar no site criado pela Secretaria Estadual da Fazenda ( http://www.nfp.fazenda.sp.gov.br ). Para mais informações basta ligar para 0800-170110. Agora a mesma prática passa a valer em 13 tipos de estabelecimentos comerciais, de lojas de pneumáticos e câmaras-de-ar a embarcações e lubrificantes, passando, claro, por postos de gasolina e lojas de carros novos e usados. O cronograma de implantação do programa continua pelos primeiros meses do ano: fevereiro é o mês do material de construção; março de eletro-eletrônicos e informática; abril, supermercados e farmácias; maio, tecidos e calçados. O consumidor tem até cinco anos para gastar o crédito obtido com o programa. Ele pode optar por recebê-lo em conta corrente, poupança, tê-lo creditado em cartão de crédito, transferido para outra pessoa, devolvido em prêmios ou ainda usá-lo para reduzir o valor do débito do IPVA.
    Filed under:
  • Cuidado com as diferenças de caixa

    03/01/2008 - Diferenças de caixa devem ser apuradas na presença do empregado (Notícias TRT - 3ª Região) A cobrança de diferenças de caixa que não foram apuradas na presença do empregado torna ilícito o desconto na folha de pagamento efetuado a este título. Este foi o posicionamento da 1ª Turma do TRT-MG, acompanhando voto do juiz convocado Jose Marlon de Freitas, ao dar provimento a recurso ordinário de uma reclamante que pleiteava a devolução dos valores descontados em seu salário a título de diferenças de valores apurados no caixa da empresa onde trabalhava. "Ocorre que cláusula da convenção coletiva de trabalho trazida com a inicial prevê expressamente que a conferência dos valores de caixa será realizada na presença do comerciário responsável; se este foi impedido, pela empresa, de acompanhar a conferência, ficará isento de qualquer responsabilidade por erros apurados", ressaltou o juiz. O fechamento do caixa era realizado por outra empregada, que não fazia a conferência dos valores na presença da reclamante. Posteriormente era enviado a ela um vale com os valores faltantes para que assinasse, sendo essa diferença descontada no seu contracheque, sem qualquer discriminação. Segundo o juiz, houve "flagrante descumprimento, pela reclamada, da norma convencional, impondo-se concluir que foram irregulares os descontos efetuados a título de diferença de caixa, fazendo jus a reclamante à devolução dos valores correspondentes acrescida de juros e correção monetária". (RO nº 00974-2006-015-03-00-0)
    Filed under:
  • Ano novo, imposto novo!

    Alguém pensou que tudo melhoraria sem a CPMF? Lembram quando o próprio Presidente prometeu que não haveria aumento de impostos? Quando ele repreendeu o ministro por haver falado nisso? Pois é, parece que mudou de idéia ou que contar mentiras para o povo NÃO era uma das suas resoluções de final de ano... Quando eu ví o Mantega dizendo “O Presidente disse que não aumentaria em 2007, mas não falou nada de aumentar em 2008″, eu quase tive um treco… isso é subestimar a inteligência dos brasileiros!
    Filed under:
  • Nunca acredite no impossível

    A lógica de Einstein Duas crianças estavam patinando num lago congelado da Alemanha. Era uma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas. De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo. Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino: - Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis! Nesse instante, o gênio Albert Einstein que passava pelo local, comentou: - Eu sei como ele conseguiu. Todos perguntaram: - Pode nos dizer como? - É simples, respondeu o Einstein. - Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz. "Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados, capacita os escolhidos". Fazer ou não fazer algo, só depende de nossa vontade e perseverança. (Albert Einstein) Conclusão: Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, é problema deles!
  • Foco no principal

