Windows Server,Windows Client - Tecnologias

Tecnologias

Assuntos diversos ligados à tecnologia.

Syndication

Receive Email Updates



Browse by Tags

All Tags » Windows Server » Windows Client (RSS)
Criando um USB inicializável a partir de uma imagem ISO (na unha)
Você já desejou gravar uma imagem ISO em um USB e torná-lo inicializável, sem precisar utilizar nenhum aplicativo para isto? Veja como: Insira o seu USB; Abra um Prompt de Comando (Iniciar -> Executar -> CMD -> ENTER); Digite diskpart ; Digite list disk e identifique o número de seu USB; Acesse o disco do seu USB com o seguinte comando: select disk 1 (caso o número dele seja 1); Digite clean para limpar o conteúdo dele antes de iniciar; Agora digite create partition primary para criar uma partição primária; Acesse a partição que criou com o comando: select partition 1 ; Torne ela ativa com o comando: active ; Formate a partição como FAT32 ou NTFS através do comando: format fs=fat32 ou format fs=ntfs ; Digite assign ; Agora saia desta ferramenta digitando: exit ; Acesse a imagem ISSO que deseja copiar, o próprio Windows Explorer monta ela para você com dois cliques; Verifique qual letra a imagem ISSO recebeu; Execute o comando bootsect /nt60 z: (onde z representa a letra de seu USB); Copie os arquivos para o USB com o comando: xcopy d:\*.* /s/e/f z:\ (onde d representa a letra da imagem e z a do USB); Digite exit. Seu USB está pronto!

Posted sexta-feira, 8 de abril de 2016 15:26 by Paleo | with no comments

Usando arquivos de um pen drive em uma máquina virtual do Hyper-V
Você deseja poder acessar arquivos que estão em um pen drive, a partir de sua máquina virtual do Hyper-V? Caso seu servidor seja um Windows Server 2012 R2 e a máquina virtual seja da geração 2 (Windows 8.1 ou Windows Server 2012), isto já é possível. Veja como: Abra o Gerenciador do Hyper-V ; Dê um clique com o botão direito no nome do host e selecione Configurações do Hyper-V ; Agora em no conjunto Servidor , clique em Política do Modo de Sessão Avançado e selecione a caixa Permitir modo de sessão avançado ; Então no conjunto Usuário , em Modo de Sessão Avançada , selecione a caixa Usar modo de sessão avançada; Agora clique em Conectar… que aparecerá uma caixa de diálogo permitindo alterar a configuração de vídeo, além de outras opções, caso clique em Mostrar ; Vídeo: 640 x 480; 800 x 600; 1024 x 768; Tela inteira; Recursos Locais: Áudio remoto; Dispositivos e recursos locais Nas unidades você poderá conectar seus dispositivos de armazenamento USB. Pronto!

Posted terça-feira, 9 de setembro de 2014 3:10 by Paleo | with no comments

Liberando o acesso ao Lync 2013 na rede local
Já vi muita gente tendo dificuldade para fazer o Lync 2013 funcionar em seus ambientes corporativos, especialmente por enfrentar dificuldades para fazer a liberação de portas no firewall, então resolvi escrever este post. Se me perguntarem, mas estas informações já não estão disponíveis no site do TechNet? Claro, estão aqui: http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg398798.aspx Ocorre que algumas pessoas não gostam de ler tanto para obterem suas informações. Então também há esta página: http://www.lync-solutions.com/Documents/Lync_2013_protocol_poster_v6_7.pdf No site acima o Rui Maximo fez um trabalho simplesmente excelente , mas que também pode assustar a alguns leitores, então resolvi postar de uma forma resumida (sei, até um pouco demais), para quem deseja ir direto ao ponto. Pois vamos aos cenários então: Conectar o cliente interno ao Lync; Recurso Protocolo Porta Detecção de presença e mensagens instantâneas SIP/TLS 5061 Detecção de presença, mensagens instantâneas, áudio e vídeo e conferência Web HTTPS 443 Solução empresarial de voz STUN/TCP 443 Áudio, vídeo, conferência web e compartilhamento de aplicativos SRTP/UDP 49152 – 65535 Áudio, vídeo e conferência web PSOM/TLS 8057 Solução empresarial de voz TURN/TCP 448 Solução empresarial de voz UDP 3478 Conectar dois clientes internos via Lync; Recurso Protocolo Porta Áudio, vídeo, conferência web e compartilhamento de aplicativos SRTP/UDP 1024 – 65535 Cliente interno com Exchange Server para usar Unified Messaging; Recurso Protocolo Porta Solução empresarial de voz SRTP/RTCP 60000 – 64000 Bidirecional Cliente interno para soluções de voz. Recurso Protocolo Porta Solução empresarial de voz SRTP/RTCP 30000 – 39999

