Windows Server - Tecnologias

Tecnologias

Assuntos diversos ligados à tecnologia.

Syndication

Receive Email Updates



Browse by Tags

All Tags » Windows Server (RSS)
Criando um USB inicializável a partir de uma imagem ISO (na unha)
Você já desejou gravar uma imagem ISO em um USB e torná-lo inicializável, sem precisar utilizar nenhum aplicativo para isto? Veja como: Insira o seu USB; Abra um Prompt de Comando (Iniciar -> Executar -> CMD -> ENTER); Digite diskpart ; Digite list disk e identifique o número de seu USB; Acesse o disco do seu USB com o seguinte comando: select disk 1 (caso o número dele seja 1); Digite clean para limpar o conteúdo dele antes de iniciar; Agora digite create partition primary para criar uma partição primária; Acesse a partição que criou com o comando: select partition 1 ; Torne ela ativa com o comando: active ; Formate a partição como FAT32 ou NTFS através do comando: format fs=fat32 ou format fs=ntfs ; Digite assign ; Agora saia desta ferramenta digitando: exit ; Acesse a imagem ISSO que deseja copiar, o próprio Windows Explorer monta ela para você com dois cliques; Verifique qual letra a imagem ISSO recebeu; Execute o comando bootsect /nt60 z: (onde z representa a letra de seu USB); Copie os arquivos para o USB com o comando: xcopy d:\*.* /s/e/f z:\ (onde d representa a letra da imagem e z a do USB); Digite exit. Seu USB está pronto!

Posted sexta-feira, 8 de abril de 2016 15:26 by Paleo | with no comments

Usando arquivos de um pen drive em uma máquina virtual do Hyper-V
Você deseja poder acessar arquivos que estão em um pen drive, a partir de sua máquina virtual do Hyper-V? Caso seu servidor seja um Windows Server 2012 R2 e a máquina virtual seja da geração 2 (Windows 8.1 ou Windows Server 2012), isto já é possível. Veja como: Abra o Gerenciador do Hyper-V ; Dê um clique com o botão direito no nome do host e selecione Configurações do Hyper-V ; Agora em no conjunto Servidor , clique em Política do Modo de Sessão Avançado e selecione a caixa Permitir modo de sessão avançado ; Então no conjunto Usuário , em Modo de Sessão Avançada , selecione a caixa Usar modo de sessão avançada; Agora clique em Conectar… que aparecerá uma caixa de diálogo permitindo alterar a configuração de vídeo, além de outras opções, caso clique em Mostrar ; Vídeo: 640 x 480; 800 x 600; 1024 x 768; Tela inteira; Recursos Locais: Áudio remoto; Dispositivos e recursos locais Nas unidades você poderá conectar seus dispositivos de armazenamento USB. Pronto!

Posted terça-feira, 9 de setembro de 2014 3:10 by Paleo | with no comments

Máquina Virtual “Em pausa–Crítica” no Hyper-V
Sua máquina virtual do Hyper-V está com estado “Em Pausa – Crítica”? Você gostaria de saber o motivo? Simples, você está usando um disco dinâmico ou diferencial e o espaço em disco está acabando e para evitar que comecem a ocorrer falhas nas operações de gravação no disco da máquina virtual. Qual seria o problema disso? Normalmente causaria um “crash” na VM. Para evitar este tipo de problema, quando o espaço em disco fica inferior a 2 GB, começam a aparecer alertas no log de eventos e quando fica inferior a 200 MB a máquina virtual passa para o estado “Em pausa – Crítica”. Outro ponto a ser considerado é que se você configurar a VM para armazenar seus dados em um disco diferente do de sistema, mas esquecer mantiver os snapshots no disco de sistema, poderá ter problemas de espaço em ambos. Como solucionar? Basta excluir alguns arquivos para aumentar o espaço livre, ou  mover a máquina virtual para outro drive.

Posted sexta-feira, 15 de agosto de 2014 22:29 by Paleo | with no comments

Reduzindo o tamanho do arquivo de logs do SharePoint via Query Analyzer
Esta postagem na verdade é um complemento para esta outra: Arquivo de Logs do SharePoint gigantesco Aqui mostro uma forma alternativa de chegar na mesma solução (usando o Query Analyzer), o que torna o processo bem mais curto. Execute cada um dos comandos a seguir, de forma sequencial e individual (Os comandos estão em negrito e o nome da base de dados em itálico. Adicionalmente, após cada comando, coloco a explicação do que ele faz): USE WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c ; Conecta à base de dados que desejo reduzir de tamanho ALTER DATABASE WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c SET RECOVERY SIMPLE; Configura o modelo de recuperação para SIMPLE CHECKPOINT; Comanda um CHECKPOINT para eliminar todas as transações inativas DBCC SHRINKFILE ( WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c _LOG, 5); Comprime o arquivo do log de transações para um tamanho aceitável ALTER DATABASE WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c SET RECOVERY FULL; Configura o modelo de recuperação de volta para FULL   Pronto, é só isso! Apenas quatro comandos, para fazer o mesmo do outro post!

Posted domingo, 22 de junho de 2014 1:36 by Paleo | with no comments

Arquivo de Logs do SharePoint gigantesco
Quem trabalha com SharePoint, com um enfoque de infraestrutura, não apenas de usuário, já deve ter encontrado base de dados do SharePoint onde o arquivo de dados do SQL Server (.mdf) possui um tamanho de alguns poucos MBs ou GBs, mas o arquivo de logs associado (.ldf) possui muitas vezes o tamanho do arquivo de dados, chegando muitas vezes a consumir quase todo o HD da máquina. A caso mais gritante que encontrei foi numa máquina de cliente um arquivo de dados (.mdf) de 5 GB e um arquivo de logs (.ldf) de 112 GB! A solução empregada nesta máquina será a demonstrada aqui neste post! O mais interessante é que este arquivo de logs crescerá até consumir o seu HD inteiro, caso não seja configurado um limite para ele. Quando isso ocorrer os usuários não poderão inserir , atualizar , nem excluir seus registros! Isto ocorre porque cada alteração (atualização) realizada no seu SharePoint é tratada como uma modificação pelo SQL Server (o que é correto) e portanto escrita no arquivo de logs, para somente depois ser escrita no arquivo de dados. Como o disco estará cheio, não será possível escrever no arquivo de logs, desta forma o SQL Server nem chegará a tentar escrever no arquivo de dados e portanto o seu SharePoint passará a ser apenas para visualização, uma vez que nada poderá ser alterado. Tornando-se inútil em pouco tempo. Há como evitar isso? Claro, é uma configuração no SQL Server, porém como nem todo usuário de SharePoint entende de SQL Server isso pode se tornar um “elefante branco”. Vou abordar esta configuração em outro post, aqui focarei apenas em como reduzir o tamanho de um arquivo de logs que já esteja gigante. Comece acessando o banco de dados que possui o arquivo de logs gigantesco e execute os seguintes procedimentos para reduzir o tamanho dele (aqui vou mencionar os procedimentos a serem realizados no modo "visual" (GUI) do SQL Server Management Studio, em outro post coloco como fazer via Query Analyzer, para não tornar este muito extenso. Bem, então vamos lá: Expanda Databases ; Localize o banco onde deseja reduzir o arquivo de logs, dê um clique com o botão direito do mouse nele e selecione Properties ; Acesse a guia Options ; Localize a informação sobre o modelo de recuperação ( Recovery Model ) onde deve estar selecionado Full ; Clique no menu dropdown e selecione Simple para o modelo de recuperação; Clique em OK ; Dê um clique com o botão direito do mouse no nome da base de dados e escolha Tasks –> Shrink –> Files ; No menu ao lado de File type , onde estará escrito Data , selecione Log ; Você pode manter o restante da tela como está, com a opção padrão, que é a liberação do espaço não usada ( Release unused space ), ou pode selecionar Reorganize pages before releasing unused space e ainda escolher em Shrink file to o tamanho que deseja deixar o arquivo. Não há necessidade para alterar a opção padrão, então vamos simplesmente clicar em OK (Fique ciente que este procedimento pode levar vários minutos!); Quando estiver concluído, caso deseje, você pode executar o procedimento anterior novamente, para reduzir o tamanho do arquivo de dados também. Para tanto, basta manter a seleção padrão para File type que é Data ; O último passo é voltar nas propriedades da base de dados e alterar novamente o modelo de recuperação para Full . O resultado será algo semelhante à imagem abaixo (repare que eu realizei o procedimento tanto no arquivo de dados, quanto no de logs):