    (Sentados à beira do rio, dois pescadores seguram suas varas à espera de um peixe. De repente, gritos de crianças trincam o silêncio. Os dois se assustam. Olham para a frente, olham para trás. Mas nada enxergam. Os berros continuam fortes e vêm de onde eles menos esperam. A correnteza trazia duas crianças pedindo socorro. Os pescadores pulam na água, mas mal conseguem salvá-las com muito esforço, eles então ouvem mais berros e notam mais quatro crianças debatendo-se na água. Desta vez, apenas duas são resgatadas. Aturdidos, os dois ouvem uma gritaria ainda maior. Dessa vez, oito crianças estão vindo correnteza abaixo. Um dos pescadores vira as costas ao rio e começa a ir embora. O amigo exclama: - Você está louco, não vai me ajudar? Sem deter o passo, ele responde: - Faça o que puder. Eu vou tentar descobrir quem está jogando as crianças no rio.) (Autor desconhecido)
  • Mudanças2

    "Eu não posso afirmar que as coisas vão melhorar se nós mudarmos; o que eu posso afirmar é que para que elas melhorem, nós temos que mudar." Lichtenberg
  • Papai Noel é brasileiro!

    Fazendo uma breve reflexão cheguei à conclusão de que o Papai Noel só pode ser brasileiro... Depois de perder R$ 88 bi do orçamento da União e dizer que ainda não definiu como compensará a falta deles, mas que terá de fazer alguns cortes na saúde, vem a surpresa: Brasil anuncia investimento de R$ 750 mi na Bolívia ! Sim, a mesma Bolívia de Evo Morales, que na marra nossas refinarias agora receberá R$ 750 mi em investimentos. Será que este dinheiro não fará falta na saúde?? O governo diz que somos responsáveis por reduzir as desigualdades da América Latina, mas que tal resolver os problemas da saúde e da segurança de nosso País? Antes de ajudar os vizinhos devemos por ordem na casa! Alguém discorda?
    Filed under:
  • Impostos: Quanto se paga?

    Você já se perguntou quanto o país arrecadou de impostos e o quão pesada é esta carga? Visite o site http://www.impostometro.org.br/ e descubra.
    Filed under:
  • Feriados demais?

    Muito se ouve falar que o problema do Brasil é o excesso de feriados. Será? Será que o país não se desenvolve mais por haver feriados demais, o que faz com que o povo não produza tudo o que deveria? Não, realmente este não é o motivo. Note que o Brasil não é o país com o maior número de feriados ao ano. Estamos em segundo lugar com uma média de 40 dias sem trabalhar (já computadas as férias), atrás da Finlândia que possui a média de 44 dias e bem na frente do México com 22 dias. Poderíamos afirmar que em função dos feriados somos melhores do que a Finlândia e tão piores do que o México? Claro que não. Que tal a França então, com os mesmos 40 dias? Somos iguais a eles? O problema não reside na quantidade de feriados, mas sim na forma como grande parte do povo trabalha. Como muito bem disse meu amigo César Trindade, o problema é que o brasileiro sempre dá 100% de si ao trabalho: 12% na segunda-feira, 23%, na terça-feira, 40% na quarta-feira, 20% na quinta-feira, 5% na sexta-feira.
  • Internet: Por que não?

    A maior pergunta que tenho a fazer aos empresários brasileiros é: Internet: Por que não? Por que as empresas nacionais investem tão pouco em sua presença na internet. Somos um mercado em frente expansão no uso da internet e cada vez mais consumidores acessam ele, então por que ela ainda é tão negligenciada pelos empresários? O Brasil está em segundo lugar no número de habitantes do Second Life (8,55%), perdendo apenas para os Estados Unidos (26,55%). São 480.000 brasileiros, que ingressaram entre abril/2007 e julho/2007. E pensar que ainda tem gente considerando o Second Life uma idéia falida, imaginem só que falência legal se conseguissemos converter 1% destes internautas em nossos clientes... Seria um incremento muito interessante na carteira, na verdade, nas duas carteiras. A de clientes e a de dinheiro, . Isso sem falar no Orkut, onde os brasileiros representam 53,51% de um total superior a 37 milhões de contas, enquanto os Estados Unidos possuem 18,07%. O Orkut recebe mais de um milhão de visitas diárias... Então qual será a resposta dos empresários que ainda não acreditam na internet? 1% destes dois nichos é algo insignificante para eles??
  • Culpado ou Inocente?