Posted sexta-feira, 11 de abril de 2014 0:55 by Paleo | with no comments

Significado do MAC Address
Você já se perguntou qual a importância do MAC (Media Access Control) de seu equipamento? Já notou que qualquer dispositivo de rede possui um MAC Address (Endereço MAC)? Pois é, vamos entender o funcionamento dele então. Digamos que você deseja enviar dados para um computador específico, ou receber dados dele, como por exemplo, desejo acessar a um site de internet que esteja hospedado nele. Você simplesmente digita o URL (Uniform Resource Locator, alguns chamam de Universal Resource Locator, de forma que tornaram-se quase sinônimos), que nada mais é do o endereço do site (ex.: http://www.ositedesejado.com.br ). Então o seu servidor DNS (Domain Name Service), que é o responsável por converter o URL digitado por você, no endereço IP (Internet Protocol, o padrão de comunicação na internet) da máquina destino. Aqui é importante destacar que em redes de computadores, costumam existir dois endereços IP: o externo, também conhecido por IP Público, que é aquele acessível e possível de ser descoberto pelos servidores DNS e o IP interno, que é válido apenas na rede interna. Agora imagine que a mensagem é destinada a um equipamento na rede interna. Se eu possuo apenas o IP externo, como faço para chegar até ele? É neste caso que utilizo o endereço MAC da placa de comunicação do equipamento interno, portanto os meus pacotes são enviados contendo o endereço IP do destinatário (que pode ser o próprio equipamento, um roteador, servidor, etc) e o MAC Address do equipamento para o qual a mensagem destina-se. Ok, mas então como sei o endereço MAC da máquina para a qual desejo enviar a mensagem, por exemplo enviar os dados da página que ela deseja acessar? Na requisição pela página, ou seja, quando eu digitei o URL dela, seguiu no meu pacote de dados, meu endereço IP externo e o meu MAC, desta forma o site já sabe como enviar o pacote de volta. Certo, mas e se eu desconheço o MAC de meu destinatário? Neste caso você precisará aguardar um post futuro, pois não abordarei este cenário aqui, . Maravilha, chegamos ao MAC, aquele conjunto de 48 bits, ou 12 caracteres hexadecimais. Mas afinal de contas, o que eles representam? Os primeiros 24 bits, ou seja, os primeiros 6 caracteres hexadecimais, indicam a OUI (Organization Unique Identifier), em outras palavras, o fabricante de seu dispositivo. Por exemplo: 00:60:2F = Cisco ou 00:23:CD = TP Link. Os 24 bits finais, ou seja, os 6 últimos caracteres indicam o que foi atribuído àquela placa específica, pelo seu fabricante, são o verdadeiro MAC exclusivo daquela placa, a parte única do seu NIC (Network Interface Card). É exatamente por isso que você pode encontrar diversos dispositivos com os seus primeiros caracteres iguais. Basta que tenham sido fabricados pela mesma empresa. Adicionalmente, em comunicações, depois de enviar o MAC do remetente e o MAC do destinatário, é enviado mais um conjunto de quatro caracteres, indicando o protocolo usado (Ether Type), que atualmente pode ser IPv4 ou IPv6. Para IPv4 usamos 08:00, enquanto que para IPv6 usamos 86:DD. Um exemplo de MAC reader então seria: 80:00:20:7A:3F:3G 80:00:20:20:3A:AF 08:00 Seguido dos dados e do CRC Checksum. No Brasil, alguns provedores de internet estão bloqueando o acesso de quem utiliza roteadores conectados diretamente aos seus modems, com o intuito de cobrarem um adicional por este uso. Como eles conseguem identificar estes roteadores? Através do endereço MAC deles! Você deseja identificar o fabricante de um equipamento a partir do endereço MAC dele? Simplesmente informe o MAC em: http://coffer.com/mac_find/ Como posso evitar esta identificação indesejada? Simplesmente clonando o MAC de seu computador, no roteador. Sim, esta é uma solução simples, até simplória para este problema, mas na maioria dos casos funciona!