Posted domingo, 22 de junho de 2014 1:20 by Paleo | 2 comment(s)

Problema com o tamanho da base do SQL Server
Realizando a migração de um Sharepoint Services 3.0 para o SharePoint Online do Office 365 verifiquei umas situações interessantes que julguei legal postar aqui para ajudar aos amigos. Primeiro o SharePoint estava usando o Windows Internal Database para contornar o problema da limitação de tamanho das versões Express do SQL Server. Vale destacar que na época da instalação do SharePoint se utilizava Windows Server 2003 R2 e SQL Server 2005 Express , que possuía a limitação de 4 GB para tamanho da base de dados. Para quem não está acostumado com isso, o Windows Internal Database não possui limitação de tamanho e pode ser utilizado para o SharePoint, o que na época era uma boa solução para quem não desejava gastar. Maravilha, mas hoje isso cria um problema adicional. Por que? Simples, não é possível migrar um SharePoint Services 3.0 direto para o SharePoint Online, primeiro temos migrar ele para um SharePoint Foundation 2010 ou SharePoint Server 2010 e então dele, podemos migrar para o SharePoint Online. Até aqui tudo bem, ocorre que quando se instala o SharePoint Server 2010, como standalone, ele instala e configura um SQL Server 2008 Express , que naturalmente possui recursos superiores aos do SQL Server 2005 Express da época em que foi instalado o SharePoint original, porém, possui a mesma limitação de tamanho dos 4 GB , o que inviabilizaria a migração, uma vez que a base já superou este tamanho. O processo de migração consiste em aplicar todas as atualizações no SharePoint Services 3.0 e no Windows Internal Database e depois realizar um Backup da base de dados do SharePoint (que pode ser feito via linha de comando, ou através do SQL Server Management Studio Express , que eu recomendo, por tornar o processo mais visual, o que facilita para quem não tem muita prática com bancos de dados). Como a base original estava num sistema antigo, foi utilizado para criar o backup a versão 2005 dele, como pode ser visto abaixo: Esta etapa é tranquila, agora vem a hora de levar o arquivo do backup até o equipamento onde temos o SharePoint Server 2010 e realizar a restauração do backup, para a primeira atualização da base de dados, pois é aí mesmo que iniciam os problemas. O problema deles será a demora via conexão de internet, caso os equipamentos estejam em locais onde não seja possível o transporte por meios físicos. O segundo será o tamanho da base, que neste caso era de 5,2 GB ! Na hora de restaurar o backup recebemos a seguinte mensagem: Agora, como contornar isso, sem precisar gastar muito? Simples, fazendo o upgrade de edição! Será necessário desinstalar o SharePoint, instalar o SQL Server 2012 Express e depois reinstalar o SharePoint? Não, o processo é bem mais simples do que isso! Basta Usar o SQL Server Instalation Center dele: Apenas tenha atenção para não acessar o SQL Server Instalation Center do SQL Server 2012, senão de nada adiantará. Você pode reparar na tela acima que o mouse está posicionado no correto e o outro está na base da mesma coluna. Selecione a opção de Maintenance e depois clique em Edition Upgrade : No Windows Server 2012 você receberá uma mensagem de erro, basta clicar em Run the program without getting help e seguir o processo. São realizadas algumas validações e você precisa apenas mandar continuar, clicando em OK ou Next , conforme o caso (uma vez cada um). Então você deve definir para qual edição deseja fazer o upgrade. Caso tenha uma chave com os 25 caracteres de uma versão superior, insira ela. Se não tiver apenas selecione Enterprise Evaluation e clique em Next . Sim, sua base será considerada de avaliação, mas isso não é problema, pois muito antes de os 180 dias da avaliação expirarem sua migração estará concluída! Agora aceite o contrato de licença e avance para a tela onde deverá selecionar a instância do SQL Server a passar pela atualização. A identificação é simples, basta ver qual delas possui Express na coluna Edition . Caso tenha mais de uma e não saiba qual delas é a correta, primeiro identifique-a pelo gerenciador do SharePoint 2010. Vale salientar que a seleção é feito pelo nome da instância, no menu acima da tabela de instâncias instaladas, onde aparece escrito SHAREPOINT . Pronto, problema de tamanho resolvido e agora você pode seguir com a migração!

Posted sábado, 21 de junho de 2014 19:23 by Paleo | with no comments

Liberando o acesso ao Lync 2013 na rede local
Já vi muita gente tendo dificuldade para fazer o Lync 2013 funcionar em seus ambientes corporativos, especialmente por enfrentar dificuldades para fazer a liberação de portas no firewall, então resolvi escrever este post. Se me perguntarem, mas estas informações já não estão disponíveis no site do TechNet? Claro, estão aqui: http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg398798.aspx Ocorre que algumas pessoas não gostam de ler tanto para obterem suas informações. Então também há esta página: http://www.lync-solutions.com/Documents/Lync_2013_protocol_poster_v6_7.pdf No site acima o Rui Maximo fez um trabalho simplesmente excelente , mas que também pode assustar a alguns leitores, então resolvi postar de uma forma resumida (sei, até um pouco demais), para quem deseja ir direto ao ponto. Pois vamos aos cenários então: Conectar o cliente interno ao Lync; Recurso Protocolo Porta Detecção de presença e mensagens instantâneas SIP/TLS 5061 Detecção de presença, mensagens instantâneas, áudio e vídeo e conferência Web HTTPS 443 Solução empresarial de voz STUN/TCP 443 Áudio, vídeo, conferência web e compartilhamento de aplicativos SRTP/UDP 49152 – 65535 Áudio, vídeo e conferência web PSOM/TLS 8057 Solução empresarial de voz TURN/TCP 448 Solução empresarial de voz UDP 3478 Conectar dois clientes internos via Lync; Recurso Protocolo Porta Áudio, vídeo, conferência web e compartilhamento de aplicativos SRTP/UDP 1024 – 65535 Cliente interno com Exchange Server para usar Unified Messaging; Recurso Protocolo Porta Solução empresarial de voz SRTP/RTCP 60000 – 64000 Bidirecional Cliente interno para soluções de voz. Recurso Protocolo Porta Solução empresarial de voz SRTP/RTCP 30000 – 39999