    Recebi este texto de meu querido amigo Huldo Cony e julguei muito importante compartilhar ele com vocês, pela mensagem que passa: Conta uma antiga lenda que na Idade Média um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor do assassinato era pessoa influente do reino e por isso, desde o primeiro momento, foi preciso achar um bode expiatório para acobertar o verdadeiro assassino. O homem acusado foi levado a julgamento. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo dessa história. O juiz, que também estava envolvido com os demais a fim de levar o pobre homem à morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado para que ele provasse sua inocência. Disse o juiz: - Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor. Vou escrever num pedaço de papel a palavra INOCENTE e noutro pedaço a palavra CULPADO . Você sorteará um dos papéis e aquele que sair será o seu veredicto. - O Senhor decidirá seu destino, determinou o juiz. Sem que os demais percebessem, o juiz separou os dois papéis, mas em ambos escreveu CULPADO, de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance do acusado se livrar da forca. Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem. O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou por alguns segundos, aproximou-se da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou na boca e engoliu. Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem. O juiz então perguntou: - Mas o que você fez? E agora? Como vou anunciar o seu veredicto? Ao que o homem respondeu: - É muito fácil. Basta olhar o que está escrito no pedaço que sobrou e saberemos que escolhi e acabei de engolir o seu contrário. Imediatamente o homem foi libertado. Por mais difícil que seja uma situação, nunca deixe de acreditar e de lutar até o último instante. Seja criativo! Quando tudo parecer perdido, ouse!
  • Palavras 1

    "Me arrependo de coisas que disse, mas jamais do meu silêncio" Xenócrates Filósofo, matemático e reitor da Academia Grega 396 - 314 AC
  • O mundo real

    Aproveito para postar aqui o conteúdo de uma palestra proferida por Bill Gates em uma escola secundária, nos EUA. Sei que já faz bastante tempo e muitos já conhecem, mas vale a pena deixar por aqui, como referência. 1. A vida não é fácil, acostume-se com isso. 2. O mundo não está preocupado com a sua auto-estima. O mundo espera que você faça alguma coisa útil por ele ANTES de sentir-se bem com você mesmo. 3. Você não ganhará R$ 20.000,00 por mês assim que sair da escola. Você não será vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que você tenha conseguido comprar seus próprios carro e telefone. 4. Se você acha seu professor rude, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você. 5. Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social. Seus avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade. 6. Se você fracassar, não é culpa de seus pais. Então não lamente seus erros, aprenda com eles. 7. Antes de você nascer, seus pais não eram tão críticos como agora. Eles só ficaram assim por pagar as suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”. Então, antes de salvar o planeta para a próxima geração, querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto. 8. Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim. Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar até acertar. Isto não se parece com absolutamente nada na vida real. Se pisar na bola, está despedido… Rua! Faça certo da primeira vez! 9. A vida não é dividida em semestres. Você não terá sempre os verões livres e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período. 10. Televisão não é vida real. Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou a boate e ir trabalhar. 11. Seja legal com os CDFs (aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas). Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar para um deles. William Henry Gates III
  • Caçando porcos selvagens