Posted quarta-feira, 5 de março de 2014 12:07 by Paleo | with no comments

Parâmetros de linha de comando na conexão remota
Você que está acostumado a usar conexões remotas, sabia que pode usar alguns parâmetros de linha de comando nela? Não, pois aqui vou falar sobre eles. Para começar, você sabia que a partir do Windows 7 pode iniciar uma conexão remota a partir da caixa de pesquisa, da caixa de diálogo executar ou da linha comando? Pois é, justamente nestes casos é que fica ainda mais interessante conhecer estes parâmetros, ainda que eles continuem válidos para quem inicia a conexão remota sempre a partir do menu iniciar. Adicionalmente o uso indevido deles pode causar resultados indesejados, se não soubermos usá-los de forma correta. Mas, passemos aos parâmetros: A forma que julgo mais prática para usá-los é a seguinte: Clique no botão Iniciar , então selecione Todos os Programas , aponte para Acessórios e então clique em Executar; Ok, tem uma forma mais fácil de fazer isso. Clique na tecla do Windows e sem soltá-la pressione a tecla R Na caixa de diálogo Abrir , digite mstsc . Portanto a forma de escrever (sintaxe) o comando, com os parâmetros, é a seguinte: mstsc [<arquivo de conexão>] [ /v: <servidor[ : porta]>] [ /admin ] [ /f [de fullscreen]] [ /w: <largura>] [ /h: <altura>] [ /public ] | [ /span ] [ /edit "arquivo de conexão"] [ /migrate ] [ /? ] /v:servidor:1111 Especifica a qual computador remoto desejamos nos conectar e indica a porta que deve ser usada para isto. Neste exemplo, a porta 1111. /admin Como o nome sugeri, este parâmetro é usado por administradores remotos. Se a funcionalidade de gerenciador de conexões remotas estiver ativa, após o comando mstsc /admin , ocorrerá o seguinte (para a conexão realizada com o uso do parâmetro): - Desabilita o serviço de licenciamento de clientes de conexão remota; - Desabilita o redirecionamento de fuso horário; - Desabilita o redirecionamento do RD Connection Broker; - Desabilita o Easy Print da conexão remota. Caso o servidor seja um Windows Server 2008 R2, ainda teremos os seguintes resultados. - Desabilita o redirecionamento de dispositivos Plug & Play; - Altera o tema da área de trabalho para o Windows Classic. /f Inicia a conexão remota no modo de tela cheia /w:1024 Especifica a largura da janela para a conexão remota. Neste exemplo, 1024 pixels. /h:768 Especifica a altura da janela para a conexão remota. Neste exemplo, 768 pixels. /public Executa a área de trabalho remota no modo público. /span Iguala a largura e alturas da área remota com o desktop virtual local, distribuindo entre múltiplos monitores, se necessário. Para que seja possível distribuir entre múltiplos monitores, é necessário que eles estejam dispostos como um retângulo. /multimon Configura o layout da sessão remota para ser idêntico à configuração do computador cliente. /edit “arquivo de conexão” Abre para edição, o arquivo de conexão ( .rdp ), especificado entre as aspas. /restrictedAdmin Conecta-se no modo de administração remota restrita. Nesse modo, as credenciais não serão enviadas ao computador ou servidor remoto, o que pode protegê-lo caso esteja se conectando a um computador comprometido. Adicionalmente, este procedimento pode afetar a funcionalidade de aplicativos e a compatibilidade. Precisa ser usado em conjunto com /admin . /migrate Migra os arquivos de conexão antigos, criados com o Connection Manager de computadores clientes, para os novos arquivos .rdp . /prompt Solicita as credenciais apenas após a conexão ser estabelecida. /shadow:junior Especifica que deseja espelhar a sessão chamada junior . /control Permite o controle da sessão remota. /noConsentPrompt Permite que uma sessão seja espelhada, sem que seja solicitado o consentimento do outro usuário. /? Lista estes parâmetros