Posted sexta-feira, 11 de abril de 2014 0:55 by Paleo | with no comments

Significado do MAC Address
Você já se perguntou qual a importância do MAC (Media Access Control) de seu equipamento? Já notou que qualquer dispositivo de rede possui um MAC Address (Endereço MAC)? Pois é, vamos entender o funcionamento dele então. Digamos que você deseja enviar dados para um computador específico, ou receber dados dele, como por exemplo, desejo acessar a um site de internet que esteja hospedado nele. Você simplesmente digita o URL (Uniform Resource Locator, alguns chamam de Universal Resource Locator, de forma que tornaram-se quase sinônimos), que nada mais é do o endereço do site (ex.: http://www.ositedesejado.com.br ). Então o seu servidor DNS (Domain Name Service), que é o responsável por converter o URL digitado por você, no endereço IP (Internet Protocol, o padrão de comunicação na internet) da máquina destino. Aqui é importante destacar que em redes de computadores, costumam existir dois endereços IP: o externo, também conhecido por IP Público, que é aquele acessível e possível de ser descoberto pelos servidores DNS e o IP interno, que é válido apenas na rede interna. Agora imagine que a mensagem é destinada a um equipamento na rede interna. Se eu possuo apenas o IP externo, como faço para chegar até ele? É neste caso que utilizo o endereço MAC da placa de comunicação do equipamento interno, portanto os meus pacotes são enviados contendo o endereço IP do destinatário (que pode ser o próprio equipamento, um roteador, servidor, etc) e o MAC Address do equipamento para o qual a mensagem destina-se. Ok, mas então como sei o endereço MAC da máquina para a qual desejo enviar a mensagem, por exemplo enviar os dados da página que ela deseja acessar? Na requisição pela página, ou seja, quando eu digitei o URL dela, seguiu no meu pacote de dados, meu endereço IP externo e o meu MAC, desta forma o site já sabe como enviar o pacote de volta. Certo, mas e se eu desconheço o MAC de meu destinatário? Neste caso você precisará aguardar um post futuro, pois não abordarei este cenário aqui, . Maravilha, chegamos ao MAC, aquele conjunto de 48 bits, ou 12 caracteres hexadecimais. Mas afinal de contas, o que eles representam? Os primeiros 24 bits, ou seja, os primeiros 6 caracteres hexadecimais, indicam a OUI (Organization Unique Identifier), em outras palavras, o fabricante de seu dispositivo. Por exemplo: 00:60:2F = Cisco ou 00:23:CD = TP Link. Os 24 bits finais, ou seja, os 6 últimos caracteres indicam o que foi atribuído àquela placa específica, pelo seu fabricante, são o verdadeiro MAC exclusivo daquela placa, a parte única do seu NIC (Network Interface Card). É exatamente por isso que você pode encontrar diversos dispositivos com os seus primeiros caracteres iguais. Basta que tenham sido fabricados pela mesma empresa. Adicionalmente, em comunicações, depois de enviar o MAC do remetente e o MAC do destinatário, é enviado mais um conjunto de quatro caracteres, indicando o protocolo usado (Ether Type), que atualmente pode ser IPv4 ou IPv6. Para IPv4 usamos 08:00, enquanto que para IPv6 usamos 86:DD. Um exemplo de MAC reader então seria: 80:00:20:7A:3F:3G 80:00:20:20:3A:AF 08:00 Seguido dos dados e do CRC Checksum. No Brasil, alguns provedores de internet estão bloqueando o acesso de quem utiliza roteadores conectados diretamente aos seus modems, com o intuito de cobrarem um adicional por este uso. Como eles conseguem identificar estes roteadores? Através do endereço MAC deles! Você deseja identificar o fabricante de um equipamento a partir do endereço MAC dele? Simplesmente informe o MAC em: http://coffer.com/mac_find/ Como posso evitar esta identificação indesejada? Simplesmente clonando o MAC de seu computador, no roteador. Sim, esta é uma solução simples, até simplória para este problema, mas na maioria dos casos funciona!

Posted quarta-feira, 5 de março de 2014 12:07 by Paleo | with no comments

Parâmetros de linha de comando na conexão remota
Você que está acostumado a usar conexões remotas, sabia que pode usar alguns parâmetros de linha de comando nela? Não, pois aqui vou falar sobre eles. Para começar, você sabia que a partir do Windows 7 pode iniciar uma conexão remota a partir da caixa de pesquisa, da caixa de diálogo executar ou da linha comando? Pois é, justamente nestes casos é que fica ainda mais interessante conhecer estes parâmetros, ainda que eles continuem válidos para quem inicia a conexão remota sempre a partir do menu iniciar. Adicionalmente o uso indevido deles pode causar resultados indesejados, se não soubermos usá-los de forma correta. Mas, passemos aos parâmetros: A forma que julgo mais prática para usá-los é a seguinte: Clique no botão Iniciar , então selecione Todos os Programas , aponte para Acessórios e então clique em Executar; Ok, tem uma forma mais fácil de fazer isso. Clique na tecla do Windows e sem soltá-la pressione a tecla R Na caixa de diálogo Abrir , digite mstsc . Portanto a forma de escrever (sintaxe) o comando, com os parâmetros, é a seguinte: mstsc [<arquivo de conexão>] [ /v: <servidor[ : porta]>] [ /admin ] [ /f [de fullscreen]] [ /w: <largura>] [ /h: <altura>] [ /public ] | [ /span ] [ /edit "arquivo de conexão"] [ /migrate ] [ /? ] /v:servidor:1111 Especifica a qual computador remoto desejamos nos conectar e indica a porta que deve ser usada para isto. Neste exemplo, a porta 1111. /admin Como o nome sugeri, este parâmetro é usado por administradores remotos. Se a funcionalidade de gerenciador de conexões remotas estiver ativa, após o comando mstsc /admin , ocorrerá o seguinte (para a conexão realizada com o uso do parâmetro): - Desabilita o serviço de licenciamento de clientes de conexão remota; - Desabilita o redirecionamento de fuso horário; - Desabilita o redirecionamento do RD Connection Broker; - Desabilita o Easy Print da conexão remota. Caso o servidor seja um Windows Server 2008 R2, ainda teremos os seguintes resultados. - Desabilita o redirecionamento de dispositivos Plug & Play; - Altera o tema da área de trabalho para o Windows Classic. /f Inicia a conexão remota no modo de tela cheia /w:1024 Especifica a largura da janela para a conexão remota. Neste exemplo, 1024 pixels. /h:768 Especifica a altura da janela para a conexão remota. Neste exemplo, 768 pixels. /public Executa a área de trabalho remota no modo público. /span Iguala a largura e alturas da área remota com o desktop virtual local, distribuindo entre múltiplos monitores, se necessário. Para que seja possível distribuir entre múltiplos monitores, é necessário que eles estejam dispostos como um retângulo. /multimon Configura o layout da sessão remota para ser idêntico à configuração do computador cliente. /edit “arquivo de conexão” Abre para edição, o arquivo de conexão ( .rdp ), especificado entre as aspas. /restrictedAdmin Conecta-se no modo de administração remota restrita. Nesse modo, as credenciais não serão enviadas ao computador ou servidor remoto, o que pode protegê-lo caso esteja se conectando a um computador comprometido. Adicionalmente, este procedimento pode afetar a funcionalidade de aplicativos e a compatibilidade. Precisa ser usado em conjunto com /admin . /migrate Migra os arquivos de conexão antigos, criados com o Connection Manager de computadores clientes, para os novos arquivos .rdp . /prompt Solicita as credenciais apenas após a conexão ser estabelecida. /shadow:junior Especifica que deseja espelhar a sessão chamada junior . /control Permite o controle da sessão remota. /noConsentPrompt Permite que uma sessão seja espelhada, sem que seja solicitado o consentimento do outro usuário. /? Lista estes parâmetros

Posted segunda-feira, 23 de dezembro de 2013 20:57 by Paleo | with no comments

MVP 9.0!!!
Queridos amigos, hoje fui reconhecido, pela Microsoft um dos Profissionais mais valiosos (MVP) pelo 9º ano consecutivo. Isso me deixa MUITO feliz, mas eu não teria conseguido sem a ajuda de diversos amigos, que postaram dúvidas em fóruns, assistiram minhas palestras, dividiram o palco de palestras comigo e solicitaram minhas palestras. Esse reconhecimento é de todos nós!