    Você sabe como capturar porcos selvagens? Havia um professor de química em um grande colégio com alunos de intercâmbio em sua turma. Um dia, enquanto a turma estava no laboratório, o professor notou um jovem do intercâmbio que continuamente coçava as costas e se esticava como se elas doessem. O professor perguntou ao jovem qual era o problema. O aluno respondeu que tinha uma bala alojada nas costas pois tinha sido alvejado enquanto lutava contra os comunistas de seu país nativo que estavam tentando derrubar seu governo e instalar um novo regime, um “outro mundo possível”. No meio da sua história ele olhou para o professor e fez uma estranha pergunta: “O senhor sabe como se capturam porcos selvagens?” O professor achou que se tratava de uma piada e esperava uma resposta engraçada. O jovem disse que não era piada. “Você captura porcos selvagens encontrando um lugar adequado na floresta e colocando algum milho no chão. Os porcos vêm todos os dias comer o milho gratuito. Quando eles se acostumam a vir todos os dias, você coloca uma cerca mas só em um lado do lugar em que eles se acostumaram a vir. Quando eles se acostumam com a cerca, ele voltam a comer o milho e você coloca um outro lado da cerca. Mais uma vez eles se acostumam e voltam a comer. Você continua desse jeito até colocar os quatro lados da cerca em volta deles com uma porta no último lado. Os porcos que já se acostumaram ao milho fácil e às cercas começam a vir sozinhos pela entrada. Você então fecha a porteira e captura o grupo todo.” “Assim, rapidamente, os porcos perdem sua liberdade. Eles ficam correndo e dando voltas dentro da cerca, mas já foram pegos. Logo, voltam a comer o milho fácil e gratuito. Eles ficaram tão acostumados a ele que esqueceram como caçar na floresta por si próprios, e por isso aceitam a servidão.” O jovem então disse ao professor que era exatamente isso que ele via acontecer neste país. O governo ficava empurrando-os para onde ele queria e espalhando o milho gratuito na forma de programas de auxílio de renda, bolsas isso e aquilo, impostos variados, estatutos de “proteção”, cotas para estes e aqueles, subsídio para todo tipo de coisa, pagamentos para não plantar, programas de “bem-estar social”, medicina e medicamentos “gratuitos”, sempre e sempre novas leis, etc, tudo ao custo da perda contínua das liberdades, migalha a migalha. Devemos sempre lembrar que “Não existe esse negócio de almoço grátis” e também que “não é possível alguém prestar um serviço mais barato do que seria se você mesmo o fizesse”. Lembre-se sempre disto para que não ocorra com você, nem com seu negócio esta transformação em porco selvagem.
    Filed under:
  • Um Meio ou uma Desculpa

    Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes, da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo. Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo. O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados, não se compare à maioria, pois infelizmente ela não é modelo de sucesso, se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chopp com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina. A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é o combustível dos perdedores, pois.... 'Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio'. 'Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa'. Roberto Shinyashiki
    Filed under:
  • Meio ou Desculpa

    "Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio. Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa". Roberto Shinyashiki
  • Nunca perca a fé

    Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina. Trabalha dia e noite, dormindo apenas quatro horas por dia. Dorme ali mesmo, entre um pequeno torno e algumas ferramentas espalhadas. Para poder continuar seus negócios, empenha sua casa e as jóias da esposa. Quando finalmente, apresenta o resultado de seu trabalho a uma grande empresa, recebe a resposta que seu produto não atende ao padrão de qualidade exigido. O homem desiste? Não!!! Volta á escola por mais dois anos, sendo vítima da chacota de seus colegas e de alguns professores, que o chamam de louco. O homem fica ofendido? Não!!! Dois anos após ter concluído o curso de qualidade, a empresa que o recusara, finalmente fecha um contrato com ele. Seis meses depois, vem a guerra. Sua fábrica é bombardeada duas vezes. O homem se desespera e desiste? Não!!! Reconstrói sua fábrica; mas um terremoto novamente o arrasa. Você pensará: bom, agora sim, ele desiste! Mais uma vez, não!!! Imediatamente após a guerra há uma escassez de gasolina em todo o país, e este homem não pode sair de automóvel, nem para comprar alimentos para sua família. Ele entra em pânico, e decide não mais continuar seus propósitos? Não!!! Criativo, ele adapta um pequeno motor à sua bicicleta, e sai as ruas. Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem as chamadas "bicicletas motorizadas". A demanda por motores aumenta e logo ele não conseguiria atender todos os pedidos... Decide montar uma fábrica para a novíssima invenção. Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a ideia parece excelente, consegue ajuda de 3.500 lojas, as quais lhe adiantam uma pequena quantia de dinheiro. Hoje a Honda Corporation é um dos maiores impérios da indústria automobilística. Esta conquista foi possível porque o sr. Soichiro Honda, o homem da nossa história, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente. Todas as coisas são possíveis, quando sustentadas por sonhos e valores consistentes. Pense Nisso!!
    Filed under:
  • 102 não!