Posted segunda-feira, 23 de dezembro de 2013 20:57 by Paleo | with no comments

Livros Grátis – 26/06/2013
Amigos, mais uma coleção de eBooks da Microsoft de graça. Aproveitem! Office & Office 365 Deployment guide for Office 2013 EPUB MOBI PDF Microsoft Office 365 for professionals and small businesses: Help and How To EPUB MOBI PDF SharePoint Explore SharePoint 2013 EPUB MOBI PDF Deployment guide for SharePoint 2013 EPUB MOBI PDF Test Lab Guide: eBook for SharePoint Server 2013 Intranet and Team Sites EPUB MOBI PDF DOC Create a Balanced Scorecard (SharePoint Server 2010) EPUB MOBI PDF SharePoint Server for Business Intelligence EPUB MOBI PDF SQL Server 5 Tips for a Smooth SSIS Upgrade to SQL Server 2012 EPUB MOBI PDF A Hitchiker's Guide to Microsoft StreamInsight Queries EPUB MOBI PDF Data Mining Extensions (DMX) Reference EPUB MOBI PDF Data Quality Services  EPUB MOBI PDF High Availability Solutions EPUB MOBI PDF Master Data Services EPUB MOBI PDF Monitor and Tune for Performance EPUB MOBI PDF Multidimensional Expressions (MDX) Reference EPUB MOBI PDF SQL Server Distributed Replay EPUB MOBI PDF Transact-SQL Data Definition Language (DDL) Reference EPUB MOBI PDF XQuery Language Reference EPUB MOBI PDF Extracting and Loading SharePoint Data in SQL Server Integration Services EPUB MOBI PDF Integration Services: Extending Packages with Scripting EPUB MOBI PDF Multidimensional Model Programming EPUB MOBI PDF Optimized Bulk Loading of Data into Oracle EPUB MOBI PDF Planning Disaster Recovery for Microsoft SQL Server Reporting Services in SharePoint Integrated Mode EPUB MOBI PDF SQL Server 2012 Tutorials: Reporting Services EPUB MOBI PDF SQL Server 2012 Tutorials: Writing Transact-SQL Statements EPUB MOBI PDF SQL Server Community FAQs Manual EPUB MOBI PDF System Center Cmdlet Reference for App Controller in System Center 2012 SP1 EPUB MOBI PDF Technical Documentation for System Center 2012 - Virtual Machine Manager EPUB MOBI PDF Visual Studio Better Unit Testing with Microsoft Fakes EPUB MOBI PDF Dependency Injection with Unity PDF Developer's Guide to Microsoft Enterprise Library (Second Edition) PDF Testing for Continuous Delivery with Visual Studio 2012 PDF Upgrade Team Foundation Server 2012: the ultimate upgrade guide EPUB MOBI PDF Web Development ASP.NET Multi-Tier Windows Azure Application Using Storage Tables, Queues, and Blobs EPUB MOBI PDF ASP.NET Web Deployment using Visual Studio EPUB MOBI PDF Developing Modern Mobile Web Apps EPUB MOBI PDF The Entity Framework 4.0 and ASP.NET Web Forms – Getting Started EPUB MOBI PDF Getting Started with the Entity Framework 4.1 using ASP.NET MVC EPUB MOBI PDF Project Silk: Client-Side Web Development for Modern Browsers PDF Windows Administrator's Guide for Microsoft Application Virtualization (App-V) 5.0 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft BitLocker Administration and Monitoring 1.0 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 7 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 8.0 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft User Experience Virtualization (UE-V) 1.0 EPUB MOBI PDF Developing an end-to-end Windows Store app using C++ and XAML: Hilo PDF Developing an end-to-end Windows Store app using BLOCKED SCRIPT Hilo PDF Prism for the Windows Runtime: Developing a Windows Store business app using C#, XAML, and Prism PDF Programming Windows 8 Apps with HTML, CSS, and JavaScript EPUB MOBI PDF Windows Azure Autoscaling Application Block and Transient Fault Handling Application Block Reference EPUB MOBI PDF Create Your First Application: Node.js and Windows Azure EPUB MOBI PDF Developing Multi-tenant Applications for the Cloud on Windows Azure (3rd Edition) PDF Drupal on Windows Azure EPUB MOBI PDF Exploring CQRS and Event Sourcing: A journey into high scalability, availability, and maintainability with Windows Azure PDF Migrating Data-Centric Applications to Windows Azure EPUB MOBI PDF Moving Applications to the Cloud on Windows Azure (3rd Edition) PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable your iOS Apps EPUB MOBI PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable Your Windows Phone 8 Apps EPUB MOBI PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable your Windows Store Apps in C# EPUB MOBI PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable Your Windows Store Apps in JavaScript EPUB MOBI PDF Windows Azure and SQL Database Tutorials EPUB MOBI PDF Windows Server A Guide to Claims-Based Identity and Access Control, Second Edition PDF Introducing Windows Server 2012 EPUB MOBI PDF TCP/IP Fundamentals for Microsoft Windows PDF