Posted terça-feira, 1 de outubro de 2013 12:46 by Paleo | with no comments

Filed under: , ,

Livros Grátis – 26/06/2013
Amigos, mais uma coleção de eBooks da Microsoft de graça. Aproveitem! Office & Office 365 Deployment guide for Office 2013 EPUB MOBI PDF Microsoft Office 365 for professionals and small businesses: Help and How To EPUB MOBI PDF SharePoint Explore SharePoint 2013 EPUB MOBI PDF Deployment guide for SharePoint 2013 EPUB MOBI PDF Test Lab Guide: eBook for SharePoint Server 2013 Intranet and Team Sites EPUB MOBI PDF DOC Create a Balanced Scorecard (SharePoint Server 2010) EPUB MOBI PDF SharePoint Server for Business Intelligence EPUB MOBI PDF SQL Server 5 Tips for a Smooth SSIS Upgrade to SQL Server 2012 EPUB MOBI PDF A Hitchiker's Guide to Microsoft StreamInsight Queries EPUB MOBI PDF Data Mining Extensions (DMX) Reference EPUB MOBI PDF Data Quality Services  EPUB MOBI PDF High Availability Solutions EPUB MOBI PDF Master Data Services EPUB MOBI PDF Monitor and Tune for Performance EPUB MOBI PDF Multidimensional Expressions (MDX) Reference EPUB MOBI PDF SQL Server Distributed Replay EPUB MOBI PDF Transact-SQL Data Definition Language (DDL) Reference EPUB MOBI PDF XQuery Language Reference EPUB MOBI PDF Extracting and Loading SharePoint Data in SQL Server Integration Services EPUB MOBI PDF Integration Services: Extending Packages with Scripting EPUB MOBI PDF Multidimensional Model Programming EPUB MOBI PDF Optimized Bulk Loading of Data into Oracle EPUB MOBI PDF Planning Disaster Recovery for Microsoft SQL Server Reporting Services in SharePoint Integrated Mode EPUB MOBI PDF SQL Server 2012 Tutorials: Reporting Services EPUB MOBI PDF SQL Server 2012 Tutorials: Writing Transact-SQL Statements EPUB MOBI PDF SQL Server Community FAQs Manual EPUB MOBI PDF System Center Cmdlet Reference for App Controller in System Center 2012 SP1 EPUB MOBI PDF Technical Documentation for System Center 2012 - Virtual Machine Manager EPUB MOBI PDF Visual Studio Better Unit Testing with Microsoft Fakes EPUB MOBI PDF Dependency Injection with Unity PDF Developer's Guide to Microsoft Enterprise Library (Second Edition) PDF Testing for Continuous Delivery with Visual Studio 2012 PDF Upgrade Team Foundation Server 2012: the ultimate upgrade guide EPUB MOBI PDF Web Development ASP.NET Multi-Tier Windows Azure Application Using Storage Tables, Queues, and Blobs EPUB MOBI PDF ASP.NET Web Deployment using Visual Studio EPUB MOBI PDF Developing Modern Mobile Web Apps EPUB MOBI PDF The Entity Framework 4.0 and ASP.NET Web Forms – Getting Started EPUB MOBI PDF Getting Started with the Entity Framework 4.1 using ASP.NET MVC EPUB MOBI PDF Project Silk: Client-Side Web Development for Modern Browsers PDF Windows Administrator's Guide for Microsoft Application Virtualization (App-V) 5.0 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft BitLocker Administration and Monitoring 1.0 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 7 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft Diagnostics and Recovery Toolset (DaRT) 8.0 EPUB MOBI PDF Administrator’s Guide for Microsoft User Experience Virtualization (UE-V) 1.0 EPUB MOBI PDF Developing an end-to-end Windows Store app using C++ and XAML: Hilo PDF Developing an end-to-end Windows Store app using BLOCKED SCRIPT Hilo PDF Prism for the Windows Runtime: Developing a Windows Store business app using C#, XAML, and Prism PDF Programming Windows 8 Apps with HTML, CSS, and JavaScript EPUB MOBI PDF Windows Azure Autoscaling Application Block and Transient Fault Handling Application Block Reference EPUB MOBI PDF Create Your First Application: Node.js and Windows Azure EPUB MOBI PDF Developing Multi-tenant Applications for the Cloud on Windows Azure (3rd Edition) PDF Drupal on Windows Azure EPUB MOBI PDF Exploring CQRS and Event Sourcing: A journey into high scalability, availability, and maintainability with Windows Azure PDF Migrating Data-Centric Applications to Windows Azure EPUB MOBI PDF Moving Applications to the Cloud on Windows Azure (3rd Edition) PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable your iOS Apps EPUB MOBI PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable Your Windows Phone 8 Apps EPUB MOBI PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable your Windows Store Apps in C# EPUB MOBI PDF Using Windows Azure Mobile Services to Cloud-Enable Your Windows Store Apps in JavaScript EPUB MOBI PDF Windows Azure and SQL Database Tutorials EPUB MOBI PDF Windows Server A Guide to Claims-Based Identity and Access Control, Second Edition PDF Introducing Windows Server 2012 EPUB MOBI PDF TCP/IP Fundamentals for Microsoft Windows PDF

Posted quarta-feira, 26 de junho de 2013 14:18 by Paleo | with no comments

Migrando do SBS 2003 para o Essentials 2012
Se você estiver usando um SBS 2003 SP2, sem o R2 e for tentar efetuar a migração, ao executar a ferramenta de migração, receberá uma mensagem de erro que o Serviço de Replicação DFS não está em execução. Ocorre que este serviço só foi implementado no R2, portanto nem poderia estar sendo executado em seu sistema, mas com este erro a migração não irá adiante. Isso significa que não dá para migrar? Não, apenas significa que precisará executar umas alterações antes de migrar. Aqui está o passo-a-passo extraído de: http://social.technet.microsoft.com/Forums/en-US/winserveressentials/thread/a8781760-5c99-4db6-a130-1a4930675eb9 Abra o arquivo SBSMigrationPrep.ps1 localizado em C:\Documents and Settings\All Users\Application Data\Microsoft\Microsoft Baseline Configuration Analyzer\Models\SBSMigrationPrep no Bloco de Notas; Encontre DFSR ; Você terá uma função com o seguinte texto: function Check-DFSReplicationServiceStatus() { $service = Get-Service -Name 'DFSR' $status = $service.Status @" < DFSReplicationServiceStatusSection> <DFSReplicationServiceStatus>$status</DFSReplicationServiceStatus> < /DFSReplicationServiceStatusSection> "@ } Em $service = Get-Service -Name 'DFSR' altere de DFSR para DFS ; Execute novamente a ferramenta de migração e ela funcionará sem erros, desta vez!

Posted domingo, 24 de março de 2013 1:00 by Paleo | with no comments

Filed under:

Fim do suporte para Windows XP e Office 2003
Amigos, em 8 de Abril de 2014 acaba o suporte, portanto é hora de pensar na migração… Em 2002 a Microsoft introduziu sua Política de Ciclo de Vida de Suporte desenvolvida a partir de comentários e sugestões de clientes, em busca de maior transparência e previsibilidade das opções de suporte dos produtos Microsoft. De acordo com esta política, os produtos da linha Microsoft Business and Developer, incluindo o Windows e o Office, recebem um tempo máximo de 10 anos de suporte (5 anos de Suporte Base e 5 anos de Suporte Estendido), no nível de Service Pack suportado. Mas mais do que fornecer suporte, agregar valor à TI requer inovação. Muitos usuários hoje esperam capacidades de computação que eram inimagináveis em 2001. O acesso de qualquer lugar em múltiplos dispositivos, redes sociais abrangentes e computação em nuvem são apenas alguns exemplos das mudanças ocorridas nos últimos 10 anos. O Windows 7 e o Office 2010 são as versões com as maiores taxas de vendas da história pois foram construídos do zero para atender a estes e outros requisitos modernos. Dito isso, daremos início a finalização do suporte para o Windows XP e Office 2003, com o prazo máximo para 8 de Abril de 2014, oferecendo a nossos clientes mais de 12 anos de suporte do Windows XP e 10 anos de suporte do Office 2003, prazos máximos de suporte já disponibilizados ao mercado. Para saber mais sobre nossa Política de Ciclo de Vida de Suporte Microsoft visite o site da Política de Ciclo de Vida de Suporte Microsoft ou leia as Perguntas Frequentes sobre o Ciclo de Vida de Suporte O que o fim do suporte representa para os clientes? Significa que você deve agir. Após 8 de Abril de 2014, não estarão mais disponíveis atualizações de segurança, hotfixes não relacionados a segurança, opções pagas e gratuitas de suporte direto ou atualizações de conteúdos técnicos online (Obs: os conteúdos online existentes ficarão disponíveis durante a fase de Suporte Online de Auto Ajuda Quais são as opções dos clientes após 8 de Abril de 2014? Atualize-se com o Windows 7/8 e Office 2010. Esta opção é sem dúvida a melhor para manter sua base com suporte. Ela torna mais fácil para você obter os benefícios de se movimentar para a nuvem com o Office 365 e Windows Intune. Ela oferece mais flexibilidade para dar aos seus funcionários a capacidade de serem mais produtivos, enquanto aumenta a eficiência operacional com computadores mais seguros e gerenciáveis. Para saber mais sobre estas possibilidades visite o site de Ambiente de Trabalho Moderno e Flexível Executar softwares sem suporte após 8 de Abril de 2014 Você deve estar ciente dos riscos. Executar software sem suporte significa que você não receberá nenhum suporte público da Microsoft, incluindo novas atualizações de segurança e hotfixes não relacionados a segurança. Isso pode resultar em ataques que colocarão seu negócio e as informações de seus clientes em risco e limitarão suas capacidades de obter o melhor de seus investimentos em TI. Será muito mais difícil de atualizar outros softwares importantes. Um relatório recente do segmento, publicado pela Gartner Research, sugere que “muitos fabricantes independentes de software (ISVs) provavelmente não suportarão novas versões de aplicações rodando no Windows XP em 2011; já em 2012 isso será o mais comum”. E isso também dificulta o acesso a inovações de hardware: a Gartner Research cita que em 2012, muitos fabricantes de computadores encerrarão o suporte ao Windows XP na maioria dos seus modelos de computadores. Veja o artigo Criando um Cronograma de Implantação do Windows 7 e de Descontinuidade do Windows XP SP3, Junho de 2011 Como a Microsoft ajudará seus clientes? A Microsoft oferece para grandes organizações recursos técnicos detalhados, além de ferramentas e orientações de especialistas que facilitam a implantação e o gerenciamento do Windows 7, Internet Explorer 9 e Office 2010. Para saber mais sobre os programas de implantação e migração entre em contato com seu gerente de contas da Microsoft ou o seu Parceiro Certificado Microsoft . Para saber como fazer um piloto e migrar você mesmo para uma estação de trabalho moderna, utilize as ferramentas de implantação da Microsoft abaixo e visite a seção de Windows no TechNet Comece aqui: Entendendo as Ferramentas de Implantação do Windows 7 Windows Automated Installation Kit (AIK) Download Guia Passo a Passo Tutorial Prova de Conceito de Estações de Trabalho - Jumpstart kit Download Guia Passo a Passo Clique aqui e acesse uma ferramenta online que calculará o retorno que sua empresa poderá ter com a adoção do Windows 7: https://roianalyst.alinean.com/msft/AutoLogin.do?d=202102636954012893 Leia também o artigo do IDC: Porque permanecer no Windows XP não é uma boa idéia: http://www.microsoft.com/pt-br/download/details.aspx?id=29883