    Nos pequenos negócios, muitas vezes temos que ligar para o auxílio à lista para obter alguma informação e isto acabo se tornando caro, portanto aqui vai uma dica: Não ligue para o 102, mas sim para o 0800-310-102 (Consulta Gratuíta, sim, é verdade!) Na consulta ao 102 você paga R$ 1,20 pelo serviço que poderia ter de graça. Muito importante: Funciona até do celular!
    Filed under:
  • ADVOGADOS versus ADVOGADOS

    História real e que ganhou o primeiro lugar no Criminal Lawyers Award Contest. Um advogado de Charlotte, NC, comprou uma caixa de charutos muito raros e muito caros. Tão raros e caros que os colocou no seguro, contra fogo, entre outras coisas. Depois de um mês, tendo fumado todos eles e ainda sem ter terminado de pagar o seguro, o advogado entrou com um registro de sinistro contra a companhia de seguros. Nesse registro, o advogado alegou que os charutos haviam sido perdidos em uma série de pequenos incêndios. A companhia de seguros recusou-se a pagar, citando o motivo óbvio: que o homem havia consumido seus charutos da maneira usual. O advogado processou a companhia...E GANHOU!!! Ao proferir a sentença, o juiz concordou com a companhia de seguros que a ação era frívola. Apesar disso, o juiz alegou que o advogado "tinha posse de uma apólice da companhia na qual ela garantia que os charutos eram seguráveis e, também, que eles estavam segurados contra fogo, sem definir o que seria fogo aceitável ou inaceitável" e que, portanto, ela estava obrigada a pagar o seguro. Em vez de entrar no longo e custoso processo de apelação, a companhia aceitou a sentença e pagou US$ 15.000,00 ao advogado, pela perda de seus charutos raros nos incêndios. AGORA A MELHOR PARTE: Depois que o advogado embolsou o cheque, a companhia de seguros o denunciou, e fez com que ele fosse preso, por 24 incêndios criminosos!!! Usando seu próprio registro de sinistro e seu testemunho do caso anterior contra ele, o advogado foi condenado por incendiar intencionalmente propriedade segurada e foi sentenciado a 24 meses de prisão, além de uma multa de US$ 24.000 ,00. MORAL DA HISTÓRIA: Cuidado com o que você faz! A outra parte também pode ter um advogado melhor e mais esperto!
  • Marcas

    "Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si. Levam um pouco de nós." Antoine de Saint Exupéry
  • Matemática de Mendigo