Posted quarta-feira, 26 de junho de 2013 14:18 by Paleo | with no comments

Erro NFe: (Causa provável: a cadeia de certificação do Web Service acessado ou do certificado cliente inexistente no repositório de certificados do usuário corrente do Windows
Com o início da utilização da Nova Cadeia de Certificados da NF-e, muitos sistemas passaram a apresentar problemas. Por que isso ocorre? Em um computador baseado no Windows Server 2003 ou Windows XP, não é possível obter certificados de uma autoridade de certificação baseada no Windows Server 2008 (CA). Esse problema ocorre se a autoridade de certificação estiver configurada para usar criptografia SHA2 256 ou criptografia superior (384 SHA2 ou SHA2 512). Como resolver? Basta instalar o KB 968730: http://support.microsoft.com/kb/968730

Posted sexta-feira, 1 de junho de 2012 19:22 by Paleo | with no comments

Windows Update Error 0x80073712
Se você está obtendo este erro é porque a sua base de atualizações do Windows está corrompido. Isso costuma ocorrer depois de algum tempo no Windows Vista e no Windows 7, mas a solução é extremamente fácil. 1. Acesse o seguinte endereço: http://go.microsoft.com/fwlink/?linkid=123822 2. Faço o download da Ferramenta de Preparação de Atualização do Sistema para Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2 (selecione a versão certa para o seu sistema); 3. Execute a ferramenta; 4. Execute o Windows Update novamente. Pronto, problema resolvido.

Posted quinta-feira, 9 de junho de 2011 17:05 by Paleo | with no comments

Lendo arquivos .hlp no Windows Vista, 7, 2008 ou 2008 R2
Caso você ainda não tenha reparado, não é mais possível ler arquivos .hlp no Windows Vista, 7, 2008 ou 2008 R2. Por que? Porque eles não possuem o arqvuivo WinHlp32.exe que permite esta leitura. Solução? Claro, basta fazer o download do arquivo em: http://support.microsoft.com/kb/917607

Posted quinta-feira, 23 de setembro de 2010 16:19 by Paleo | with no comments

Windows Vista e Windows Server 2008 SP2
Amigos, já está disponível para os usuário do MSDN/TechNet, desde ontem o SP2 do Windows Vista. Para os demais usuários estará disponível a partir de amanhã. A pergunta mais frequente será, o que mudou? Suporte para novos hardwares suporte à tecnologia Blue tooth 2.1; habilidade de gravar em mídias Blu-ray; adiciona o Windows Connect Now (WCN) às conexões Wi-fi; exFAT passa a suportar etiquetas de tempo UTC, o que proporciona sincronismo de arquivos entre zonas de horário diferentes; suporte a novos formatos de expansão: ICCD/CCID; suporte à nova CPU ViA 64-bits. Segurança inclui todas as atualizações de segurança anteriores ao seu lançamento; Secure Development Lifecycle, onde são detectadas as causas de erros de programação que conduzem à vulnerabilidades; endereça atualizações de confiabilidade e crashes causados pelo código, descoberto após o SP1. Performance recupera performance quando não localiza a rede Wi-fi após voltar da hibernação (sleep); inclusão do Windows Search4 ao produto; melhorias da sidebar dos RSS feeds. Compatibilidade de Aplicativos garantia que aplicativos desenvolvidos para o Vista SP1 continuarão funcionando no SP2; atualizações para compatibilidade de arquivos já publicadas estarão presentes no produto; Spysweeper e ZoneAlarm agaro funcionam com as contas de e-mail POP3. Melhorias na administração e suporte o tempo para a instalação do .net Framework 3.5 será reduzido quando instalado no Windows Vista SP2 ou no Windows Server 2008 SP2; Service Pack Clean-up Tool (Compcln.exe). Este software ajuda a recuperar espaço no HD, por deletar permanentemente as versões antigas dos arquivos; único instalar para Windows Vista e Windows Server 2008; habilidade para detectar driver incompativel e bloquear o SP2; melhor gerenciamento de erros e informações mais detalhadas dos erros, onde possível; melhor gerenciamento do log de eventos. Correções específicas e Adições Inclusão do Hyper-V; suporte ao visualizador do log de eventos no SPC; Servidor DNS agora "ouve" através de endereços ISATAP; Corrige problemas no DRM causados por atualizações do WMP; Pacote de funcionalidades do Windows Vista para Wireless; Redução dos recursos necessários para os gadgets da sidebar; Gerenciamento de energia aprimorado para o Windows Server 2008.

Posted quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 13:40 by Paleo | with no comments

Horário de Verão 2009
Este post está meio atrasado, mas para quem ainda não sabia, já foram liberados os patches para o horário de verão brasileiro http://support.microsoft.com/kb/951072/pt-br

Posted terça-feira, 23 de setembro de 2008 15:50 by Paleo | with no comments