Posted segunda-feira, 18 de março de 2013 14:34 by Paleo | with no comments

Erro NFe: (Causa provável: a cadeia de certificação do Web Service acessado ou do certificado cliente inexistente no repositório de certificados do usuário corrente do Windows
Com o início da utilização da Nova Cadeia de Certificados da NF-e, muitos sistemas passaram a apresentar problemas. Por que isso ocorre? Em um computador baseado no Windows Server 2003 ou Windows XP, não é possível obter certificados de uma autoridade de certificação baseada no Windows Server 2008 (CA). Esse problema ocorre se a autoridade de certificação estiver configurada para usar criptografia SHA2 256 ou criptografia superior (384 SHA2 ou SHA2 512). Como resolver? Basta instalar o KB 968730: http://support.microsoft.com/kb/968730

Posted sexta-feira, 1 de junho de 2012 19:22 by Paleo | with no comments

Erro no NOD 32: "Error communicating with kernel"
Esta semana já vi três casos onde o NOD32 apresentava a mensagem de erro: "Error communicating with kernel" Como resolver? Muito simples! Nos três casos o problema era o mesmo. O serviço do NOD32 estava parado após a instalação de uma atualização do Windows e bastava reiniciá-lo manualmente. Os procedimentos para isto são: Clique em Iniciar ; Clique em Executar; Digite services.msc ; Localize o serviço ESET Service ; Clique em Start; Pronto! Caso isso ainda não resolva o seu problema, sua máquina provavelmente tenha sido infectada durante o período em que o antivirus estava parado e o mais provável é que você esteja infectado com o Win32/Sirefef (Zero.Access rootkit). Para removê-lo execute os passos descritos em: http://kb.eset.com/esetkb/index?page=content&id=SOLN2895 Se não era ele, ainda pode ser o Win32/IRCBot.ANR. Neste caso faça uma limpeza via linha de comando, conforme descrito em: http://kb.eset.com/esetkb/index?page=content&id=SOLN2903

Posted segunda-feira, 9 de abril de 2012 15:10 by Paleo | with no comments

Abrindo um documento PDF em uma página específica
Suponhamos que você tenha uma biblioteca de documentos PDF em uma pasta compartilhada na sua rede e deseje adicionar um link no seu SharePoint para abrir o documento em uma página específica. Como fazer isso? Simples, basta usar os Open Parameters da Adobe. Adicione um novo link no SharePoint; Aponte ele para o arquivo PDF que deseja abrir; Após o nome do arquivo adicione o parâmetro. Ex.: \\computador\pasta\arquivo.pdf#page=10 (este URL envia você direto para a página 10 do documento). Como funcionam os Open Parameters? Simples, basta adicionar um sustenido ( # ) após o .PDF para informar que usará parâmetros e caso deseje utilizar mais de um parâmetro, adicione-os usando um "e" comercial ( & ). Quais parãmetros posso usar? Capítulo - Ex.: #Chapter2 ; Página - Ex.: #page=3 ; Zoom - Ex.: #Zoom=50 ; Página e múltiplas opções de Zoom - Ex.: #page=3&Zoom=200,250,100 ; Visualização - Ex.: #page=2&view=fitH . Relação completa de parâmetros em: http://wwwimages.adobe.com/www.adobe.com/content/dam/Adobe/en/devnet/acrobat/pdfs/pdf_open_parameters_v9.pdf

Posted sábado, 15 de outubro de 2011 11:22 by Paleo | with no comments

Windows Update Error 0x80073712
Se você está obtendo este erro é porque a sua base de atualizações do Windows está corrompido. Isso costuma ocorrer depois de algum tempo no Windows Vista e no Windows 7, mas a solução é extremamente fácil. 1. Acesse o seguinte endereço: http://go.microsoft.com/fwlink/?linkid=123822 2. Faço o download da Ferramenta de Preparação de Atualização do Sistema para Windows Vista, Windows Server 2008, Windows 7 e Windows Server 2008 R2 (selecione a versão certa para o seu sistema); 3. Execute a ferramenta; 4. Execute o Windows Update novamente. Pronto, problema resolvido.

Posted quinta-feira, 9 de junho de 2011 17:05 by Paleo | with no comments

Lendo arquivos .hlp no Windows Vista, 7, 2008 ou 2008 R2
Caso você ainda não tenha reparado, não é mais possível ler arquivos .hlp no Windows Vista, 7, 2008 ou 2008 R2. Por que? Porque eles não possuem o arqvuivo WinHlp32.exe que permite esta leitura. Solução? Claro, basta fazer o download do arquivo em: http://support.microsoft.com/kb/917607

Posted quinta-feira, 23 de setembro de 2010 16:19 by Paleo | with no comments

Windows Server não ativa e gera erro 0x8007232B
Este erro também pode ocorrer no Windows Vista ou no Windows 7. A solução é das mais simples: Clique em Iniciar - > Executar...; Digite " SLUI 03 " (com o espaço, mas sem as aspas; Informe a chave de seu produto e clique em Next ; Aguarde o processo de ativação e se a chave informada estiver correta, estará pronto.

Posted sexta-feira, 25 de junho de 2010 2:24 by Paleo | 2 comment(s)

Filed under:

Fim do suporte do Windows Server 2000
É o momento - Windows® 2000 Server atinge fim da vida em julho de 2010 Os clientes que permanecerem nesta plataforma estarão mantendo suas organizações com servidores não mais suportados em relação à hotfixes de segurança, patches ou service packs . Isso representa uma perigosa vulnerabilidade de segurança de dados. Mas isso também significa dificuldades adicionais, incluindo a possível perda de dados, a não conformidade com a normas regulamentadoras e a menor confiabilidade dos recursos de TI de missão crítica. 10 Motivos para Migrar do Windows 2000 Server para o Windows Server 2008 R2: http://cid-ba07e494be39738a.skydrive.live.com/self.aspx/P%c3%bablico/Top%2010%20Reasons%20to%20Upgrade%20from%20Windows%202000%20Server-BRZ.pdf Migração do Windows 2000 Server: http://cid-ba07e494be39738a.skydrive.live.com/self.aspx/P%c3%bablico/Migrating%20from%20Windows%202000%20Server-BRZ.pdf

Posted quinta-feira, 24 de junho de 2010 11:19 by Paleo | with no comments

Filed under:

Movendo a pasta de conteúdo do WSUS
Num post anterior ( http://carlosfprocha.com/blogs/paleo/archive/2010/06/18/movendo-o-banco-de-dados-do-wsus-3-0.aspx ) falei como mover o banco de dados do WSUS para um outro drive. Normalmente precisamos fazer isto por falta de espaço, mas pode ser em função de uma falha de disco também. Ocorre que nem sempre o vilão é o banco de dados. Muitas vezes a pasta de atualizações que é a verdadeira vilã. Mas e aí, como se resolve o problema? Felizmente é bem mais fácil. Para resolver este problema basta utilizarmos uma ferramenta da linha de comando do próprio WSUS, chamada wsusutil , que pode ser encontrada em C: \Program Files\Update Services\Tools (partindo do princípio que o seu WSUS esteja instalado no drive C:\, o que é o normal). O comando que vamos utilizar é o movecontent e a sintaxe dele é: wsusutil movecontent NovoCaminhoDoConteúdo ArquivoDeLog -skipcopy [ /? ] As parâmetros são os seguintes: NovoCaminhoDoConteúdo: Indique aqui o novo local onde deseja que o conteúdo seja armazenado. Por exemplo, o drive D:\; ArquivoDeLog: Indique aqui o caminho e o nome do arquivo de log que será utilizado durante a movimentação das atualizações; -skipcopy: faz com que apenas a configuração do servidor seja alterada, mas os arquivos não sejam copiados; /? ou /help: fornece ajuda para a atualização do comando movecontent. Exemplo de utilização: Movendo o conteúdo das atualizações para uma pasta no drive D:\: C:\Program Files\Update Services\Tools> wsusutil movecontent D:\Wsus\WsusContent D:\Wsus\Mover.log

Posted terça-feira, 22 de junho de 2010 1:19 by Paleo | with no comments

Desligando todos os computadores da rede
Muitas empresas estão querendo que todas suas estações de trabalho sejam desligadas em um horário específico, para evitar o desperdício de energia. Como podemos fazer isso? Não, por favor, não diga que agendará em cada máquina, pois numa rede com 100 estações isso seria terrível de gerenciar. Existe outra forma? Sim, confira abaixo. Crie um arquivo .BAT ou .CMD com a linha abaixo, como seu único conteúdo e agende a execução dele para um minuto antes do horário desejado. FOR /L %i in (2,1,254) DO shutdown /s /f /t 60 /m ''192.168.0.%i /d p:2:18 Esta linha de comando acima faz o truque para nós. Mas agora vejamos como ela funciona. Primeiro estabelecemos um loop com o comando FOR: FOR /L variável ( início, progresso,fim ) DO comando com parâmetros A variável deve iniciar por "%" e no parêntese definimos a faixa de variação. No exemplo acima definimos que o loop ocorrerá entre os números 2 e 254, com uma evolução de um em um (2,3,4,5,6,...). Feito o loop só precisamos inserir a variável dele no comando e está tudo pronto. No comando shutdown utilizamos os seguintes parâmetros: /s: desligar /f: forçar, ou seja, não salvar trabalhas abertos, simplesmente desligar /t 60: aguardar 60 segundos para executar o comando /m ''192.168.0.%i: aqui ocorre o nosso loop, passando por todos os IPs da faixa explicada acima /d p:2:18: aqui informamos o motivo do desligamento para que fique registrado

Posted segunda-feira, 1 de junho de 2009 19:19 by Paleo | 22 comment(s)

Windows Vista e Windows Server 2008 SP2
Amigos, já está disponível para os usuário do MSDN/TechNet, desde ontem o SP2 do Windows Vista. Para os demais usuários estará disponível a partir de amanhã. A pergunta mais frequente será, o que mudou? Suporte para novos hardwares suporte à tecnologia Blue tooth 2.1; habilidade de gravar em mídias Blu-ray; adiciona o Windows Connect Now (WCN) às conexões Wi-fi; exFAT passa a suportar etiquetas de tempo UTC, o que proporciona sincronismo de arquivos entre zonas de horário diferentes; suporte a novos formatos de expansão: ICCD/CCID; suporte à nova CPU ViA 64-bits. Segurança inclui todas as atualizações de segurança anteriores ao seu lançamento; Secure Development Lifecycle, onde são detectadas as causas de erros de programação que conduzem à vulnerabilidades; endereça atualizações de confiabilidade e crashes causados pelo código, descoberto após o SP1. Performance recupera performance quando não localiza a rede Wi-fi após voltar da hibernação (sleep); inclusão do Windows Search4 ao produto; melhorias da sidebar dos RSS feeds. Compatibilidade de Aplicativos garantia que aplicativos desenvolvidos para o Vista SP1 continuarão funcionando no SP2; atualizações para compatibilidade de arquivos já publicadas estarão presentes no produto; Spysweeper e ZoneAlarm agaro funcionam com as contas de e-mail POP3. Melhorias na administração e suporte o tempo para a instalação do .net Framework 3.5 será reduzido quando instalado no Windows Vista SP2 ou no Windows Server 2008 SP2; Service Pack Clean-up Tool (Compcln.exe). Este software ajuda a recuperar espaço no HD, por deletar permanentemente as versões antigas dos arquivos; único instalar para Windows Vista e Windows Server 2008; habilidade para detectar driver incompativel e bloquear o SP2; melhor gerenciamento de erros e informações mais detalhadas dos erros, onde possível; melhor gerenciamento do log de eventos. Correções específicas e Adições Inclusão do Hyper-V; suporte ao visualizador do log de eventos no SPC; Servidor DNS agora "ouve" através de endereços ISATAP; Corrige problemas no DRM causados por atualizações do WMP; Pacote de funcionalidades do Windows Vista para Wireless; Redução dos recursos necessários para os gadgets da sidebar; Gerenciamento de energia aprimorado para o Windows Server 2008.

Posted quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 13:40 by Paleo | with no comments

Gerenciando Hyper-V através de PowerShell
Abaixo segue uma lista de comandos: Localizando uma VM Get-VM, Choose-VM Conectando-se a uma VM New-VMConnectSession Descobrindo e manipulando o estado de uma VM List-VMState , Set-VMState , Convert-VmState, Ping-VM , Shutdown-VM , Start-VM, Stop-VM, Suspend-VM Get-VMKVP Fazendo Backups, exportando e coletando snapshots de VMs Backup-vm , Export-VM , Get-VMSnapshot, Choose-VMSnapshot , Apply-VMSnapshot , New-VMSnapshot ,Remove-VMSnapshot, Get-VMSnapshotTree Adicionando e removendo VMs, ajustando configurações da motherboard. New-VM , Remove-VM , Set-VM , Get-VMCPUCount, Set-VMCPUCount, Get-VMMemory, Set-VMMemory Manipulando controladoras de Discos, drives e imagens de discos Get-VMDiskController Add-VMSCSIController , Remove-VMSCSIcontroller Get-VMDrive , Add-VMDRIVE , Remove-VMdrive Get-VMDisk, Add-VMDISK , Set-VMDisk, List-VMDisk Get-VMFloppyDisk , Add-VMFloppyDisk Add-VMNewHardDisk Manipulando placas de rede Get-VMNic , List-VMNic , Choose-VMNIC, Add-VMNIC, Remove-VMNIC , Set-VMNICAddress , Set-VMNICConnection , Get-VMNicport , Get-VMnicSwitch, Choose-VMSwitch, New-VMSwitchPort, Get-VMByMACaddress trabalhando com arquivos VHD Get-VHDDefaultPath, Get-VHDInfo, New-VHD, Compact-VHD, Mount-VHD, Unmount-VHD

Posted quarta-feira, 12 de novembro de 2008 10:14 by Paleo | with no comments

KBs interessantes sobre Hyper-V
Dando uma estudada em Hyper-V localizei estes KBs que achei bem interessantes: KB 957006 – Discute a política de suporte para a execução de Windows Server em ambientes virtuais KB 953828 – Hotfix para rodar NLB (Network Load Balancing) em Hyper-V Virtual Machines. KB 950792 – Emoções instalando o Hyper-em servidores HP Proliant Servers Se você pretende implementar o Hyper-V em sua empresa, não deixe de ler: Hyper-V planning and deployment guide

Posted quarta-feira, 12 de novembro de 2008 10:00 by Paleo | with no comments

Filed under:

Comandos essenciais do Windows Server 2008 Server Core
Net User : Você pode usar o comando net user para criar e modificar contas de usuários em computadores. Quando este comando é usado sem as opções de linha de comando, as contas de usuário do computador são listadas. O exemplo a seguir mostra a sintaxe do comando net user : net user [nome_de_usuário [senha | *] [opções]] [/domain] nome_de_usuário {senha | *} /add [opções] [/domain] nome_de_usuário [/delete] [/domain] É possível usar os seguintes parâmetros com o comando net user : nome_de_usuário É o nome da conta de usuário a ser adicionada, excluída, modificada ou exibida. O nome desta conta pode ter até 20 caracteres. senha Atribui ou altera uma senha para a conta do usuário. Uma senha deve atender ao comprimento mínimo definido com a opção /minpwlen do comando net accounts e pode conter até 14 caracteres. * Produz um prompt para a senha. Esta senha não é exibida quando digitada em um prompt de senha. /domain Realiza a operação no PDC (Controlador de Domínio Primário) do domínio atual. Este parâmetro somente se aplica aos computadores que executam o Windows NT Workstation e que são membros de um domínio do Windows NT Server. Por padrão, computadores com base no Windows NT Server realizam operações no PDC. /add Adiciona uma conta de usuário ao banco de dados de contas de usuário. /delete Remove uma conta de usuário do banco de dados de contas de usuário. Opções para o comando Net User /active:{yes | no} Ativa ou desativa a conta. Se a conta não estiver ativa, o usuário não poderá obter acesso ao servidor. O valor padrão é sim. /comment:"text" Fornece um comentário descritivo sobre a conta de usuário (no máximo 48 caracteres). Lembre-se de colocar aspas para delimitar o texto usado. /countrycode:nnn Usa o código do país do sistema operacional para implementar os arquivos de idioma especificados para mensagens de erro e ajuda de um usuário. Um valor de 0 significa o código do país padrão. /expires:{date | never} Faz com que a conta perca a validade quando a data é definida. A opção never não define limite de tempo na conta. Uma data de validade está no formato mm/dd/yy ou dd/mm/yy, dependendo do código do país. Os meses podem estar em formato numérico, por extenso ou abreviado com três letras. O ano pode estar no formato de dois ou quatro números. Use barras (/), sem espaços, para separar partes da data. /fullname:"nome" É o nome completo de um usuário (em vez de um nome de usuário). Coloque o nome entre aspas. /homedir:nome_do_caminho Define o caminho para o diretório base do usuário. O caminho deve existir. /passwordchg:{yes | no} Especifica se os usuários podem alterar suas próprias senhas. O valor padrão é sim. /passwordreq:{sim | não} Especifica se uma conta de usuário deve ter uma senha. O valor padrão é sim. /profilepath[:caminho] Define um caminho para o perfil de logon do usuário. /scriptpath:nome_do_caminho É o local do script de logon do usuário. /times:{times | todos} É a hora do logon. A opção times é expressa como dia[-day][,day[-day]],hora[-time][,time [-time]], estando limitada a incrementos de 1 hora. Os dias podem estar por extenso ou abreviados. As horas podem estar na notação de 12 ou 24 horas. Para a notação de 12 horas, use am, pm, a.m. ou p.m. A opção all especifica que um usuário sempre pode fazer logon, enquanto um valor em branco especifica que um usuário nunca pode fazer logon. Separe as entradas de dia e horário com uma vírgula e separe várias entradas de dia e horário com um ponto-e-vírgula. /usercomment:"text" Permite que um administrador adicione ou altere o comentário do usuário para a conta. /workstations:{computername[,...] | *} Lista até oito computadores a partir dos quais um usuário pode fazer logon na rede. Se a opção /workstations não tiver lista ou se a lista for *, o usuário poderá fazer logon a partir de qualquer computador. net help user | more Exibe um tela da Ajuda por vez. Netsh : O Netsh é um utilitário de linha de comandos e de scripts para componentes de rede para computadores locais ou remotos. Você pode usar a ferramenta Netsh.exe para realizar as seguintes tarefas: • Configurar interfaces. • Configurar protocolos de roteamento. • Configurar filtros. • Configurar rotas. • Configurar o comportamento de acesso remoto para os roteadores de acesso remoto do Windows executando o serviço RRAS (Servidor de roteamento e acesso remoto). • Exibir a configuração de um roteador em execução em qualquer computador. • Usar o recurso de script para executar um conjunto de comandos no modo de lotes em um roteador especificado. Comandos para configuração do Protocolo de Internet versão 4: contexto : netsh interface ipv4 <enter> add address adicionar um endereço IP e um default gateway em uma interface específica. Sintaxe add address [ name= ] InterfaceName [ addr= ] IPAddress [ mask= ] SubnetMask [[ gateway= ] DefaultGateway [ gwmetric= ] GatewayMetric ] Parâmetros [ name= ] InterfaceName Requerido. Específica o nome da interface ao qual você deseja adicionar o endereço IP e de gateway. O parâmetro InterfaceName deve ter mesmo nome da interface especificado em Conexões de Redes. Se InterfaceName contém espaços, use aspas (") em torno do texto (por examplo, " Conexão local " ). [ addr= ] IPAddress [ mask= ] SubnetMask Requerido. Configura o endereço IP e a máscara de sub-rede. [ gateway= ] DefaultGateway [ gwmetric= ] GatewayMetric Configura o endereço IP do default gateway e sua métrica. add dnsserver Adiciona uma lista de servidores de DNS para a interface . Sintaxe add dnsserver [ name= ] InterfaceName [ addr= ] DNSAddress [[ index= ] DNSIndex ] Parâmetros [ name= ] InterfaceName Requerido. Específica o nome da interface ao qual você deseja adicionar o endereço IP e de gateway. O parâmetro InterfaceName deve ter mesmo nome da interface especificado em Conexões de Redes. Se InterfaceName contém espaços, use aspas (") em torno do texto (por examplo, " Conexão local " ). [ addr= ] DNSAddress Requerido. Específica o endereço IP de um DNS server. [ index= ] DNSIndex Específica a posição na lista para adicionar o DNS server para a interface. NetDom renamecomputer : Use este comando para renomear estações de trabalho do domínio e servidores membros somente. Para renomear controladores de domínios, use o comando NetDom computername. Sintaxe netdom renamecomputer máquina /newname: nome_novo_computador /userd: nome_do_domínio \ id_administrador /passwordd:* /usero: admin_local /passwordo:* /reboot: segundos antes da reinicialização automática Uma descrição da linha de comando precedente é: • máquina é o nome atual do computador. • nome_novo_computador é o nome que será dado ao computador. • nome_do_domínio \ id_administrador é o nome de domínio do sistema de entrada e saída básico da rede (NetBIOS) e a identificação de administrador de uma conta do usuário que tem permissões administrativas para o objeto de computador no domínio. • admin_local é um usuário que tem permissões administrativas locais, as quais podem ser as mesmas da conta especificada para /userd: • O símbolo do asterisco (*) é o valor conectado aos parâmetros /passwordd: e /passwordo: e especifica que a senha será digitada com os caracteres ocultos quando o comando for enviado. • segundos antes da reinicialização automática é o período de tempo transcorrido antes que o computador reinicie, após sua renomeação. Se esse parâmetro não for especificado, o computador precisará ser reinicializado manualmente. Shutdown : Permite desligar ou reiniciar um computador local ou remoto. Usado sem parâmetros, o comando shutdown fará logoff do usuário atual. shutdown [-l | -s | -r | -a] [-f] [-m \\computername] [-t xx] [-c "comment"] [-d up:xx:yy] Sem args Exibir esta mensagem (o mesmo que -?) -l Exibir interface GUI; deve ser a primeira opção -s Desligar o computador -r Desligar e reiniciar o computador -a Anular desligamento do sistema -m \\computername Computador remoto a ser desligado/reiniciado/anulado -t xx Definir tempo limite para desligamento como xx segundos -c "comment" Comentário sobre desligamento (máximo de 127 caracteres) -f Força o encerramento da execução de aplicativos sem avisar -d [p]:xx:yy C¢digo de razão para o desligamento u ‚ o código de usuário p ‚ um código de desligamento planejado xx ‚ o código de razão principal (número inteiro positivo menor que 256) yy ‚ o código de razão secundário (número inteiro positivo menor que 65536) Fonte: Blog do MCT Gilmar Assis