    Raciocínio desenvolvido por um estagiário! Tenho que dar meus parabéns para esse estagiário que elaborou essa pesquisa tão perfeita, pois para mim o resultado que ele conseguiu obter é a mais pura realidade. Preste atenção nessa interessante pesquisa dele... Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar pelo menos R$0,10, o que numa hora dará: 60 x R$ 0,10 = R$ 6,00. Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x R$ 6,00 = R$ 1.200,00. Será que isso é uma conta maluca? Bom, 6 Reais por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 10 centavos e sim 20, 50 e às vezes até 1 Real. Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$ 3,00 por hora terá R$600,00 no final do mês, que é o salário de um estagiário com carga de 35 horas semanais ou 7 horas por dia. Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro), ele pode descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe pra encher por causa disto. Mas isto é teoria, vamos ao mundo real. De posse destes dados fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos na Panetiere (padaria em frente ao CEFET). Então lhe perguntei quanto ela faturava por dia. Imagine o que ela respondeu? É isso mesmo, de 35 a 40 reais em média o que dá (25 dias por mês) x 35 = 875 ou 25 x 40 = 1000, então na média R$ 937,50 e ela disse que não mendiga 8 horas por dia. Moral da História: É melhor ser mendigo do que estagiário, e pelo visto, ser estagiário é pior que ser Mendigo... Se esforce como mendigo e ganhe mais do que um estagiário. Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego. Lembre-se: Você pode acabar sendo governado por alguém que não estudou, não trabalhou, não sabe o próprio nome, mas terá umas 3 fontes de renda e ainda esnobará a nação inteira com palácios, aviões, viagens internacionais, carros importados, bebidas caríssimas... etc, etc, etc... Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar isso! Viva à Matemática!
  • Sucesso nos Investimentos

    "O sucesso nos investimentos consiste em antecipar o que os outros anteciparão." John Maynard Keynes Economista, Jornalista e Financista 1883-1946
  • Solução

    "A morte resolve todos problemas - sem homem, sem problemas." Joseph Stalin Primeiro Ministro Russo, Líder Comunista e Político Ditador Governou de 1929 até 1953 1879-1953
  • Mal

    "A morte não é o pior dos males, pior é desejar morrer e não poder." Sophocles Filósofo de Atenas
  • Medo

    "Algumas pessoas tem tanto medo de morrer, que nunca começam a viver." Henry Van *** Poeta 1852-1933
  • Precisão

    "É melhor estar vagamente certo, do que precisamente errado." John Maynard Keynes Economista, Jornalista e Financista 1883-1946
  • Mudanças

    "A dificuldade não está em surgir com novas idéias, mas em abandonar as antigas." John Maynard Keynes Economista, Jornalista e Financista 1883-1946
  • Idéias

    "Idéias moldam o curso da história." John Maynard Keynes Economista, Jornalista e Financista 1883-1946
  • Prazos

    "No longo prazo estaremos todos mortos." John Maynard Keynes Economista, Jornalista e Financista 1883-1946
  • Afastamento da Política

    "O castigo dos homens capacitados que se recusam a tomar parte nas questões governamentais é viver sob o governo de homens incapacitados " Platão
  • Imóvel: Consórcio ou Financiamento??

    O valor pago em um consórcio , para compra de um imóvel, pode ser 6,82% menor do que em um financiamento , segundo simulação realizada pelo economista Miguel de Oliveira, conselheiro da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade ). De acordo com os dados, na compra de um imóvel de R$ 100 mil em 10 anos, com sistema de amortização de financiamento (Sacre), o preço final pago no financiamento é de R$ 150.811,90, com juros de 8,16% por ano mais TR (Taxa Referencial), enquanto no consórcio é de R$ 140.519,68 somente com taxa de administração de 17,04% a.a e inflação de 4% a.a. Quando levado em consideração o fundo de reserva, cobrado apenas em alguns consórcios, a diferença cai para 5,23%, com o valor final de R$ 142.920,93. Na ponta do lápis Para que você tenha noção de quanto pagará na primeira e última parcela nos três casos - financiamento, consórcio apenas com taxa de administração (1) e consórcio com taxa de administração e fundo de reservas (2) - veja abaixo a simulação feita pelo economista. Prestação Financiamento Consórcio 1 Consórcio 2 Primeira R$ 1.514,18 R$ 975,33 R$ 992,00 Última R$ 952,42 R$ 1.388,21 R$ 1.411,93 Total R$ 150.811,90 R$ 140.519,68 R$ 142.920,93 Fonte: Simulação Miguel de Oliveira Por qual optar? Apesar do valor pago no financiamento ser maior do que no consórcio, o consumidor deve ter em mente quais são suas necessidades e condições financeiras antes de optar por um ou por outro. A grande vantagem dos consórcios é que não embutem juros, mas precisa-se esperar para ser sorteado para receber o imóvel. No caso do financiamento, o bem é adquirido logo quando se começa a pagar as parcelas, mas o valor final pode sair mais caro. Fonte: Flávia Furlan Nunes 02/10/07 - 17h27 InfoMoney
    Filed under:
  • Inspiração

    "A melhor coisa que você pode fazer por uma pessoa é inspirá-la." Bob Dylan Cantor e compositor
  • Impossível 2

    "Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário." Albert Einstein Físico Alemão (1879 - 1955)
  • Ensinar

    "Dê um peixe a um homem faminto e você o alimentará por um dia. Ensine-o a pescar e você o estará alimentando pelo resto da vida." Provérbio Chinês.
  • Sonhos

    "Se você pode sonhar, você pode fazer." Walt Disney
  • Persistência 2

    "Caia sete vezes, levante-se oito." Provérbio Japonês.
  • Liberdade de Expressão

    "Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las." Voltaire
  • Mudança de Visão

    "Verdadeira viagem não está em sair à procura de novas paisagens, mas em possuir novos olhos." Marcel Proust
  • Impossível

    "Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau
  • Persistência

    "A persistência é o caminho do êxito." Charles Chaplin
  • Felicidade

    "A maior parte das pessoas é tão feliz quanto resolve ser". Abraham Lincoln Presidente EUA (1861-1865)
  • Colheita obrigatória

    "Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos." Provérbio Chinês.
  • A casa dos Mil Espelhos

    Tempos atrás em um distante e pequeno vilarejo, havia um lugar conhecido como a casa dos 1000 espelhos. Um pequeno e feliz cãozinho soube deste lugar e decidiu visitar. Lá chegando, saltitou feliz escada acima até a entrada da casa. Olhou através da porta de entrada com suas orelhinhas bem levantadas e a cauda balançando tão rapidamente quanto podia. Para sua grande surpresa, deparou-se com outros 1000 pequenos e felizes cãezinhos, todos com suas caudas balançando tão rapidamente quanto a dele. Abriu um enorme sorriso, e foi correspondido com 1000 enormes sorrisos. Quando saiu da casa, pensou, - Que lugar maravilhoso! Voltarei sempre, um montão de vezes. Neste mesmo vilarejo, um outro pequeno cãozinho, que não era tão feliz quanto o primeiro, decidiu visitar a casa. Escalou lentamente as escadas e olhou através da porta. Quando viu 1000 olhares hostis de cães que lhe olhavam fixamente, rosnou e mostrou os dentes e ficou horrorizado ao ver 1000 cães rosnando e mostrando os dentes para ele. Quando saiu, ele pensou, - Que lugar horrível, nunca mais volto aqui. Todos os rostos no mundo são espelhos. Provérbio Japonês.
Todos posts realizados aqui são fornecidos "COMO ESTÃO", sem garantias e não conferem direitos. Todos os posts representam a opinião pessoal de quem os publicou e não refletem qualquer opinião oficial de qualquer empresa com a qual quem postou esteja ligado atualmente, ou tenha sido ligado no passado. O uso de quaisquer códigos postados é autorizado para fins não comerciais e permanece sem garantias explícitas ou implícitas. Qualquer uso de informações ou códigos postados neste site será por conta e risco de quem os utilizar. Caso deseje replicar ou citar algum dos posts deste site você DEVERÁ citar a fonte, ou obter uma autorização expressa de quem a postou, para preservar os direitos autorais e não incorrer em crime contra a propriedade intelectual. O site agradece www.consulting.etc.br pelo apoio.
Powered by Community Server (Commercial Edition), by Telligent Systems