Posted sexta-feira, 31 de outubro de 2008 18:41 by Paleo | 4 comment(s)

Filed under:

Extendendo o duração do trial do Windows Server 2008 e/ou do SBS 2008
O período de avaliação do Windows Server 2008 e do SBS 2008 é de 60 dias, como vocês já devem saber e 60 dias são muito pouco tempo para avaliar qualquer um dos dois, como também já devem saber. O que fazer então? Expandir este prazo! Como? abra um prompt de comando com privilégios elevados; se desejar saber quando tempo ainda resta, antes de continuar, digite: slmgr.vbs –dli ; para extender o período, nesta mesma janela digite: slmgr.vbs –rearm. O período pode ser extendido para até 240 dias, sendo 60 dias adicionais para cada vez que você rodar o comando. Em outras palavras, o contador pode ser rearmado 3 vezes e a cada vez ele lhe dará mais 60 dias, que somados aos 60 iniciais, irão perfazer 240. Antes que algum "boi corneta" saia querendo dizer que estou ensinando pirataria, aqui vai a fonte desta informação: http://support.microsoft.com/kb/948472

Posted quinta-feira, 16 de outubro de 2008 0:10 by Paleo | with no comments

Definindo o papel de parede
Respondendo uma dúvida do forum hoje, fiz este tutorial. Espero que gostem! http://carlosfprocha.com/blogs/paleo/pages/definindo-o-papel-de-parede-padr-227-o-para-a-rede.aspx

Posted quinta-feira, 9 de outubro de 2008 1:57 by Paleo | with no comments

Microsoft Hyper-V Server 2008 disponível para download
Amigos, ele já está disponível para download desde ontem. Saiba mais sobre o licenciamento deste produto: http://download.microsoft.com/download/1/f/a/1fad9777-641f-4a28-afcd-3533c0850123/Hyper-V%20Server%20License.docx Microsoft Hyper-V Server 2008 é um produto autônomo que está disponível através do centro de downloads da Microsoft gratuitamente. O Microsoft Hyper-V Server 2008 nem requer CALs para o seu uso Contudo CALs serão necessárias para todos os sistemas operacionais rodando em suas máquinas virtuais (semelhante ao modelo do Virtual PC/Server) O Microsoft Hyper-V Server 2008 está disponível nos seguintes idiomas English (EN-US) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx2-080912.iso German (DE-DE) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Japanese (JA-JP) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso French (FR-FR) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Spanish (ES-ES) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Chinese Hong-Kong (ZH-HK) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Chinese Simplified (ZH-CN) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Korean (KO-KR) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Portuguese (Brazil) (PT-BR) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Chinese Traditional (ZH-TW) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx2-080912.iso Italian (IT-IT) http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso Russian (RU-RU)http://download.microsoft.com/download/0/5/5/0550BAEA-EDE0-4F14-973F-67464A8EAEE5/ServerHyper_MUIx10-080912.iso

Posted quinta-feira, 2 de outubro de 2008 10:36 by Paleo | 1 comment(s)

Windows Server 2008 Core Config
Você já está cansando da quantidade de linhas de comando que precisa digitar para gerenciar o seu Windows Server 2008 Core? Bom, agora já há solução. É um software chamado Windows Server 2008 Core Config. que está disponível no Codeplex! http://www.codeplex.com/CoreConfig

Posted quinta-feira, 2 de outubro de 2008 10:31 by Paleo | with no comments

6 horas de Treinamento de Windows Server 2008 na faixa ou quase
Ou quase... Caso você compre qualquer produto da TrainSignal Você ganha um DVD com 6 horas de treinamento de Windows Server 2008. Aproveite a oferta! http://www.trainsignal.com/index.asp?PageAction=VIEWPROD&ProdID=114

Posted terça-feira, 30 de setembro de 2008 15:09 by Paleo | with no comments

Filed under:

Microsoft Hyper-V Server 2008
Sim, este é o mais novo membro da família Windows Server 2008 e você sabe qual a melhor parte? Poderá fazer o download gratuito dele a partir de 8 de outubro! Totalmente gratuito – download via web Sua interface é parecida com o Server Core, porém possui apenas o papel de servidor de virtualização (isto significa que não pode ser utilizado como servidor de arquivos, domain controller, etc) Sim, o Hyper-V Server 2008 pode ser membro de domínio Possui uma interface de administração baseada em linha de comando, porem mais facil de administrar do que o Server Core Confira uma demo bem interessante sobre o produto neste link: http://video.msn.com/?mkt=en-US&playlist=videoByUuids:uuids:f0dbc64d-1488-45f9-84ff-453faca10aaf&showPlaylist=true&from=msnvideo

Posted segunda-feira, 29 de setembro de 2008 11:15 by Paleo | with no comments

Horário de Verão 2009
Este post está meio atrasado, mas para quem ainda não sabia, já foram liberados os patches para o horário de verão brasileiro http://support.microsoft.com/kb/951072/pt-br

Posted terça-feira, 23 de setembro de 2008 15:50 by Paleo | with no comments

Hyper-V
Aproveito para replicar aqui um post do Eduardo Petizme sobre a disponibilidade da versão final do Hyper-V. O Windows 2008 já vinha com uma versão beta, pois aqui está a atualização que torna ela a versão final: Hyper-V Final Release Para mais informações visite o site do produto: www.microsoft.com/hyperv

Posted terça-feira, 8 de julho de 2008 10:34 by Paleo | with no comments

Server Core com interface gráfica
Que tal essa? Pois é, o Guy se superou e criou uma interface gráfica para o Server Core que vai facilitar a vida de muita gente! Olhe só: Confira mais detalhes no post original dele: http://blogs.microsoft.co.il/blogs/guyt/archive/2008/03/22/windows-server-core-coreconfigurator-to-the-rescue.aspx

Posted terça-feira, 22 de abril de 2008 10:37 by Paleo | with no comments

Filed under:

Failover on iSCSI
Você já desejou criar um ambiente para failover com iSCSI, sem precisar incorrer nos altos custos de uma infra-estrutura destas? Pois a solução está aqui! Você pode usar estes softwares de graça! MySAN, from Nimbus Data Systems: http://www.nimbusdata.com/products/mysan/mysan.htm StarWind, from RocketDivision: http://www.rocketdivision.com/download_starwind.html

Posted terça-feira, 22 de abril de 2008 10:34 by Paleo | with no comments

Filed under:

Starter Group Policy Objects
Esta dica é para facilitar a vida de quem quer trabalhar melhor com as GPOs no Windows 2008. Basta fazer o download e começar a se divertir. The Starter GPO's in the Windows Vista package are based on recommended settings for the Specialized Security— Limited Functionality (SSLF) and Enterprise Client (EC) environments, as documented in the Windows Vista Security Guide ( http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=74028 ). The Starter GPO's in the Windows XP SP 2 or later package are based on the same settings for the same environments, as documented in the Windows XP Security Guide ( http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=14839 ). Download: http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=115690

Posted terça-feira, 22 de abril de 2008 10:28 by Paleo | with no comments

Filed under:

Windows Server 2008 Terminal Server vs Citrix XenApp
Já vi muita gente discutindo sobre estes dois, sobre qual era melhor. Pois agora temos um documento que compara eles funcionalidade a funcionalidade, que pode e deve ser usado para que se tome uma decisão mais acertada. Aproveitem! Citrix Presentation Server on Windows Terminal Services- A Feature Analysis

Posted terça-feira, 22 de abril de 2008 10:23 by Paleo | 2 comment(s)

Filed under:

WSC 1: Personalizando a identificação do servidor
Como todos já devem saber, podemos gerenciar remotamente o Windows 2008 Server Core, mas como fazer para saber em qual servidor estamos, em um ambiente com vários deles? E o relógio? Pois é ficamos tão acostumados a ter ele na tela que chegamos a sentir...

Posted sábado, 8 de março de 2008 2:10 by Carlos Fernando Paleo da Rocha&lt;br /&gt;SBS MVP in Brazil

Filed under: